Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 30.09.2014 30.09.2014

Uma conversa de jovens adultos

Por Camille Labanca
Em tempos em que adolescentes leem livros adultos, e adultos se perdem em linhas voltadas para o público jovem, um tema cresce para conquistar diversas idades e ambos os sexos: o Young Adult (jovem adulto), também chamado de YA. Talvez você tenha ouvido falar nessa expressão há pouco tempo, mas a primeira menção ao termo apareceu já tem alguns séculos.
Em 1802, Sarah Trimmer, autora britânica, que escreveu mais de 20 livros para crianças, o aplicava em livros voltados para pessoas de 14 a 21 anos; e entre os primeiros títulos que se encaixavam na categoria estavam os clássicos Oliver Twist (1838), O Conde de Monte Cristo (1844) e Alice no País das Maravilhas (1865). Histórias com personagens jovens envolvidos em situações complexas, como crueldade, vingança, preconceito e que variam os seus sentidos conforme a maturidade do leitor.
Entretanto, foi apenas com The Outsiders, em 1967, que a ideia moderna do tema ganhou contorno.  Escrito por Susan E. Hinton, o livro — que foi adaptado para o cinema – conta a história de duas gangues de adolescentes. Ao falar de forma nua e crua sobre a realidade vivida por pessoas nessa faixa etária, envolvendo episódios com álcool, cigarro e violência, acabou criando uma identificação com um público que, até então, não tinha voz em outros lugares, sem medo de serem julgados por suas escolhas ou falta delas.
Este fenômeno foi observado pelas editoras, os levando a publicar mais títulos do tema e os colocando em prateleiras diferentes dos livros infanto-juvenis. Com o passar dos anos ficou fácil identificar quais são os recursos utilizados pelo Young Adult: linguagem clara e eficiente, temas polêmicos e que fazem parte dos conflitos adolescentes, personagens em crise vivendo momentos de tensão, início e final memoráveis, um toque de humor e diálogos realistas e autênticos.
Com esta fórmula, a temática se espalhou para várias vertentes, resultando em livros de poesia, novelas, romances, graphicnovels, fantasia, ficção científica, entre outros. Mas o título que se tornou símbolo de toda uma (talvez até duas) geração é Harry Potter (Rocco). Ela mostrou em detalhes conflitos éticos e morais de um personagem em período de amadurecimento, e fez com que uma geração crescesse esperando o próximo livro da série.
Mais do que uma geração de leitores, o impacto da saga do bruxinho marcou também a escolha da profissão. É fácil encontrar atualmente escritores que citam vários desses livros de YA como os responsáveis pela paixão de ler e escrever.
O estilo que nasceu em 1802, mas ganhou repercussão com a saga do bruxinho Harry Potter, conquista cada vez mais o público com suas histórias que remetem aos conflitos da vida
A escritora mineira Paula Pimenta, das séries Fazendo Meu Filme e Minha Vida Fora de Série (Gutenberg), tem até uma história curiosa sobre isso. Ela é fã da Meg Cabot, chegou até a ganhar um concurso para conhecer pessoalmente a Meg. Depois de um tempo, Paula foi convidada a escrever um livro junto com ela, O Livro das Princesas (Galera Record). “Eu escrevi para ela e a Meg me disse: ‘Paula, você já deve estar percebendo que mais do que a gente incentivar a ler, a gente incentiva também a escrever, você deve estar formando muitos novos escritores com os seus livros também”, relembrou Paula em entrevista para o portal SaraivaConteúdo durante a Bienal do Livro de São Paulo.
O Almanaque Saraiva listou alguns autores e títulos para você também se aventurar nas páginas dos livros.
ROMANCE
Principais características: nas novelas YA, sempre tem um casal principal. Ao contar o desenvolvimento da relação, os autores também mostram a realidade intensa que eles vivem. Esta pode ser um intercâmbio, uma doença como câncer ou depressão, a perda dos pais, o uso de drogas, dentre outros fatores atuais.
Representantes nacionais e internacionais: De Volta aos Quinze (Bruna Vieira); Fazendo Meu Filme (Paula Pimenta); Um Caso Perdido (Colleen Hoover); A Culpa é das Estrelas (John Green); Entre o Agora e o Nunca (J. A. Redmerski); Sou Toda Errada (Tammy Luciano); Até Eu Te Encontrar (Graciela Mayrink); Ah, o Verão! (Fernanda Belém); Sob A Luz dos Seus Olhos (Christine M.); Eleanor & Park (Rainbow Rowell); Fangirl (Rainbow Rowell); Easy (Tammara Webber); Willow (Julia Hoban); Métrica (Colleen Hoover); Sem Limites (Abbi Glines); e Belo Desastre (Jamie McGuire).
FANTASIA
Principais características: em uma fantasia YA, as personagens possuem poderes ou dons, vivem em um ambiente que não existe e fazem parte de um mundo improvável, como Hogwarts ou mesmo o inferno. Suas personagens são jovens em crescimento, assim como os outros livros do gênero.
Autores nacionais e internacionais: Dragões do Éter (Raphael Draccon); O Inverno das Fadas (Carolina Munhóz); Perdida (Carina Rissi); O Novo Mundo de Muriel (Liliane Prata); A Batalha do Apocalipse (Eduardo Spohr); A Desconstrução de Mara Dyer (Michelle Hodkin); Abandono (Meg Cabot); Sonhos (Alyson Noël); Cidade dos Ossos (Cassandra Clare); A Seleção (Kiera Cass); Percy Jackson e o Ladrão de Raios (Rick Riordan); Crepúsculo (Stephanie Meyer); e Harry Potter (J.K. Rowling).
DISTOPIA
Principais características: nas distopias, as críticas à sociedade estão intrínsecas ao texto. Geralmente a comunidade envolvida é organizada de forma diferente do que são hoje, provavelmente dominadas pelo totalitarismo. Nelas, sempre têm uma personagem com coragem suficiente para desafiar a lei absurda que reina.
Autores nacionais e internacionais: A Ilha dos Dissidentes (Bárbara Morais); O Que Não Diz A Lenda (Christine M.), Jogos Vorazes (Suzanne Collins); Divergente (Veronica Roth); O Teste (Joelle Charbonneau); Feios (Scott Westerfeld); e Delírio (Lauren Oliver).
AVENTURA
Principais Características: Através de narrativas aventureiras ou apenas cotidianas, temas atuais são abordados e desenvolvidos. O foco sempre está no adolescente, seja ele autista, garoto de rua ou alguém que sofreu abuso.
Autores nacionais e internacionais: Passarinha (Kathryn Erskine); Cartas de Amor aos Mortos (Ava Dellaira); Perdão, Leonard Peacock (Matthew Quick); Com Louvor (Cecily Von Ziegesar).
LANÇAMENTOS
O Reino Das Vozes Que Não Se Calam (Rocco)
Carolina Munhoz e Sophia Abrahão
A Ameaça Invisível – Vol. 2 (Gutenberg)
Bárbara Morais
Meus 15 Anos (Rocco)
Luiza Trigo
Anjos na Escuridão (Galera Record)
Lauren Kate
Para Onde Ela Foi (Novo Conceito)
Gayle Forman
Recomendamos para você