Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 30.11.-0001 30.11.-0001

Talese e a elegância

Por Bruno Dorigatti
Foto de Tomás Rangel

Tempo, paciência e boa apresentação. E estar lá. Para o jornalista Gay Talese, autor de clássicos do jornalismo literário como “”Frank Sinatra está resfriado””, A mulher do próximo (Companhia das Letras), O reino e o poder (Companhia das Letras) – sobre a história do New York Times – e Os honrados mafiosos (Expressão e Cultura), estes seriam os principais requisitos para uma boa reportagem. Com elas, você consegue obter todo o necessário para um bom texto, ainda que não consiga ter acesso a pessoa que está retratando. Talese não conversou com Sinatra, mas conseguiu fazer o melhor perfil do cantor, texto clássico publicado originalmente na Esquire que integra também a coletânea Fama e anonimato (Companhia das Letras). [Leia a reportagem no original em inglês aqui] 


Talese e sua “”conferência exclusiva”” durante a coletiva de imprensa


 
Em sua entrevista coletiva na 7. Flip, Talese praticamente fez uma conferência para a sala repleta de jornalistas que por aqui estão. Respondeu a, se tanto, quatro perguntas e em cada uma delas, repassou sua história, e a história de algumas reportagens. Comentou sua viagem a China, em 1999, quando foi atrás da jogadora de futebol da seleção feminina que perdeu o pênalti na Copa do Mundo daquele ano nos Estados Unidos, em texto que acabou por tratar das mudanças que o país enfrenta nesse início de século; abordou a história de seu pai, italiano da Calábria que migrou para os Estados Unidos nos anos 1920; e tratou da sua trajetória, quando bateu na porta do New York Times, recém-formado, para pedir um emprego, por conta de um suposto primo de um dos diretores do jornal, que conheceu no Alabama, onde cursou jornalismo. Histórias todos incluídas em seu mais recente livro publicado no Brasil, Vida de escritor (Companhia das Letras), onde intercala sua biografia com reportagens que nunca conseguiu publicar, com certa predileção e grande curiosidade em focar nos fracassos e derrotas, sejam as suas ou de seus personagens. 
Gay Talese conversa com Mario Sérgio Conti na mesa Fama e Anonimato no sábado, as 17h.
Recomendamos para você