Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 22.01.2010 22.01.2010

Sucesso de demissões

Por Vinicius Valente

O ato de demitir alguém realmente não é um dos trabalhos maisprazerosos do mundo. Mesmo se o anúncio da notícia for feito com jeito edelicadeza, é preciso estar sempre preparado para choros, gritos e, até mesmo,agressões. Talvez seja por isso que Jason Reitman contratou George Clooney paradesempenhar esse papel em seu novo filme. Para não ter problema com asdemissões dos personagens de Amor semescalas, que estréia nesta sexta-feira, 22, nos cinemas brasileiros, odiretor apostou no charme do galã como uma arma secreta para evitar possíveisconfusões. O público feminino agradece.

Na trama, Clooney interpreta Ryan Bingham, um executivobem-sucedido que passa a maior parte do seu tempo em cabines de avião e saguõesde aeroportos. Seu trabalho? Dar a dolorosa notícia para futuros ex-empregadosde empresas que estão realizando demissões em massa. Os diretores quecontratam seus serviços esperam ainda que Bingham tente convencer osfuncionários de que ficar desempregado pode ter seu lado positivo.

A experiência em lidar com incontáveis trabalhadores emmomentos de fraqueza, somado ao tempo excessivo que passa em viagens sóculminaram por tornar o executivo em um homem frio e insensível. Passou a nãose abalar com a crueldade de seu trabalho e perdeu contato com a própriafamília. Porém, a história do personagem de Clooney começa a dar umareviravolta devido a alguns acontecimentos simultâneos que o deixamfragilizado e o levam a refletir sobre sua vida. Suas duas irmãs entram emcontato, avisando que uma delas vai se casar. Paralelamente, ele conhece aexecutiva Alex (Vera Farmiga), com quem se relaciona. O envolvimento entre osdois é facilitado pelo fato de ela ser sua versão feminina, dotada depersonalidade semelhante em todos os aspectos. Por último, chega à sua empresaa jovem executiva Natalie Keener (Anna Kendrick), que pretende revolucionar osmétodos de trabalho, sugerindo até demissões via internet.

Amor sem escalas foio líder de indicações para a 67ª premiação do Globo de Ouro, realizada em meados de janeiro. Porém, o longaindicado para seis categorias faturou apenas o troféu de “Melhor roteiro”. Emdezembro de 2009, no National Board Review, considerado como primeiro grandeprêmio da temporada do Oscar, o longa faturou o prêmio de “Melhor filme”. 

 A história de Ryan Bingham recebeunovamente seis indicações – dentre elas a de “Melhor filme” –, desta vez para oprêmio BAFTA da Academia Britânica de Cinema e Televisão, que ocorre no dia 21de fevereiro. Amor sem escalas éconsiderado um forte candidato ao Oscar 2010, que ocorre no dia 7 de março. Alista com as indicações será divulgada no dia 2 de fevereiro.

O diretor Jason Reitman tem no currículo os comentados Juno (2007) e Obrigado por fumar (2005). Antes do lançamento, chegou a declararque temia a possibilidade das expectativas positivas prejudicarem a trajetóriado novo filme. No entanto, levando em consideração o número de indicações epremiações obtidas até o presente momento, parece que o receio do diretor caiupor água a baixo.

Não se pode deixar de destacar o fato de que o Amor sem escalas é fruto de um trabalho em família. O pai de Jasone conceituado diretor de obras como Oscaça-fantasmas e Recrutas da pesada,Ivan Reitman, trabalhou na produção do longa.

Vale a pena conferir o resultado do trabalho dosReitmans.

> Confira o site oficial do filme

> Confira o livro de Walter Kirn que deu origem ao filme

> Assista ao trailer de Amor sem escalas





Share |

Recomendamos para você