Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 25.06.2012 25.06.2012

Vai para a FLIP? Conheça nosso kit de sobrevivência para o evento

 
                     
                         ESPECIAL                     
 
Por Maria Fernanda Moraes
 
A poucos dias do início da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), a cidade já começa a mudar de cara. No dia 14 de junho, a organização do evento divulgou a primeira foto da montagem da Tenda dos Autores, o palco principal
Quem vai participar do evento também já deve estar se preparando: ingresso comprado (a maioria das mesas já se esgotaram, mas ainda haverá venda antes de algumas palestras), programação escolhida, acomodação acertada e dicas sobre a cidade anotadas.
Essa já é a 10ª edição da festa, mas muitos participantes ainda são marinheiros de primeira viagem. Por isso, preparamos um guia com dicas de sobrevivência durante o evento. Ele também pode ser útil pra quem já esteve nas edições anteriores, e você ainda pode contribuir com dicas nos nossos comentários.
Conforto, praticidade e muita disposição
A primeira dica – e a principal delas – é prezar pelo conforto. Serão quatro dias intensos de atividades (fora a noite de abertura, na quarta-feira). Além disso, quem já conhece Paraty sabe que o Centro Histórico da cidade é fechado para circulação de carros, e a melhor opção é andar a pé. As ruas de pedra pedem calçados confortáveis para evitar acidentes indesejados.
Para aproveitar melhor as atrações, monte previamente um cronograma do que você quer acompanhar. As mesas são distribuídas ao longo de todo o dia, em vários períodos – 10h, 11h45, 15h, 17h15, 19h30 (média dos horários, com algumas variações em certos dias. Veja a programação oficial). Então, a dica é alternar as mesas, para que a programação não se torne muito maçante. Claro que sempre pode haver uma exceção caso algumas mesas que você queira ver sejam em horários seguidos. Mas ao longo dos quatro dias, isso pode ser muito cansativo. O ideal é assistir a uma palestra, fazer uma pausa para um café e um papo, e retornar ao evento. E, claro, não se esqueça de levar seus livros preferidos para conseguir autógrafos. Os autores costumam ser bem solícitos e acessíveis.
Outra dica importante é buscar pelos guias de programação oficiais do evento. Eles são distribuídos gratuitamente no balcão de informações, que fica ao lado da Tenda dos Autores. Na edição do ano passado, foi distribuído um guia em forma de livro, que trazia a programação completa e um breve resumo sobre cada autor. Para os mais práticos, houve também a opção do guia dobrável. Ele trazia as informações mais resumidas e um mapa para localizar cada atração.  
 
Além da Tenda dos Autores e da Tenda do Telão, há ainda a programação da FlipZona, destinada ao público adolescente, da Flipinha, com foco nas crianças, e atrações na Casa da Cultura da Paraty, que fica no Centro Histórico. Os ingressos para a Casa da Cultura podem ser adquiridos no mesmo dia das atividades, na bilheteria do local ou bilheteria oficial da festa. Acesse aqui a programação
 
Flickr FLIP
Montagem da Tenda dos Autores
 
Também é válido ficar atento às atrações paralelas à programação principal. As mesas com os autores internacionais e mais conhecidos são as mais procuradas, e os ingressos se esgotam rapidamente. É uma boa hora para você conhecer os novos artistas que circulam pela cidade nesses dias. Saraus e atrações alternativas são boas opções. 
 
Bateu o cansaço ou a fome? Nos arredores da Igreja da Matriz há cafés e bares acolhedores, além das barraquinhas de comida que ficam espalhadas perto da praça principal. Os bancos da praça também são uma boa pedida para uma pausa pro descanso. Quer uma opção diferente? É só caminhar até a Praia do Pontal, que fica atrás da Tenda dos Autores, e se acomodar nos quiosques à beira mar, com o pé na areia.
Leve um casaco e aproveite as atrações noturnas
Nesta época do ano, Paraty tem aquele clima aprazível de inverno nos trópicos, especialmente nas cidades fluminenses: solzinho durante o dia e um leve friozinho à noite. Mas leve um agasalho, pois a brisa do mar pode te pegar desprevenido.
Uma ótima opção de lazer à noite é visitar os ateliês e lojinhas de artesanato local, que nesta época ficam abertos até mais tarde. Os restaurantes também são um deleite à parte. Durante a festa, a maioria deles participa do circuito Gastro-Literário, com pratos exclusivos criados especialmente para a FLIP. A gastronomia local tem forte influência caiçara, com pratos à base de frutos do mar, palmito e banana da terra.
Dicas úteis
Se você deixou a acomodação para a última hora, confira nos links abaixo a lista de pousadas e hotéis da cidade. O período da FLIP é considerado como alta temporada pelo setor hoteleiro; por isso, você pode se assustar um pouco com os preços. Se dinheiro não for o problema, a dica é ficar nas pousadas do Centro Histórico, onde você poderá fazer tudo a pé. Pra quem quer economizar, uma boa opção é procurar por acomodações na Praia do Pontal (mais próxima ao Centro Histórico) e na Praia do Jabaquara, que fica um pouco mais distante. A cidade também possui campings e hostels, que oferecem preços mais baixos.
 
 
Recomendamos para você