Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 08.02.2013 08.02.2013

Um astro determinado: os papéis fortes de Denzel Washington

Por Edu Fernandes
 
Alguns atores são especializados em papéis específicos. Um desses casos é Denzel Washington, que costuma interpretar homens determinados, normalmente figuras com algum tipo de autoridade.
Seu mais recente trabalho não é exceção à regra. Em O Voo, ele é o comandante Whip Whitaker, piloto de avião que leva a vida no limite. Ele mistura drogas mesmo quando está no trabalho.
Em sua última viagem, o avião sob seu comando apresenta avarias em pleno voo. Whip mostra habilidade e inteligência, mesmo sob o efeito de álcool. Ele consegue aterrissar a aeronave e salva dezenas de vidas, mas a investigação do ocorrido acusa sua bebedeira, e o piloto terá de passar por um julgamento que decidirá o futuro de sua carreira.
Por causa de sua preferência por esse tipo de personagem, Denzel Washington acaba interpretando vários policiais, agentes e militares. O último papel dessa categoria foi em Déjà Vu (2006), no qual ele até cogita voltar no tempo para pegar o bandido e salvar a mocinha.
 
Cena de Dia de Treinamento, que rendeu o Oscar de melhor ator a Denzel
Foi com papéis desse nível que o ator conquistou suas duas estatuetas do Oscar. Denzel levou a premiação de ator coadjuvante por Tempo de Glória (1989), no qual é um combatente da Guerra de Secessão. Mais de dez anos depois, ele foi eleito pela Academia como o melhor ator por Dia de Treinamento (2001), na pele de um detetive explosivo.
Em algumas oportunidades, o personagem vivido por Washington está do lado da lei, mas sua arma é a caneta no lugar de um revólver. Em 1993, ele teve dois papéis coadjuvantes que se encaixam nessa categoria. O ator interpretou o advogado que defende o soropositivo protagonista de Filadélfia e o jornalista que ajuda a estudante vivida por Julia Roberts em O Dossiê Pelicano a desmascarar uma conspiração.
Denzel costuma interpretar personagens que existiram na realidade, sem deixar de lado a determinação e a figura de autoridade de seus demais papéis. O mais recente trabalho desse tipo foi em O Gângster (2007), no qual ele interpreta o criminoso Frank Lucas. Vilões e antagonistas também estão no currículo do ator. O mais recente foi um presidiário em Protegendo o Inimigo (2012).
Ainda na galeria de personagens reais de Washington, destacam-se o treinador de futebol norte-americano Herman Boone de Duelo de Titãs (2000), o boxeador Rubin Carter em Hurricane: O Furacão (1999) e o revolucionário protagonista de Malcolm X (1992). O último é uma figura tão importante em sua vida pessoal que o inspirou a batizar um de seus quatro filhos: Malcolm Washington.
 
Cena de Malcolm X, uma das interpretações favoritas de Washington
Há alguns filmes na carreira de Denzel que parecem ser bem diferentes do que ele costuma fazer. Mesmo nessas condições, sua personalidade se sobressai. Um exemplo é o pós-apocalíptico O Livro de Eli (2010), no qual interpreta um andarilho. No entanto, a determinação característica de seus trabalhos pode ser vista no caráter do personagem.
Atualmente, um novo tipo de papel parece se esboçar para o astro. Por coincidência, alguns de seus trabalhos recentes têm como pano de fundo os meios de transporte, como O Voo. Em Incontrolável (2010) e O Sequestro do Metrô 123 (2009), ele interpreta figuras de autoridade no transporte sobre trilhos.
Ainda em 2013, veremos Denzel Washington em um papel com o qual ele está bem habituado. Em 2 Guns (“2 Revólveres”, em tradução literal), ele faz dupla com Mark Wahlberg em um filme de ação com tiros, investigação e mafiosos. Um prato cheio para o ator e seus admiradores.
Veja um clipe dos bastidores de O Voo:
 
 
 
 
Recomendamos para você