Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 05.12.2013 05.12.2013

Retrô SC 2013 – ‘Heavy Lero’ elege os melhores discos de rock internacional

Por Priscila Roque
 
Toda terça-feira, às 20h, a equipe do Heavy Lero bate cartão em seu canal no YouTube. São 10 minutos de bate-papo com Gastão Moreira e Bento Araujo, produzidos por Edgard Piccoli, sobre o que há de mais interessante e curioso no mundo do rock.
 
O SaraivaConteúdo aproveitou tamanha bagagem e inspiração desse grupo para listar quais foram os discos de bandas internacionais lançados este ano que eles mais gostaram. Não faltaram clássicos, novatos e alternativos. Veja quais foram os favoritos.
 
SEASICK STEVE – HUBCAP MUSIC
 
Bento Araujo. "Faz apenas nove anos que Steve surgiu para o mundo do disco, por meio do programa de Jools Holland. Aos 72 anos de idade, lançou seis discos. É preciso tirar o atraso, e é essa a exata sensação transmitida em Hubcap. Canjas de John Paul Jones, Jack White e Luther Dickinson ilustram ainda mais a trama country blues. Típico sujeito que ainda tem muito a provar, e o melhor é que ele tem plena consciência disso."
 

Ouça também: Seasick Steve – Walkin' Man

BLACK SABBATH – 13

 
Lançado em junho deste ano, 13 marcou o retorno de Ozzy Osbourne, Tony Iommi e Geezer Butler juntos aos estúdios. Isso não acontecia desde Never Say Die!, de 1978. O álbum ainda teve a participação de Brad Wilk, baterista do Rage Against the Machine.
 
Gastão Moreira. "[Os integrantes do Black Sabbath] voltaram para ensinar como é que se faz."
EELS – WONDERFUL, GLORIOUS
 
Edgard Piccoli. "Vi esses caras ao vivo num pub em Seattle [Estados Unidos] pouco depois de sua formação e do lançamento do disco de estreia Beautiful Freak. Isso foi em 1997 e, nessa apresentação, já rolaram alguns sons de Electro Shock Blues, álbum de 1998 que viria a ser considerado por muitos o pontapé inicial na definição da identidade da banda liderada por Mark Oliver Everett. Até Wonderful, Glorious, de 2013, muito se passou com essa banda, mas diria que chegam à atualidade com maturidade no som, sem soar pedante ou rançoso – pelo contrário, o que se ouve nesse disco tem o frescor inventivo da melhor e mais nova banda indie de baixa fidelidade."
 
Ouça também: Eels – Soul Jacker
 

EARTHLESS – FROM THE AGES

 
Bento Araujo. "O power trio de San Diego [Estados Unidos] está de volta depois de seis anos. É chavão dizer que a espera valeu a pena, mas isso é a mais pura verdade quando os primeiros riffs de “Violence of the Red Sea” ecoam dos falantes. Quatro longos temas, com a faixa-título ultrapassando os 30 minutos, e encerrando a sessão ultrassônica de maneira apocalíptica. [Na capa do álbum] mais uma arte gráfica épica de Alan Forbes."
 
Ouça também: Earthless – Sonic Prayer
DAVID BOWIE – THE NEXT DAY
 
Edgard Piccoli. "Uma das vozes mais bonitas do rock. Bowie voltou a gravar e lançar material novo. Sorte nossa! O que dizer? Não muito… Só reafirmar a importância desse sujeito elegantemente transgressor."
DEAP VALLY – SISTRIONIX
 
Esse duo californiano formado em 2011 é composto por Lindsey Troy (vocal e guitarra) e Juliey Edwards (vocal e bateria), que se conheceram durante uma aula de crochê! O primeiro álbum da dupla traz fortes influências do blues e do rock.
 

Gastão Moreira. "Gostosuras do rock ao quadrado."

 

MOTORPSYCHO – STILL LIFE WITH EGGPLANT

 
Bento Araujo. "Este é o 15º trabalho dessa banda de Trondheim, na Noruega. Chamar a música praticada pelo Motorpsycho de psicodélica é uma afronta, um injusto exercício de limitação perante a sonoridade livre do conjunto. 'Ratcatcher' é a espinha dorsal deste álbum, e talvez a música mais impactante de 2013. Destaque também para a versão de 'August', do Love, de Arthur Lee."
 
Ouça também: Motorpsycho – Serpentine
EVERYTHING EVERYTHING – ARC
 
Edgard Piccoli. "Banda inglesa formada em Manchester [Inglaterra] que vem despejando basicamente música pop categorizada dentro do gênero rock, mais precisamente o que ficou conhecido a partir do som de uma série de bandas alemãs dos anos 1960, como Krautrock. Excelentes músicos, composições muito originais, utilização de sintetizadores e arranjos vocais ouvidos pelas última vez talvez na era do progressivo."
 

THE STEPKIDS – TROUBADOUR

 
Bento Araujo. "Segundo álbum do trio norte-americano, cuja especialidade é mesclar funk, soul e psicodelia. Autobiográfico e conceitual, Troubadour traça as aventuras e desventuras de um personagem na estrada, lidando com o music biz atual. De 'Memoirs of Grey' até 'The Art of Forgetting', o Stepkids parte numa jornada rumo à expansão de seus intuitos, que de modestos não têm nada."
SCORPION CHILD – SCORPION CHILD
 
Originalmente formado em 2006, mas com o primeiro disco editado somente neste ano, o Scorpion Child traz elementos dos anos 1970 com uma leitura atual. O timbre do vocalista Aryn Jonathan Black é frequentemente comparado ao de Robert Plant quando jovem.
 
Gastão Moreira. "Rock 'malvadeza' do Texas."
 
 
Recomendamos para você