Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 14.11.2012 14.11.2012

Trilha da saga ‘Crepúsculo’ faz uma mistura equilibrada entre o alternativo e as baladas

Por Andréia Silva
 
Cinco filmes depois, a saga Crepúsculo chega ao fim com Amanhecer – Parte 2, deixando uma trilha sonora que apostou pouco em canções inéditas e se equilibrou entre o rock alternativo, bandas pop e baladas. 
 
Colaboram com as canções do longa grupos veteranos como Metric, Muse, Collective Soul, Perry Farrell, Thom Yorke, The Killers, outras mais alternativas como Iron & Wine, Black Keys, Death Cab For Cutie, Editors, Florence and the Machine, e artistas mais jovens, como Paramore e Bruno Mars. A trilha envolve diferentes gerações e serve para os momentos mais românticos, de adrenalina e de suspense.
 
“A trilha é bem variada e acaba apresentando bandas mais antigas ao público mais jovem, que é sem dúvida a maioria da saga. No meu caso, gostei bastante do Metric, uma banda que eu não conhecia, e da cantora Feist. Das mais novas, Paramore é sem dúvida a minha favorita, e gosto muito da música 'Decode' e de ‘It Will Rain’, do Bruno Mars, que toca quando Edward (Robert Pattinson) e Bella (Kristen Stewart) estão vindo para o Brasil”, diz o estudante paulista Thales de Paula, 17. 
 
A banda Paramore
 
Paramore foi o grande destaque da trilha do primeiro filme com “Decode”, indicada ao Grammy 2010 na categoria de melhor trilha sonora. A música nasceu enquanto a vocalista Hayley Williams lia o primeiro volume do livro. Hayley revelou que a própria banda tomou a iniciativa de apresentar a canção à produção do filme, que não titubeou. Liderado pelo hit, o disco estreou em primeiro no Top 200 da Billboard.
 
Ainda na primeira trilha sonora da saga, o veterano Perry Farrel, que já requebrava nos palcos bem antes de muitos dos fãs de Crepúsculo terem nascido, colaborou com uma nova composição, “Go All The Way (Into the Twilight)” – segundo ele, uma canção sobre “emoções intensas”. 
 
“A música captura aquela sensação adolescente, quando um jovem garoto, que está atrás de uma garota da qual ele realmente gosta, finalmente consegue tê-la", disse Farrel. A canção inédita foi um pedido da diretora do filme, Catherine Harwicke, fã declarada do cantor.
 
O grupo Florence & The Machine também colaborou com “Heavy in Your Arms” (veja o clipe abaixo), criada exclusivamente para o filme Eclipse. A cantora Florence Welsh explicou que a música fala sobre um dos temas principais da saga: o peso do amor, que, para ela, é uma temática frequente na série. 
 
 
A cantora americana Christina Perri, 26, é outro destaque com a música “A Thousand Years”, que embala o caminho de Bella ao altar. A faixa aparece nas trilhas de Amanhecer –Parte 1 e Parte 2. Perri é fã declarada da saga e já declarou que, para ela, o romance de Edward e Bella é como o de Romeu e Julieta. Assista ao clipe da canção abaixo:
 
 
"A que eu mais gostei foi a trilha do primeiro filme e a de Amanhecer – 1, pois acho que as músicas desses têm mais a ver com o clima do filme", diz a estudante Luana Vidal, 18. 
 
"A própria autora dos livros revelou que a música da banda Muse foi superimportante para ela compor algumas cenas. Gosto da banda, e tanto as letras quanto a sonoridade têm muito a ver com os acontecimentos, o clima de fim de mundo, apreensão e reviravoltas que o filme dá", completa a estudante.
 
O trio britânico Muse
 
O trio britânico contabiliza o maior número de participações na trilha da saga: três vezes no total, com direito a uma música feita especialmente para Eclipse, “Neutron Star Collision – Love Is Forever”.
 
“Estou ansioso pelo episódio final, e pelo que ouvi da trilha, vai ser emocionante. Achei o disco anterior mais meloso, com músicas mais românticas, mas o do Amanhecer – Parte 2 soa diferente”, comenta Thales.
 
A parte final de Crepúsculo traz Green Day (“The Forgotten”), Passion Pit (“Where I Come From”), Feist (“Fire in the Water”), entre outros, em músicas bem introspectivas, com o típico clima de melancolia que se espera no final de uma saga como essa. No entanto, também traz bandas desconhecidas do grande público. Ou seja, é um disco nem tão mainstream, nem muito indie.
 
Entre os menos conhecidos estão Paul McDonald, com a balada "All I've Ever Needed", o grupo de electro pop The Boom Circuits, com a música "Everything And Nothing” (uma balada que não combina tanto com o restante do trabalho da dupla), e St. Vincent, codinome da multi-instrumentista Annie Erin Clark, que interpreta a obscura "The Antidote". Pode ter certeza de que a canção foi escolhida para um momento não tão feliz do longa.
 
CURIOSIDADES DAS TRILHAS
 
*Rob Pattinson teve uma música de sua autoria gravada pela primeira vez na trilha sonora do primeiro filme da saga. Trata-se da canção “Never Think”. Cantando, o ator faz um estilo Damien Rice, capaz de enlouquecer as fãs… 
 
*A protagonista Kristen Stewart escolheu uma faixa a dedo para integrar a primeira parte da série: "Flightless Bird, American Mouth", de Iron & Wine, grupo do cantor Samuel Beam. A música embala a dança do casal protagonista ao final do filme.
 
*Muse e Paramore são as bandas que mais participaram das trilhas da saga. O Paramore contribuiu com duas músicas no primeiro filme: “Decode” e “I Caught Myself”. Já o Muse aparece três vezes, em Twilight (“Supermassive Black Hole”), Eclipse (“Neutron Star Collision – Love Is Forever”, exclusiva para o filme) e Lua Nova (remix de “I Belong to You”).
 
*As músicas do trio britânico Muse inspiraram muitas cenas do filme Lua Nova, conforme revelou a escritora Stephenie Meyer, autora dos livros. Ela chegou até a criar uma playlist com canções do conjunto para que os leitores ouvissem enquanto liam os títulos. 
 
*A atriz Nikki Reed, que interpreta Rosalie Hale em Amanhecer – Parte 2, mostra seus dotes de cantora na balada "All I've Ever Needed", fazendo backing vocal da música do marido, o cantor Paul McDonald.
 
 
Recomendamos para você