Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 19.01.2015 19.01.2015

Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire: o que mudou em 12 anos

Por Míriam de Souza
O Game Boy Advance já estava no mercado há um ano no Japão quando recebeu, em 2002, Pokémon Ruby & Sapphire, seus primeiros jogos da franquia.
Agora, 12 anos depois, a Nintendo lança Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire. Os remakes não só reconstroem o continente de Hoenn nos gráficos modernos do Nintendo 3DS como trazem novos recursos. Saiba quais são as principais novidades e por que vale a pena conhecer as novas versões.
RENOVANDO O VISUAL DA SÉRIE
Quando lançados em 2002, Ruby & Sapphire revolucionaram o visual da franquia. As gerações anteriores, Red & Blue e Gold & Silver, tinham saído para o Game Boy e o Game Boy Color, respectivamente, e mantinham um visual mais pixelizado. Os novos games, no entanto, traziam cenários elaborados, com bom uso de sombras e até reflexos na água. Agora, o remake usa gráficos 3D semelhantes aos de Pokémon X & Y, primeiros títulos da série no Nintendo 3DS.
NOVAS MEGAEVOLUÇÕES
Os monstrinhos iniciais de Ruby & Sapphire continuam os mesmos: o jogador escolhe entre Torchic (fogo), Treecko (grama) e Mudkip (água). Agora, todos eles terão megaevoluções de suas últimas formas. O recurso, que foi implementado em X & Y, também aparece no remake. Além das 28 megaevoluções dos últimos títulos do Nintendo 3DS, haverá acesso a novas formas de 20 Pokémons, como os iniciais, Beedril, Pidgeot, Rayquaza e Sableye.
A evolução gráfica é um dos principais atrativos
FORMAS ANCESTRAIS
Uma novidade exclusiva dos remakes é a primal reversion. Esse processo, que é semelhante à megaevolução, faz com que Pokémons ancestrais consigam de volta a forma original. Kyogre e Groudon, os monstros lendários de Omega Ruby & Alpha Sapphire, podem passar por essa transformação absorvendo poder do ambiente.
CONVIDE OS AMIGOS
Em Ruby & Sapphire, o jogador podia criar bases secretas em locais especiais do jogo. Geralmente, era preciso explorar rios e rotas de bicicleta para encontrar o ponto ideal. A partir daí, dava para mobiliar sua base secreta com todo tipo de decoração virtual. Era preciso usar o cabo GameLink para conectar o cômodo com os amigos. Com a nova versão, é possível exibi-la no modo online.
NUNCA FOI TÃO FÁCIL CAPTURÁ-LOS
Uma nova mecânica de jogo no remake é a DexNav, que permite mostrar a localização dos Pokémons pelo mundo. O aplicativo mostra qual deles está em qual rota, além de revelar quais já foram capturados pelo jogador. Alguns monstrinhos especiais aparecerão “fisicamente” – sua cauda se destacará na grama alta. Assim, o jogador saberá exatamente quando encontrou a espécie que estava procurando.
QUE VENÇA O MAIS BELO
Os Pokémon Contests começaram em Ruby & Sapphire e retornam aos remakes com o visual melhorado. É uma modalidade competitiva diferente das tradicionais batalhas. Os monstrinhos podem vestir fantasias e se exibir usando diferentes movimentos.
Na nova versão, é possível usar a câmera do Nintendo 3DS para criar um fundo para a performance. Além disso, Omega Ruby & Alpha Sapphire dão acesso a um tipo de Pikachu inédito, que pode aprender novos ataques de acordo com a fantasia usada.
DEPOIS DO FIM
É de conhecimento geral que os jogos Pokémon não têm fim. Normalmente, após derrotar a Elite dos Quatro, o jogador tem a opção de continuar sua jornada para capturar as espécies restantes. Em Gold & Silver, era possível visitar Kanto, o continente anterior.
Agora, em Omega Ruby & Alpha Sapphire, há um capítulo extra da história: o Delta Episode. Ele começa logo depois da Elite dos Quatro e promete o encontro com alguns lendários de Pokémon Emerald – jogo que não ganhou remake.
Recomendamos para você

Os produtos Saraiva mais comentados