Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 08.03.2013 08.03.2013

Um galã acima dos gêneros: a carreira plural de Matthew McConaughey

Por Edu Fernandes
 
Bonitão, musculoso e carismático. Com tais atributos, o ator Matthew McConaughey poderia muito bem se contentar em fazer apenas comédias românticas, mas preferiu construir um currículo que passeia por diversos gêneros.
Em Killer Joe – Matador de Aluguel, o texano pôde usar e abusar de seu sotaque no personagem-título do filme dirigido por William Friedkin (O Exorcista). A produção entra em cartaz no Brasil no dia 8 de março.
A história é sobre uma família que encomenda a morte da própria mãe, de olho no polpudo seguro de vida dela. Para cometer o crime, eles contratam Joe, que concorda em prestar seus serviços sem um adiantamento do pagamento. Para isso, faz um acordo com o filho (Emile Hirsch, de A Hora da Escuridão) e o ex-marido (Thomas Haden Church, de Compramos Um Zoológico) da vítima: Joe desfrutará dos favores sexuais da caçula (Juno Temple, de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) da família até ver a cor do dinheiro.
Com isso, Friedkin entra na lista de diretores de renome que já comandaram a atuação de Matthew. Sua primeira chance em longas aconteceu com outro realizador conceituado. Em 1993, depois de deixar o cabelo e o bigode crescerem, o ator convenceu Richard Linklater de que podia não ficar bonito demais para entrar no elenco da comédia dramática estudantil Jovens, Loucos e Rebeldes. Anos mais tarde, o cineasta se reencontraria com o ator em Newton Boys – Os Irmãos Fora-da-Lei (1998).
 
Cena de Jovens, Loucos e Rebeldes

Seu próximo passo significativo foi no gênero do terror. McConaughey contracena com Renée Zellweger em O Massacre da Serra Elétrica – O Retorno (1994). Logo em seguida, trabalha no filme de mistério Lone Star – A Estrela Solitária (1996).

A carreira de Matthew prossegue com um déjà vu. Antes da fama, ele começou seus estudos com o objetivo de se tornar um advogado. Em 1996, ele teve a chance de interpretar um personagem com essa profissão em Tempo de Matar, de Joel Schumacher. Mais tarde, repetiria a experiência em O Poder e a Lei (2011).
 
Cena do filme Tempo de Matar

Já consolidado como astro de Hollywood, McConaughey encara uma comédia para a família e contracena com um elefante em Uma Herança da Pesada (1996). Para continuar a variedade de gêneros, segue para a ficção científica Contato (1997), de Robert Zemeckis.

Antes de chegar às comédias românticas, Matthew atua em duas produções de época. Ele viaja ao século XIX em Amistad (1997), de Steven Spielberg. Depois participa do thriller de ação ambientado na Segunda Guerra Mundial U-571 – A Batalha do Atlântico (2000).
Quando entra no terceiro milênio, ele finalmente começa a atuar em comédias românticas. Sua estreia no gênero foi com O Casamento dos Meus Sonhos (2001), no qual faz par romântico com Jennifer Lopez. Suas outras companheiras de cena nesse tipo de filme são Katie Hudson (Como Perder um Homem em 10 Dias, em 2003), Sarah Jessica Parker (Armações do Amor, em 2006) e Jennifer Garner (Minhas Adoráveis Ex-Namoradas, em 2009).
McConaughey voltou a contracenar com Hudson, porém em um longa com uma pegada mais aventureira. Em Um Amor de Tesouro (2008) ainda há romance, mas a caça às relíquias de naufrágios gera cenas de ação.
 
Cena do filme Um Amor de Tesouro

Em meio às comédias românticas, para completar a lista de gêneros, Matthew ainda atuou no filme de fantasia Reino de Fogo (2002) e na aventura pulp Saara (2005).

Para o futuro, o ator terá outro grande diretor para chamar de colega de trabalho. Em breve começam as gravações de The Wolf of Wall Street (“O Lobo de Wall Street”, em tradução literal), comandadas por Martin Scorsese.
Veja o trailer de Killer Joe – Matador de Aluguel:
 

 
 
 
Recomendamos para você