Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 25.05.2009 25.05.2009

Sinal verde para o blu-ray

Assim como a indústria do cinema, o mercado fonográfico entra na era da alta definição e começa a apostar no blu-ray. A gravadora Universal Music já se prepara para lançar nos próximos dias no Brasil, no novo formato, os atuais registros de shows de Stevie Wonder (Live at Last, gravado em arena de Londres em duas apresentações da turnê A Wonder Summer’s Night) e de Diana Krall (Live in Rio, captado em 1º de novembro de 2008 na casa carioca Vivo Rio). Estes títulos vem se somar aos vários blu-rays já editados pela Sony Music, a gravadora que, por ora, mais aposta no formato. A Sony  já pôs à venda no mercado nacional blu-rays de John Mayer (Where the Light Is – Live in Los Angeles), Celine Dion (A New Day – Live in Las Vegas) Justin Timberlake (FutureSex / Lovershow – Live from Madison Square Garden ) e do brasileiríssimo Roberto Carlos (En Vivo, que registra show gravado em Miami). Salvo algum imprevisto mercadológico, o blu-ray vai mesmo substituir o DVD. Contudo, a transição deverá ser lenta. Primeiro, porque o preço dos aparelhos ainda está alto (o de uma marca conhecida ultrapassa os R$ 1 mil). Segundo, porque o preço do blu-ray em si – cerca de R$ 90 – ainda está pouco atraente para o público de classe média que consome regularmente DVDs. Nos próximos anos, portanto, DVDs e blu-rays ainda vão conviver harmoniosamente nas prateleiras. Contudo, um fator pode apressar a popularização do vídeo de alta definição: o aparelho de blu-ray toca também DVD. Em bom português, ninguém vai precisar aposentar suas coleções de DVDs como aconteceu na passagem do vinil para o CD. E, de mais a mais, tudo caminha para a alta definição. E não é por acaso que já há artistas, como Ritchie, gravando projetos (Outra Vez – Ao Vivo no Estúdio) já idealizados para edição em blu-ray.

Recomendamos para você