Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 23.01.2013 23.01.2013

Um guia para você começar a se aventurar na leitura de poemas escritos por grandes mulheres

Por Laíssa Barros
 
Se você estiver procurando uma nova leitura ou ainda tiver algum preconceito ou dificuldade com poesia, chegou a oportunidade que faltava para você se surpreender e inovar seus próximos momentos literários. Reunimos alguns especialistas em literatura,que indicaram trabalhos de produção feminina para você começar a conhecer e/ou gostar de poesia.
 
“Se você observar, verá que há uma crescente participação das mulheres na poesia ao longo do século XX e o quanto isso foi importante para o estilo e o colocou em novos rumos”, ressalta Paulo Ferraz, poeta e mestre em teoria literária.
 
Pensando nisso – e na afirmação da doutora em letras pela UFJF, Juliana Gervason:“Infelizmente, a poesia feminina ainda carece de espaço e conhecimento do público leitor. Poesia já é um gênero mais tímido, renegado aos cantinhos das estantes das livrarias. E a nossa produção poética feminina é ainda mais isolada” –,preparamos dicas com grandes exemplos de poetisas e suas obras para reverter essa situação e colocar a poesia definitivamente entre suas leituras. 
Agora é só escolher uma ou quantas quiser da lista e se deliciar com descobertas e, quem sabe, redescobertas. 
 
Angélica Freitas
 
Livro Um Útero é do Tamanho de um Punho
 
Quem indica: Paulo Ferraz, poeta e mestre em teoria literária pela USP
Dica de livro: Um Útero é do Tamanho de um Punho (Cosac Naify)
Por que lê-la? Um Útero é do Tamanho de um Punho tem a mulher como centro temático. Procurando definir que figura feminina é essa que nossa cultura trata de desenhar e que se desconstrói sempre, a autora questiona de um lado, o mundo; de outro, a própria identidade. Angélica Freitas (1973-) mostra amadurecimento e se destaca como uma das vozes mais vigorosas da poesia brasileira contemporânea.
 
Wislawa Szymborska
 
Poemas de Wislawa Szymborska
 
Quem indica: Paulo Ferraz, poeta e mestre em teoria literária pela USP
Dica de livro: Poemas (Companhia das Letras)
Por que lê-la? Szymborska (1923-2012) destacou-se como poetisa com uma obra que tem como tema as trasformações da Polônia moderna. Com uma linguagem simples, coloquial, moderna, a autora revela um tom irônico em muitas de suas poesias.
 
O fato de ter permanecido a vida inteira no mesmo lugar diz muito sobre essa poetisa, conhecida por sua reserva e extrema timidez. Contudo, embora os fatos de sua vida tenham permanecido privados, quase secretos, seus poemas viajam pelo mundo. Poemas, coletânea de 44 poemas, é uma belíssima apresentação à obra dessa importante poeta contemporânea.
 
Sophia de Mello Breyner Andresen
 
A poeta Sophia de Mello Breyner Andresen
 
Quem indica: Paulo Ferraz, poeta e mestre em teoria literária pela USP
Dica de livro: Poemas Escolhidos (Companhia das Letras)
Por que lê-la? Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004) foi uma das principais poetas portuguesas do século XX. Teve uma carreira literária marcada pelo classicismo formal de suas composições e pela ação política . Esta antologia de Poemas Escolhidos inclui composições de todos os seus livros.
 
A paisagem, a terra e, sobretudo, o mar ocupam lugar central na poesia de Sophia, com imagens que geram belas composições. Por outro lado, a cidade aparece como um espaço de dor, limite e perda, mas também de luta e compromisso.
 
Cecília Meireles
Quem indica: Juliana Gervason, doutora em letras pela UFJF
Dica de livro: Viagem (Global)
Por que lê-la? Viagem representa um momento de ruptura e renovação na obra poética de Cecília Meireles (1901-1964). Até então, sua poesia ainda estava ligada ao neossimbolismo e a uma expressão mais conservadora.
 
Esse livro trouxe a libertação, representando a plena conscientização da artista, que pode, a partir de então, afirmar a sua voz personalíssima,que é considerada uma das vozes líricas mais importantes da língua portuguesa.
 
Ana Cristina Cesar
 
A Teus Pés, de Ana Cristina Cesar
 
Quem indica: Juliana Gervason, doutora em letras pela UFJF
Dica de livro: A Teus Pés (Ática)
Por que lê-la? Ana Cristina (1952-1983) mudou o tom e a forma de expor o feminino na poesia. Mesmo tendo escrito pouco, deixou uma das obras mais influentes entre os poetas marginais. A Teus Pés possui poemas fragmentados, com uma linguagem íntima e confessional, que relatam o cotidiano de maneira construtiva e desconstrutiva e criam um jogo com o qual a poeta brinca e celebra a vida.
 
Sylvia Plath
 
Livro Ariel
 
Quem indica: Juliana Gervason, doutora em letras pela UFJF
Dica de livro: Ariel (Verus)
Por que lê-la? Sylvia Plath (1932-1963) conseguiu, em Ariel, transformar em poesia tanto assuntos particulares como eventos históricos trágicos. Seus poemas evidenciam as dores de uma vida traumática, marcada pela morte do pai e pelos conflitos com o marido infiel, e são a prova do talento dessa poeta que, com otimismo ou sofrimento, soube unir técnica e emoção e criar uma obra considerada um clássico.
 
Elizabeth Bishop
 
Poemas Escolhidos de Elizabeth Bishop
Quemindica: Paula Sernattore, mestra em letras pela UNICAMP
Dica de livro: Poemas Escolhidos (Companhia das Letras)
Por que lê-la? Apesar de ter publicado pouco em vida, Elizabeth Bishop (1911-1979) é tida como uma das mais importantes vozes da poesia norte-americana. Esta antologia apresenta grande parte dos poemas que a autora publicou em vida e alguns poemas póstumos, ainda inéditos em português. Estão ali também os poemas que a autora escreveu sobre o Brasil, resultado das quase duas décadas em que morou no país.
 
Mesclando a capacidade de observar e descrever, Bishop se debruça sobre temas como o tempo, a memória, a natureza e o amor, em poemas suaves, que apresentam uma grande variedade de recursos formais, em que a relação entre forma e conteúdo é evidente.
 
Adélia Prado
 
Livro Bagagem
 
Quem indica: Paula Sernattore, mestra em letras pela UNICAMP
Dica de livro: Bagagem (Record)
Por que lê-la? Logo, as várias facetas da autora provavelmente alcançarão todo tipo de leitor, mesmo aqueles que conhecem pouco a poesia e ainda não se sentem à vontade com esse gênero, já que sua linguagem é muito acessível.
 
Adélia (1935-) escreve movida por inspiração divina. A poesia, para ela, é um ofício de inspiração. Em Bagagem, Adélia trabalha, fazendo uso do lirismo e da ironia, com o profano, com a religiosidade e com o cotidiano.
 
Hilda Hilst
 
Hilda Hilst
 
Quem indica: Paula Sernattore, mestra em letras pela UNICAMP
Dica de livro: Poemas Gozosos Devotos e Malditos (Globo Editora)
Por que lê-la? Hilda Hilst (1930-2004) é considerada uma das maiores escritoras da língua portugesa do século XX. Sua poesia é pensada e arquitetada. Poemas Gozosos Devotos e Malditos é uma série de 21 poemas que chamam atenção pelo misticismo amoroso, um assunto pouco tratado na poesia lírica brasileira. Hilda retrata os grandes místicos, em poemas sensualmente religiosos.
 
 
Recomendamos para você