Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 17.08.2012 17.08.2012

Uma lady do humor: as comédias de Meryl Streep

Por Edu Fernandes
 
Quando o nome de Meryl Streep é mencionado, a maioria das pessoas se lembra das várias indicações ao Oscar (são 17 até agora) e das ótimas performances dramáticas. No entanto, a atriz frequentemente atua em comédias, como Um Divã para Dois, que estreia no Brasil em 17 de agosto.
 
Em seu trabalho mais recente, Streep interpreta Kay, uma mulher casada há mais de 30 anos com Arnold (Tommy Lee Jones, de Capitão América: O Primeiro Vingador). Ela sente que o fogo da paixão morreu há muito tempo em seu matrimônio. O casal dorme em quartos separados, e Kay não se lembra qual a última vez que recebeu um beijo do marido.
 
A protagonista vê como última esperança para seu relacionamento uma intensiva terapia de casal. Ela convence o marido a ir à pequena cidade de Hope Springs para ter sessões com Dr. Feld (Steve Carell, de Amor a Toda Prova). Entre confissões e conflitos, o público tem momentos de humor mesclado com cenas bem emotivas.
 
A história de Meryl Streep com comédias tem extensão parecida com o casamento de sua personagem em Um Divã para Dois. Há mais de 30 anos, ela entrava em cena em Manhattan (1979), uma das comédias nova-iorquinas de Woody Allen (Tudo Pode Dar Certo). Ela interpreta a ex-mulher do personagem principal, vivido pelo próprio diretor.

Cena do filme Ela É o Diabo
Dez anos depois, Streep encara uma antagonista cômica em Ela É o Diabo (1989). Ela é uma escritora que rouba o marido (Ed Begley Jr., de Qual Seu Número?) de uma vingativa dona de casa abandonada (Roseanne Barr, de Sem Fôlego). O filme foi reprisado à exaustão nas sessões vespertinas da televisão.
 
No começo dos anos 90, a atriz passou pelo maior jejum de indicações ao Oscar de sua carreira: cinco anos.

Nessa fase, Meryl não conseguia achar bons papéis dramáticos e se dedicou a comédias.
 
Um Visto para o Céu (1991) se passa no além, onde os espíritos recém-chegados são submetidos a um julgamento para decidir se vão para o céu. Streep vive o par romântico do personagem principal (Albert Brook, que é o diretor e roteirista do filme).
 
Os três integrantes do triângulo amoroso de A Morte Lhe Cai Bem
Um ano depois, Meryl estrela uma das melhores comédias de sua carreira. Em A Morte Lhe Cai Bem (1992), sua personagem rivaliza por décadas com Helen (Goldie Hawn, de Todos Dizem Eu Te Amo) pelo amor de um cirurgião plástico (Bruce Willis, de RED).
 
As adversárias tomam uma poção de juventude eterna, mas precisam de constantes reparos em seus corpos imortais. A comédia macabra é dirigida por Robert Zemeckis (Os Fantasmas de Scrooge).
 
No terceiro milênio, Streep começou a intercalar papéis dramáticos com empreitadas cômicas.
 
Em Desventuras em Série (2004), ela interpreta uma das familiares do trio de órfãos protagonistas. Josephine é mais uma das vítimas do malvado Conde Olaf (Jim Carrey, de Os Pinguins do Papai).
 

Meryl estudou música desde os 12 anos de idade e sonhava em ser cantora de ópera. Seu talento vocal pode ser conferido em A Última Noite (2006), filme que narra a apresentação final de um programa radiofônico de auditório. Streep canta ao lado de Lily Tomlin (da série Damages) e Lindsay Lohan (Machete).
 
A habilidade musical de Meryl Streep pôde ser apreciada novamente dois anos depois. Em Mamma Mia! (2008), ela canta vários sucessos do grupo ABBA na adaptação cinematográfica do musical da Broadway.
 
Em uma de suas cenas, em que canta “Money, Money, Money”, ela usa um par de óculos que guardara do figurino de O Diabo Veste Prada (2006). A maior parte das roupas usadas por ela no filme foi vendida em um leilão beneficente.
 
Meryl Streep na pele da memorável vilã de O Diabo Veste Prada
A adaptação do romance de Lauren Weisberger rendeu a Meryl o único Oscar por uma comédia. Ela interpretou Miranda, a workaholic e esnobe editora de uma revista de moda.
 
Atualmente, a atriz parece ter descoberto um novo nicho: comédias românticas maduras.
 
Antes de Um Divã para Dois, ela protagonizou Simplesmente Complicado (2009), em que é pivô de um triângulo amoroso com Alec Baldwin (30 Rock) e Steve Martin (Garota da Vitrine).
 

Para o futuro, ela continua a se envolver em produções cômicas. August: Osage County fala de uma família em crise e promete misturar momentos dramáticos com humor. No elenco também estão Julia Roberts (Larry Crowne) e Abgail Breslin (A Ilha da Imaginação). A estreia está agendada para 2013.
 
Assista ao trailer de Um Divã para Dois:
 
 
Recomendamos para você