Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 15.07.2014 15.07.2014

Vida para 2 players: um guia para geeks encontrarem seu par

Por Aline Maryama
Há alguns anos, o público nerd e geek era solitário, formado por grupos pequenos em escolas e universidades. Muitos sofreram bullying e eram vistos como párias nos demais círculos sociais. Mas para a felicidade – ou infelicidade – de muitos, a internet quebrou barreiras e atualmente ser nerd é quase cool.
Geek Love – O Manual do Amor Nerd , escrito por Eric Smith, é um deleite para qualquer nerd. Com inúmeras referências a games e cultura geek, tem um tom engraçado e pode ajudar em algumas coisas. Porém, se você não é geek ou nerd, não vai entender metade das piadas e alusões contidas no livro.
A proposta do título é ser um passo a passo para encontrar o “player número 2”, alguém que acompanhará o player 1 em suas variadas “nerdices”. Os capítulos são divididos como se fossem um jogo: há a escolha do personagem e início da jornada; a rota pelo Reino do Namoro; como chamar alguém para sair e se comportar no encontro; e até mesmo a fase final, o “Nível do Chefão”. Claro, tudo isso com menções a partidas de RPG, Metal Gear Solid, Halo, Futurama, Star Wars, Matrix e muito mais.
Geek Love é uma publicação engraçada e um deleite de referências para o público, porém não deve ser levada completamente a sério. Há coisas muito estereotipadas e ultrapassadas, como lembrar um rapaz que ele não deve ir a um encontro com a cara cheia de feridas pustulentas. Oi?
Há algumas dicas interessantes para quem quer se aventurar no Reino do Namoro, mas o leitor deve adotar o livro como um guia engraçado e que mergulha a vida real nas referências mais interessantes do mundo nerd, não um manual de como desencalhar, porque isso provavelmente terá um péssimo resultado. 
Entre brincadeiras e piadas, Smith toca em alguns pontos sérios, chegando a questionar até que ponto a tecnologia nos faz bem, pois ao mesmo tempo em que permite a comunicação instantânea em qualquer lugar do mundo, também isola os usuários em seus próprios universos, presos à tela do celular, por exemplo. Claro que ele conclui de modo a tornar a tecnologia uma aliada, nunca uma vilã. Afinal, qualquer nerd a vê como mais do que uma companheira.
Para o programador Daniel Alves, de São Paulo, encontrar sua player 2 foi uma das quests mais épicas da sua vida. “Talvez se esse livro estivesse disponível há uns 10 anos, teria me ajudado muito! Eu namorei algumas garotas que não tinham nada a ver comigo, que achavam Star Wars uma grande besteira e que o fato de eu jogar era um dos maiores problemas”.
 
                                                                                                                     Aline Maryama
 Os capítulos são divididos como se fossem um jogo: há a escolha do personagem e início da jornada
A partir do momento em que suas maiores paixões – os games e a cultura nerd – foram colocadas à prova, Daniel resolveu desistir de relacionamentos por um tempo. Foi no MMORPG World of Warcraft que ele conseguiu reverter a situação. Lá, durante um dungeon finder (sistema do jogo que coloca alguns jogadores aleatórios em uma caverna para lutar contra monstros juntos), ele encontrou o que procurava por tantos anos.
A designer carioca Carolina Medeiros sempre amou jogos on-line, mas nunca pensou que eles serviriam como cupido. “Foi legal encontrar outro brasileiro jogando, então acabamos ficando amigos. Na época, eu nem pensava em relacionamento. Tinha terminado recentemente e jogava durante todo o meu tempo livre”.
Entre uma quest e outra, a amizade de Daniel e Carolina se fortaleceu. Alguns meses depois, resolveram se encontrar, e hoje estão juntos há quatro anos. “Sites de relacionamento, livros de autoajuda, encontro às cegas arranjado pelos amigos… Pode até funcionar, mas acho melhor apostar nos jogos. Hoje em dia tem muita mulher bacana jogando e que manja dos jogos. Não só aquelas que querem aparecer e pedir coisas. A Carol entende muito mais do jogo do que eu!”, confessa Daniel.
Nada mais justo do que encontrar o player 2 enquanto joga. Você descobre do que o outro player realmente é capaz e o conhece aos poucos, até enxergar que podem continuar na mesma quest juntos. E Daniel e Carolina não são o único casal que nasceu graças a um game on-line. Isso pode acontecer com qualquer um que esteja disposto a encontrar seu par por aí.
Você, geek/nerd que está cansado de jogar no single player, saiba que o manual criado por Eric Smith é uma excelente leitura, com diversas referências, que vai adorar. Mas se você procura um player 2, há diversas maneiras de fazer isso ao seu alcance, inclusive jogando ou participando de eventos voltados para esse público específico.
 
 
 
Recomendamos para você