Bel Sanmax por Bel Sanmax Livros 22.02.2019 22.02.2019

O cenário da poesia moderna nascida nas redes sociais

livro

Com a evolução da forma de se consumir conteúdo nos últimos tempos, em ciclos cada vez mais rápidos, prosas e poesias ‘saíram’ das páginas do papel e ‘migraram’ para o digital.

O público passou a ‘consumir’ conteúdo poético através da dinâmica de plataforma sociais (principalmente no Instagram).

O rico universo literário feminino do Brasil

Imagens marcantes, com textos e depoimentos viscerais, são as características dos escritores da ‘nova onda’ literária que cresce no Brasil e no Mundo, a das poesias de autores ‘nascidos’ no mundo digital.

O Coletivo TCD, cujo livro “Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: 1” é o oitavo título mais vendido em 2018 no ranking da Saraiva, é um dos maiores representantes do gênero.

Nossos leitores se identificam com o que escrevemos, e interagem com a gente pelas redes sociais. Eles nos dão apoio e agradecem por termos escrito textos que os ajudaram a entender aquilo que sentem – Coletivo TCD

Aka Poeta e Lucão! também são alguns dos nomes de autores ‘descobertos’ pelo público via redes sociais.

As grandes características em comum dessa ‘leva’ de poetas é o contato direto com os leitores, que se conectam com os textos e com as personas dos dos autores. 

“Ler essa poesia nos tira da realidade dura do dia a dia, e nos leva para a fantasia da palavra, nos amolece, nos conecta às nossas humanidades, às belezas escondidas no concreto, da cidade e da palavra” – Lucão! para o Blog da Saraiva

É Cada Coisa Que Escrevo Só Pra Dizer Que Te Amo

É Cada Coisa Que Escrevo Só Pra Dizer Que Te Amo (Cód: 8888491)

R$ 29,90 R$18,90 em até 1x de R$ 18,90 sem juros Quero este produto

Revival

Facebook – Rupi Kaur

A transmutação do processo de como a poesia chega ao leitor não excluiu o livro impresso. Os autores ficam conhecidos pelo público através das redes sociais, mas sedimentam seus talentos ao publicarem os textos.

Um dos maiores nomes do gênero, dos autores ‘descobertos’ nas redes, é Rupi Kaur.

Outros Jeitos de Usar A Boca

Outros Jeitos de Usar A Boca (Cód: 9417597)

R$ 35,90 R$21,90 em até 1x de R$ 21,90 sem juros Quero este produto

Rupi nasceu na Índia, mas vive no Canadá desde criança. Sua ascensão como escritora começou em 2015, quando uma postagem sobre a realidade da menstruação na vida das mulheres foi censurada pelo Instagram.

O ‘rebuliço’ e a militância de Rupi pela liberdade de expressão fizeram com que a autora conquistasse seguidores fiéis, e em todo o mundo. Referência no gênero, Rupi também figura na lista de livros favoritos de seus pares na poesia.

“Quanto a autores contemporâneos, Rupi Kaur traz a coisa do poema e poesia, mas com temas feministas importantes. É uma revolução que já está em voga, mas que ela apresenta com mais intensidade” – Fred Elboni para o Blog da Saraiva

Você e Outros Pensamentos Que Provocam Arrepio

Você e Outros Pensamentos Que Provocam Arrepio (Cód: 10238576)

R$ 34,90 R$30,90 em até 1x de R$ 30,90 sem juros Quero este produto

Sucesso

Globo Livros

O coletivo TCD, formado por Igor Pires e‎ Gabriela Barreira, assina uma das obras de não-ficção mais vendidas do Brasil.  Em “Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: 1”, mensagens poéticas e pontuais sobre existencialismo, amor, dor, decepção, superação e diversas outras emoções do espectro humano, são abordadas com o amparo do conteúdo visual. 

Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente

Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente (Cód: 9919331)

R$ 39,90 R$24,90 em até 1x de R$ 24,90 sem juros Quero este produto

As ilustrações do livro, de conteúdo inédito, são de Anália Moraes, que com delicadeza traduz sensações em desenhos. 

Confira a entrevista que o Blog da Saraiva fez com Coletivo TCD sobre o cenário contemporâneo da poesia.

S- Com vocês enxergam essa ‘renascença’ da poesia entre cada vez mais jovens autores no cenário literário do Brasil?

TCD – Achamos incrível que atualmente mais jovens se sintam confortáveis para escrever. Acreditamos que as redes sociais tenham favorecido muito essa escrita, porque é muito simples publicar textos que podem ser acessados por leitores do Brasil inteiro.

A identificação de outros jovens inspira os que escrevem a continuar. Textos simples, cotidianos, passam a ser valorizados.

S- O quê, como e quem é a pessoa que vai ler os textos? O que ela busca, quem seria seu público metaforicamente?

TCD – As pessoas que leêm nossos textos são, geralmente, adolescentes ou jovens que passam por relações e desilusões amorosas, e vivenciam processos de autoconhecimento e experiências comuns a essas faixas etárias.

Nossos leitores se identificam com o que escrevemos, e interagem com a gente pelas redes sociais. Eles nos dão apoio e agradecem por termos escrito textos que os ajudaram a entender aquilo que sentem.

S- Quais são as referências do gênero que os inspira como um coletivo? Nomes, autores, momentos…

TCD – Vários autores nos inspiram, desde os clássicos até os mais contemporâneos. Gostamos de escritores de livros feitos para adolescentes, como Meg Cabot, Paula Pimenta e Becky Albertalli, mas também somos influenciados pelos mais clássicos, como Gabriel García Márquez, Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu.

Outros autores que gostamos são Elena Ferrante, Charles Bukowski, David Nicholls, Martha Medeiros e Rupi Kaur, entre muitos outros, de diferentes estilos de escrita.

Saiba mais sobre o Coletivo TCD:

Facebook: @textoscrueisdemais
Instagram: @textoscrueisdemais
Twitter: @textoscrueis
Youtube: Textos Cruéis Demais

Recomendamos para você