Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo HQ 08.11.2010 08.11.2010

Rio Comicon, quadrinhos em destaque e debate

Por Bruno Dorigatti 

Quatorze anos depois, o Rio de Janeiro volta a sediar um grande evento dedicado aos quadrinhos. A Rio Comicon, que começa nesta terça, 09 de novembro e segue até o domingo, 14, sempre das 13h às 22h, promete movimentar e atrair para a Estação Leopoldina (Av. Francisco Bicalho, s/n), no Centro, os aficionados por super-heróis, mas não só. Hoje as HQs não se restringem mais apenas a personagens com superpoderes, capazes de livrar o mundo do mal e da destruição. Processo que lentamente vem se expandindo pelo Brasil e pelo mundo afora, os quadrinhos e as graphic novelscada vez mais vem tratando e abordando temas os mais variados, com personagens comuns, humanos e histórias que transcendem o imaginário que ajudou a nona arte a se estabelecer mundo afora na primeira metade do século XX. Hoje, os quadrinhos são usados para narrar histórias jornalísticas, biografias ou mesmo ficção, com qualidade gráfica e narrativa que vem se aprimorando e conquistando espaço e leitores na última década, pelo menos. 

Na Rio Comicon, que se inspira em eventos do gênero que acontecem mundo afora, como a San Diego Comic Con, Nova York Comic Con e Napoli Comic Con, há espaço para todos os gêneros, desde nomes consagrados como o italiano Milo Manara e suas HQs eróticas, o inglês Kevin O´Neill, que, junto com Alan Moore, criou A Liga Extraordinária, a norte-americana Melinda Gebbie, também parceira de Moore em Lost Girls, os franceses Killofer e François Boucq, e os argentinos Lucas Nine e Patrícia Breccia. 

Entre os brasileiros, alguns dos principais nomes da arte gráfica sequencial estarão no Rio para debater, participar de lançamentos e desenhar com a plateia. Desde Mauricio de Sousa e Ziraldo, passando por Angeli, Laerte, Ota e Lourenço Mutarelli, e chegando à geração mais recente, de nomes como Allan Sieber, Guazzelli, Fido Nesti, os gêmeos Fábio Moon e Gabriel Ba, Rafael Grampá e Rafael Coutinho. Haverá ainda um espaço para os quadrinhos independentes de todo o país. 

Além dos encontros e debates entre quadrinistas e cartunistas, a Rio Comicon terá mostra de filmes e animações, exposições, oficinas, plataforma dos desenhistas, onde os autores vão desenhar enquanto conversam com o público, lançamentos, shows e estandes com produtos pop e espaços para artistas independentes. Entre os filmes, destaque para o lançamento de Malditos cartunistas, sobre o trabalho de artistas brasileiros, The cartoonist: Jeff Smith Bone, sobre o épico personagem de Smith, Bone, hoje fenômeno mundial, e The mindscape of Alan Moore, sobre um dos mais importantes escritores de graphic novel, autor de clássicos como V de Vingança e Watchmen

Entre as exposições, destaque para a individual de Manara, autor do cartaz oficial da Rio Comicon [acima], que vai apresentar aproximadamente 100 obras originais, “desde as pranchas de quadrinhos das obras recentes (Borgia,X-Girls) e das obras mais antigas (Estate Indiana, Le Storie Brevi) até as ilustrações, capas e quadros da série dedicada aos modelos, passando pelo trabalho na imprensa e na publicidade, e apresentando por fim a seção mais importante, que se concentra na relação, estreita, com outro maestro do panorama cultural italiano: o grande diretor Federico Fellini. Essa colaboração entre Manara e Fellini é provavelmente a mais bem-sucedida entre a sétima (o cinema) e a nona arte (o quadrinho)”, como informa o site do evento. Outra exposição é A Pátria Desenhada, que vai reunir dez histórias que procuram recontar os 200 anos da independência da Argentina através dos quadrinhos, com relatos ficcionais e construções imaginárias de alguns dos principais nomes daquele país. Alguns dos autores convidados também apresentam suas obras no evento, entre eles Guazzelli, Etienne Davodeau, Fábio Moon, François Boucq, Gabriel Bá, Kako, Killoffer, Laerte Coutinho, Lourenço Mutarelli, Lucas Nine, Marcelo Lelis, Orlando Pedroso, Patricia Breccia, Rafael Coutinho e Rafael Grampá. E os independentes ganham espaço, com curadoria de Tiago Lacerda, o Elcerdo, editor da revista Beleléu, que vai reunir trabalhos de Recife, Curitiba, Brasília, Porto Alegre, Vitória e Belo Horizonte. Já as oficinas vão abordar temas como roteiro, arte-final, criação de personagens, webcmics, quadrinhos digitais, narrativa, fanzine, anatomia dinâmica, ilustração editorial e avaliação de portfólios.

Realizada pela Casa 21 – responsável pelo Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), principal evento dedicado à nona arte no país, que já teve seis edições, sempre em Belo Horizonte, e também editora, que criou projeto Cidades Ilustradas –, a Rio Comicon promete movimentar a cidade em torno dos quadrinhos nesta semana, que ainda terá diversos outros eventos pela cidade, no que vem sendo chamado de Off Rio Comicon, com lançamentos e exposições de alguns dos presentes na Estação Leopoldina, além de outros artistas que não conseguiram espaço na antiga estação de trem.

> Confira a programação completa no site da Rio Comicon

> Leia mais sobre quadrinhos no SaraivaConteúdo

> Assista às entrevistas exclusivas com algum dos participantes do evento

 

 

 

 

 

 

 

Recomendamos para você