Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 13.08.2010 13.08.2010

SEXTA-FEIRA 13 NA BIENAL DE SP

O Pavilhão de Exposições do Anhembi – onde estão instalados mais de 350 expositores da 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo – já estava repleto de estudantes quando foi anunciada a abertura oficial do evento, com palestra de José Mojica Marins sobre o seu personagem Zé do Caixão.

No Salão de Ideias Clarice Lispector, cerca de 150 crianças (e três adultos com máscaras de porquinhos) lotaram a palestra do ícone do horror brasileiro nesta sexta-feira 13. Após uma breve introdução do coordenador de programação cultural da Bienal, Ricardo Daumas, o convidado José Mojica Marins foi apresentado pelo jornalista Alexandre Fernandes.

José Mojica Marins deu um berro no microfone assustando a plateia que reagiu com gritos histéricos. Antes de começar a conversa, Mojica falou sobre os livros de terror:

“”Resolvi escrever histórias de horror que pudessem ser lidas por crianças e adolescentes. A maior parte desses escritos fazem parte do meu imaginário infantil. E na adolescência, eu tive um sonho que era arrastado para um túmulo, quatro dias depois criei o meu personagem, Zé do Caixão””

As perguntas do público se repetiam em torno das histórias de vampiros de filmes holliwoodianos, inspirados na saga Crepúsculo, da escritora americana Stephenie Meyer.

“”As pessoas cismaram com essas fitinhas de boiolas…””

Antes de responder outras perguntas, José Mojica Marins alertou:

“”Pergunta inteligente, resposta inteligente…  Lembre-se que hoje é sexta-feira 13, faça uma experiência diferente. Meia-noite, num quarto escuro, fique de frente a uma parede branca e chame por pessoas que já partiram para o outro lado. Poucos sobrevivem a essa experiência…””

> Confira algumas perguntas feitas pela plateia

O que você pensa sobre a onda de vampiros na ficção?

Zé do Caixão. São vampiros boiolas, não posso apoiar isso. Temos nossas lendas, nossos folclores, nossas macumbas… Temos uma cultura mais forte.

A política do Brasil está mais para terror ou comédia?

Zé do Caixão. Esse é um assunto chato. Nem terror, nem comédia… Nossa política é bizarra. Realmente, eu vejo a política como um inferno!

O mundo vai acabar no dia 21 de dezembro de 2012?

Zé do Caixão. Segundo a ciência, um meteoro está a caminho da terra. Eu não diria o fim, mas se ele não for destruído, vai ter muito maremoto, terremoto… Tem gente fazendo casa no subsolo. Vai aconcentecer muita coisa. Temos que nos precaver, procurar um desses túneis. Mas não vai ser o fim do mundo não…

Do que mais você tem medo?

Zé do Caixão. Sou um homem de família, tenho mulher e filhos… Tenho medo do que virá no dia seguinte.

Você lembra de alguma lenda que tenha marcado sua vida?

Zé do Caixão. Eu me considero uma lenda!

Recomendamos para você