Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 22.02.2013 22.02.2013

Um meteoro no cinema: a rápida ascensão de Rebecca Hall

Por Edu Fernandes
 
A aparição de alguns astros de cinema parece um toque de mágica. Um dia são figuras desconhecidas, e pouco tempo depois estampam pôsteres de filmes de sucesso. Um exemplo desse tipo de aparição é Rebecca Hall. A atriz inglesa estreou no cinema em 2006, aos 24 anos de idade, e de lá para cá trabalhou com uma lista invejável de grandes diretores.
A mais nova “aquisição” de Rebecca nesse quesito é Stephen Frears (A Rainha). Ela é dirigida por seu conterrâneo em O Dobro ou Nada, que entra em cartaz no Brasil em 22 de fevereiro. No longa, Hall traz cabelos cacheados e sotaque norte-americano para viver a história real de Beth Raymer, uma stripper que tenta a sorte em Las Vegas.
Ao chegar lá, Beth conhece Dink (Bruce Willis, de Red – Aposentados e Perigosos), um expert em apostas que mantém um negócio no ramo. Ele ensina Beth todos os traquejos do trabalho, e ela se mostra um talismã da sorte para o chefe. Essa relação não é vista com bons olhos por Tulip (Catherine Zeta-Jones, de Rock of Ages), a ciumenta esposa de Dink.
A lista de diretores de Rebecca Hall já contou com um nome de respeito logo em seu ano de estreia, quando foi dirigida por Christopher Nolan (Batman Begins) em O Grande Truque (2006). No meio do duelo de mágicos apresentado no enredo, a atriz vive o par romântico do ilusionista interpretado por Christian Bale, cujo coração está dividido entre ela e uma assistente de palco, papel de Scarlett Johansson.
 
Cena do filme Vicky Cristina Barcelona

Em seu próximo longa-metragem, Rebecca novamente vive um triângulo amoroso envolvendo Scarlett. Em Vicky Cristina Barcelona (2008), as duas são o alvo das atenções de um pintor vivido por Javier Bardem. Trabalhar com Woody Allen teve um significado especial para Hall, uma vez que seu filme favorito é Manhattan, que Allen fez em 1979.

No mesmo ano de Vicky Cristina Barcelona, a atriz encara o desafio de reencenar acontecimentos reais em Frost/Nixon (2008). Ela interpreta a namorada de David Frost, repórter que irá conduzir uma série de entrevistas com Richard Nixon, presidente dos Estados Unidos que teve o mandato interrompido em meio a acusações de corrupção. No comando da produção está Ron Howard (Uma Mente Brilhante).
 
 Cena do filme Atração Perigosa

Em seguida, seu próximo papel de destaque foi em Atração Perigosa (2010). Novamente ela vive o par romântico do protagonista, desta vez interpretado por Ben Affleck. Todavia, as diferenças que essa produção trouxe à sua carreira são um novo gênero (policial) e o fato de que o ator principal também é o diretor.

Ainda em 2010, Rebecca Hall agarra a oportunidade de experimentar mais um gênero cinematográfico. Ao lado de Will Ferrell, ela estrela a comédia dramática Pronto para Recomeçar.
Depois de uma série de pares românticos, Hall assume sua primeira protagonista no suspense O Despertar. Na fita, ela interpreta uma mulher cética, cujo trabalho é desmascarar supostos eventos sobrenaturais na Londres de 1921. Ela tem seus princípios abalados ao ser convocada para investigar a aparição de um fantasma em um internato.
Ainda para 2013, Rebecca terá mais um desafio em sua carreira. Com um papel em Homem de Ferro 3, a atriz participa pela primeira vez de um filme de super-herói. A produção deve chegar ao Brasil em 26 de abril.
Veja o trailer de O Dobro ou Nada:
 

 
 
 
Recomendamos para você