Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 23.09.2009 23.09.2009

Saraiva e Fox lançam a exclusiva Cinemateca Saraiva

A Saraiva, em parceria com a distribuidora Fox Home Entertainment, acaba de lançar a Cinemateca Saraiva, coleção de DVDs com o melhor do cinema de todos os tempos, com venda exclusiva nas livrarias e site do grupo. Cada DVD custará R$ 24,90. A cada mês, serão lançados três títulos. 
O trio que abre a coleção inclui A luz é para todos (filme de 1947, dirigido por Elia Kazan e com elenco encabeçado por Gregory Peck), Viva Zapata! (produção de 1952, também dirigida por Kazan e estrelada por Marlon Brando) e Glória feita de sangue (longa de 1957, dirigido por Stanley Kubrick e com Kirk Douglas no papel principal). A seleção, que tem dramas dos anos 50, musicais, clássicos de guerra, western e verdadeiros achados dos estúdios MGM, foi feita pelo crítico de cinema carioca Rodrigo Fonseca, do jornal O Globo. Ao final, a coleção terá um total de 24 DVDs e serão disponibilizadas duas caixas com 12 títulos cada uma. (Por Eduardo Simões)
Confira as sinopses:
A luz é para todos 
Em diálogo com o romance Gentleman´s Agreement, de Laura Z. Hobson (1900-1986) o cineasta Elia Kazan (1909-2003) elaborou uma reflexão sobre a intolerância religiosa que lhe rendeu o primeiro de seus três Oscar. Além da estatueta de direção, dada a Kazan, o longa-metragem conquistou a de melhor filme ao expor a histeria antissemita que assolaria a classe média americana até meados dos anos 1950. Gregory Peck (1916-2003), um ícone da infabilidade heróica, assombrou platéias ao injetar determinação à figura do repórter Philip Schuyler Green, em sua perseverança para denunciar um crime moral de sua sociedade, Kazan fez o realismo avançar no cinema americano, elaborando um espetáculo capaz de gerar perplexidade até hoje.

Glória feita de sangue 

Depois de duas incursões seguidas pela seara do policial noir, A morte passou por perto (1955) e O grande golpe (1956) o nova-iorquino Stanley Kubrick resolveu se voltar para o front da Primeira Guerra Mundial a fim de realizar uma reflexão sobre a ética nos campos de batalha. De posse do romance Paths of Glory, de Humphrey Coob, o cineasta que atravessou o fim da década de 1940 trabalhando como fotógrafo da revista Look, recriou as trincheiras francesas de 1916 com um realismo impressionante. Em meio a explosões e tiroteios, este conto moral ganha força na interpretação memorável de Kirk Douglas como o coronel Dax, um ex-jurista que se oferece para defender um grupo de soldados injustamente acusados de motim e covardia. Os diálogos e o trabalho de Douglas preservam a atualidade deste ensaio sobre a brutalidade.
Viva Zapata! 
Um ano depois do sucesso de Uma rua chamada pecado(1951) filme que se projetou Marlon Brando (1924-2004) para a estrada da mitificação, o astro e o diretor Elia Kazan (1909-2003) voltaram a unir forças para realizar um épico político sobre o processo de emancipação do México como nação. Baseado em um roteiro de John Steinbeck (1902-1968), autor de as Vinhas da Ira, Kazan empregou elementos sa cartilha do faroeste para injetar adrenalina à saga do guerrilheiro mexicano Emiliano Zapata Salazar (1879-1919) que defendeu os direitos de seu povo contra a aristocracia falida de sua pátria. Brando tem uma interpretação lendária como Zapata que agradou até a intelectualidade marxista que rejeitava a produção de Hollywood. O desempenho de Anthony Quinn (1915-2001) como irmão de Emiliano, Eufemio, foi reconhecido com um merecido Oscar de coadjuvante. Quem optar pela versão brasileira, vai se deliciar com o competente trabalho do dublador Ezio Ramos cedendo a voz a Brando.
Trailers dos filmes e mais informações na página exclusiva da Cinemateca Saraiva

Recomendamos para você