Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 13.09.2013 13.09.2013

Quando a era de ouro da indústria pornô inspira o cinema

Por Edu Fernandes

 
Desde os primórdios do cinema, alguns realizadores usam a câmera para mostrar a intimidade entre quatro paredes. O que começou sob o pretexto de educação sexual transformou-se na indústria pornográfica, que teve sua era de ouro na segunda metade do século 20.
 
É nessa época, mais precisamente nos anos 1970, que se passa Lovelace, cinebiografia de Linda Lovelace, uma das mais conhecidas atrizes pornô. O filme chegou aos cinemas brasileiros em 13 de setembro.
 
Linda (Amanda Seyfried, de Os Miseráveis) é uma jovem inocente do interior dos Estados Unidos que cai de amores por Chuck (Peter Sarsgaard, de Lanterna Verde). Ela sai da casa de seus pais e vai morar com o namorado. Depois de casados, descobre que o marido é um cafetão endividado.
 
Para fechar as finanças, aceita uma proposta de Chuck: fazer um filme pornô que tire proveito de seu controle da boca e garganta. A esperança dela é usar a produção como trampolim para uma futura carreira em longas mais tradicionais.
 
O que ninguém na época sabia é que Garganta Profunda (1972), filme estrelado por Linda Lovelace, seria um dos maiores sucessos da indústria pornográfica. Do dia para a noite, a atriz ficou famosa – o que trouxe consequências positivas e negativas para sua vida.
 
Cena do filme O Povo Contra Larry Flint
Por tratar de temas polêmicos e garantir histórias no mínimo curiosas, o mundo da pornografia é frequentemente retratado no cinema, em filmes que se passam na época áurea desse mercado.
 
Enquanto Lovelace resvala na questão dos direitos femininos, O Povo Contra Larry Flint (1996) tem como mote a liberdade de expressão. A fita se inspira nas brigas judiciais reais travadas pelo editor da revista erótica Hustler. As batalhas começaram em 1975.
 
Larry é interpretado no cinema por Woody Harrelson (Assassinos por Natureza), que consegue ser carismático na pele de um hedonista com pouco caráter. O protagonista luta para viver honestamente de sua publicação, cuja legalidade era questionada.
 
Cena do filme Wonderland
Em Wonderland (2003), o foco do roteiro é uma investigação criminal, mas o principal suspeito do assassinato de quatro pessoas é John Holmes. O decadente ex-ator pornô é vivido por Val Kilmer (Planeta Vermelho).
 
Em 1981, o auge da carreira do garanhão tinha ficado para trás. Divorciado, John é um viciado e está em um relacionamento com uma mulher (Kate Bosworth, de Duelo de Titãs) muito mais jovem do que ele. Ao mesmo tempo em que narra a investigação, o longa mostra a corriqueira decadência que acompanha a aposentadoria de uma estrela pornô.
 
Cena do filme Boogie Nights
Apesar de não retratar uma história real, Boogie Nights: Prazer sem Limites (1997) também se passa na era de ouro da pornografia e ilustra bem a época. O protagonista é um homem com um talento muito especial na metade inferior de seu corpo.
 
Eddie (Mark Wahlberg, de Diário de um Adolescente) tem tudo para ser mais um rosto na multidão, mas sua sorte muda ao conhecer um diretor de filmes adultos (Burt Reynolds, de Striptease). Do encontro nasce Dirk Diggler, uma estrela pornô de grande potencial.
 
Veja o trailer de Lovelace:
 
 
 
Recomendamos para você