Bel Sanmax por Bel Sanmax HQ 28.12.2018 28.12.2018

O legado de Stan Lee, o maior ícone dos quadrinhos

Stan Lee, o homem, o artista, a lenda dos quadrinhos e dos maiores sucessos de bilheteria. Nascido no dia 28 de dezembro de 1922, Stanley Lieber, seu nome de batismo, é o responsável pelo legado dos heróis da Marvel como conhecemos hoje. Ele faleceu no dia 12 de novembro de 2018.

Para celebrar Lee, que tem mais de 129 créditos em filmes, graças às suas participações especiais nos filmes da Marvel, o blog da Saraiva selecionou os fatos mais curiosos sobre o criador do universo de heróis.

Origens

Stan Lee iniciou sua carreira na editora Timely Comics, como assistente, em 1939. O primeiro trabalho de roteirista de sua carreira, em 1941, foi um conto sobre o Capitão América, ilustrado por Jack Kirby, que no futuro seria o co-responsável por criar alguns dos principais heróis da Marvel.

Os quadrinhos de super-heróis passariam por uma crise na década 1950. Além da preferência dos leitores voltar-se para temas como  ficção científica, faroeste e terror, o ambiente influenciado pela macarthismo, uma onda de puritanismo e intolerância entre a sociedade norte-americana no período pós-guerra, também pesou contra artistas como Lee. Políticos e “puritanos” religiosos apontavam nas HQs de heróis fonte de influências negativas para os jovens. HQs foram queimadas em fogueiras públicas, e a polícia organizava batidas nas editoras.

Foi na mesma época que a Timely (rebatizada de Atlas Comics), que havia sido fundada por um primo de Lee, Martin Goodman (marido da prima de Lee, Jean), passava por grandes dificuldades, dependendo de um acordo de distribuição com a rival DC Comics para sobreviver. 

No cânon das HQs, diz-se que foi o editor-chefe da DC, Jack Liebowitz, que deu a Martin Goodman a ideia de “ganhar dinheiro com um quadrinho que juntava vários heróis”, assim como a DC fazia com a Liga da Justiça – título que vendia muito bem para os padrões da época. A suposta sugestão sarcástica para “salvar” a Atlas (antiga Timely) foi acatada por Goodman.  Em 1961, nascia a Marvel Comics. 

Stan Lee's Master Class - Lessons In Drawing, World-Building, Storytelling, Manga, And Digital Comics From The Legendary

Stan Lee's Master Class - Lessons In Drawing, World-Building, Storytelling, Manga, And Digital Comics From The Legendary (Cód: 9982225)

R$112,10 em até 3x de R$ 37,37 sem juros Quero este produto

Heróis Renascidos

Marvel’s Spider Man

A edição Número 1 de Quarteto Fantástico, a primeira criação de Lee no universo de super-heróis, apresentava uma família com superpoderes, liderada por um  cientista, que lidava com monstros, vilões e seus próprios conflitos de personalidade, sem nunca perder o ar cômico e sarcástico. As obras que se seguiram, como O Espetacular Homem-Aranha e X-Men, revitalizaram o gênero de quadrinhos de heróis, que então passaram a incorporar os gostos mais amplos do público da época, como batalhas  galácticas.

Homem-Aranha: Antologia

Homem-Aranha: Antologia (Cód: 9923060)

R$120,00 em até 4x de R$ 30,00 sem juros Quero este produto

As mais revolucionárias e impactantes contribuições de Lee, no entanto, não eram os enredos, os combates ou os poderes, mas o fato de seus heróis terem falhas e questionamentos, dor e angústia, assim como os leitores. Lee frisava o lado humano e as batalhas internas eram tão relevantes quanto as externas. Foi a empatia dos leitores com as criações de Lee que moldaram o legado da Marvel.

Os super-heróis de O Quarteto Fantástico não eram infalíveis, mas sempre superavam os desafios porque, antes de tudo, eram uma família unida.

O DNA dos personagens criados por Lee sempre seguiu essa linha.

Algumas curiosidades sobre os heróis “quase-reais” que nasceram da imaginação de Lee:

  • Na primeira versão de Thor, ele tinha a identidade secreta de Donald Blake, um médico deficiente físico, e usava sua bengala para se transformar no Deus do Trovão.
  • O Homem de Ferro, possivelmente o herói mais conhecido e querido da Marvel contemporaneamente, é alcoólatra, egocêntrico e sem capacidade emocional de se comprometer em um relacionamento adulto (coitada da Pepper Pots, quanto tempo ela teve que esperar o amadurecimento de Tony Stark!).
  • Peter Parker, o Homem Aranha, sempre foi um nerd inseguro e tímido na escola, e carregava a dor de perder os pais.
  • O Demolidor é cego devido a um acidente, mas é a falta desse sentido que faz o advogado potencializar outras capacidades.
  • O primeiro Super-Herói negro, o Pantera Negra, obra de Lee, apareceu pela primeira vez em 1966, no auge do movimento pelos Direitos Civis nos Estados Unidos. 
  • Antes do ‘nascimento’ de Pantera Negra, personagens que se posicionavam contra o preconceito e racismo figuravam nas páginas de X-Men. O Professor Xavier e Magneto são apontados como representações das ideologias de Martin Luther King e Malcolm X.
  • Stan Lee nunca participou da Guerra Marvel DC. Ele inclusive chegou a escrever roteiros para a DC, quando a Marvel  estava à beira da falência. Lee recriou a origem de alguns dos principais heróis da DC, como Batman, Superman e Mulher-Maravilha
  • Sempre em busca de inspiração e de elementos vanguardistas nas tramas, Lee fez uma parceria com um dos maiores artistas de quadrinhos europeu, o francês Jean Giraud, também conhecido como Moebius.  Juntos eles criaram a graphic Novel “Parábolas”, estrelada pelo Surfista Prateado, o personagem mais existencialista e ‘cabeça’ da Marvel.

 

Recomendamos para você