Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 18.03.2013 18.03.2013

Segredos e histórias de fã-clubes – Parte 2

Por Eduardo Lemos e Yuri de Castro
Conheça a história de Kakau Brambatti, do FC Amor Além da Vida, dedicado ao Luan Santana
Nome completo:  Ana Claudia Alves Brambatti
Quando fundou o fã-clube: 2009
Idade: 18 anos
Cargo: presidente e fundadora do FC Amor Além da Vida Oficial
Quando começou a admiração pelo Luan Santana?
Ana Claudia Alves Brambatti. Começou há quatro anos, quando uma prima minha de Rondônia veio passar férias aqui em Vitória (ES) e trouxe no seu mp3 algumas músicas na voz do Luan. Lembro de ouvir e gostar muito de faixas como “Falando Sério”, “Sufoco”, “Amor Impossível”, “Sonho”. Daí, quando ela foi embora, eu pesquisei mais músicas dele e fui me apaixonando pelas melodias e letras.
Como é o modo de atuação do fã-clube?
Ana Claudia Alves Brambatti. Promovemos encontros e reencontros de fãs. Inclusive, quando tem os encontros, outros FCs se juntam também, o que damos o nome de Encontro da Família Luan Santana. Além de divulgarmos os shows, aparições na TV e clipes através do Twitter, Facebook e dos blogs.
Você sabe quantos membros o fã-clube tem?
Ana Claudia Alves Brambatti. Não tenho o número exato. Somos muitos!
Qual a principal função de um fã-clube?
Ana Claudia Alves Brambatti. A principal função de um FC é obter informações e também informar atividades do ídolo. Além, é claro, de poder cada vez mais unir pessoas que têm o mesmo gosto, o mesmo interesse e objetivo, que lutam pelo mesmo ideal. Pessoas que não têm vergonha de bater no peito e admitir que são fãs, que enfrentam tudo e todos pra defender o Luan. A gente tem que fazer de tudo para que aquele sorriso lindo, que só o meu menino tem, jamais desapareça daquele lindo rosto de bebê (risos).
Sonho realizado: Ana Claudia encontra seu i´dolo
Qual foi a maior loucura que você já fez por ele?
Ana Claudia Alves Brambatti. Quando se trata do Luan, eu faço qualquer coisa! Já fui expulsa de shopping, já tomei sete tiros de borracha, já quase caí da ponte. Já fui impedida pelos meus pais e pela polícia, em plena rodoviária de Vitória, num ato de fuga para a gravação do DVD do Luan. Recentemente, tatuei “Luanete” no braço e pretendo tatuar a frase “Pois Só Quem Sonha Consegue Alcançar”!
Ana Claudia Brambatti, fa~ de Luan Santana, tatuou seu amor pelo cantor sertanejo
Conheça a história de Edson dos Santos, do FC Guilherme Arantes Registro
Nome completo:  Edson dos Santos Júnior
Quando fundou o fã-clube: 01/01/1982
Idade: 50 anos
Cargo: presidente e fundador do Fã-clube Guilherme Arantes Registro
Quando começou a admiração pelo Guilherme?
Edson dos Santos Júnior. Já curtia o som do Guilherme Arantes desde 1976, quando vi a carreira solo dele começar. Em 1979, me mudei para Minas Gerais. O fã-clube teve início a partir de um show que o Arantes deu aqui na minha cidade, Varginha. Vi que ele tinha muitas músicas bacanas e que eu não conhecia. Passei a ver o trabalho dele como algo bem pop e agradável. Daí, decidi fundar o “Fã-clube GA Registro”. Isso foi em Janeiro de 1982. Saí catando todos os discos para comprar: compactos, LPs, K7 e os discos de outros intérpretes também, que gravaram as suas músicas.
Vocês tinham sede, carteirinha, esse tipo de coisa?
Edson dos Santos Júnior. A sede sempre foi em Varginha (MG). Mas sempre realizamos reuniões em São Paulo e Campinas, com os amigos que fizemos por cartas que chegavam à nossa caixa postal, divulgada em revistas de música e televisão. Em 1987, criamos um fanzine para divulgar a carreira dele e os shows. Nasceu o “Fanzine Lance Legal”, que era digitado em máquina de escrever, depois fazíamos a redução em xerox e montávamos uma matriz em sulfite. As cópias eram feitas em xerox e postadas via Correio.
Como era o modo de atuação do fã-clube?
Edson dos Santos Júnior. Nos comunicávamos por cartas e telefonemas. Realizávamos reuniões presenciais – até hoje fazemos isso. A próxima é no Rio de Janeiro, neste ano.
Edson e Guilherme Arantes: parceria de quase 40 anos
Você lembra quantos membros o fã-clube chegou a ter?
Edson dos Santos Júnior. Nossa média de cadastro é de 10 mil participantes. Hoje, muitos estão em redes sociais também. A internet facilitou muito essa comunicação.
Como era a relação com Guilherme naquela época?
Edson dos Santos Júnior. No início não havia contato. E fomos atrás disso. O Guilherme Arantes foi superatencioso desde o princípio. Passamos a nos comunicar por carta, fax e telefonemas, o que ocorre até hoje. Ele nos passa muita informação e material. Ele curte esse trabalho e já tornou isso público várias vezes. Procuramos também contato com as gravadoras. Elas sempre nos apoiaram e contribuem com material promocional.
Qual a principal função de um fã-clube?
Edson dos Santos Júnior. Divulgar e ajudar o artista. Fornecer material pra ele mesmo, sempre que precisa disso, já que temos na coleção todo tipo de coisa.
O fã-clube existe há 31 anos. Como ele se adaptou à era da internet?
Edson dos Santos Júnior. Logo que a internet ficou disponível para pessoas físicas comuns, fomos um dos primeiros a usar o serviço, em benefício do fã-clube.
Qual história envolvendo o fã-clube você nunca mais esqueceu?
Edson dos Santos Júnior. Com certeza, a primeira vez que a gente o convidou para uma entrevista, antes de um show aqui em Varginha, em 1988. Ao final, ele perguntou se podia ir à minha casa ver o material do fã-clube. Foi superlegal. Na manhã seguinte, ele estava em casa tendo conhecimento do arquivo.
Qual foi a maior loucura que você já fez por ele?
Edson dos Santos Júnior. A maior loucura que faço é de não medir gasto financeiro quando eu preciso adquirir alguns discos. Temos no arquivo discos lançados em Portugal, Argentina e Estados Unidos!
LEIA A PRIMEIRA PARTE DA MATÉRIA CLICANDO AQUI!
Recomendamos para você

Os produtos Saraiva mais comentados