Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 12.08.2011 12.08.2011

Penso, logo Ex Isto: Descartes se rende aos trópicos em novo filme de Cão Guimarães

Por Andréia Silva
 
O trocadilho era inevitável. ”Penso, logo existo” é talvez a frase mais famosa do filósofo racionalista francês René Descartes. Agora imagine se esse homem do século passado dominado pela razão desembarcasse em uma feira livre em plena Recife dos anos 2000?
 
É o que acontece em Ex Isto, novo filme do diretor Cão Guimarães (A Alma do Osso, Acidente e O Andarilho), que explora uma imaginária viagem de Descartes ao Brasil, a bordo da comitiva do holandês Maurício de Nassau.
 
O filme foi feito a convite do Itaú Cultura para a série de produções Iconoclássicos, sobre personalidades importantes da cultura brasileira. Cao foi convidado para fazer uma homenagem a Paulo Leminski, mas disse que não conseguiria fazer um filme simples de homenagem. Buscou então um texto do autor e chegou a Catatau.
 
"Me convidaram para fazer um filme sobre o Leminski porque eu fazia, na visão deles, um cinema poético”, diz o cineasta rindo. "Comecei a ler e reler alguns de seus livros e cheguei em Catatau, um trabalho que consumiu 10 anos e gerou polêmica. Achei uma obra desafiante. E a ideia central do livro – de Reneé Decartes chegando ao Brasil com Maurício de Nassau – é cinematográfica por si só", diz Cao.
 
Leminski traduz muito bem o que acontece no desenrolar do romance, cuja essência foi capturada pelo diretor: "Catatau é o fracasso da lógica cartesiana branca no calor… emblema do fracasso do projeto batavo, branco, no trópico". Para Cao, o livro é de um experimentalismo similar ao que encontramos em grandes obras da literatura mundial como Finnegans Wake de James Joyce.

“A princípio ele pode ser um pouco hermético, um livro impenetrável. Eu demorei muito para ler e vi aquele objeto estranho despertar aos poucos minha curiosidade. Fazia o exercício de ler o livro em voz alta na tentativa de encontrar sentidos e terminava a leitura impregnado de imagens”, disse.

 
O filme é todo narrado em off, com textos de Descartes (de sua obra O discurso do método) e Catatau. Sem roteiro previamente estabelecido, Cao e sua equipe de seis pessoas gravaram o filme em 15 dias, passando por Amapá, Alagoas, Pernambuco e Brasília. “O único roteiro pronto era o da viagem”, comenta.
 
Descarte na árvore
 
Descartes mergulha em mundo absolutamente estranho e se percebe em um labiríntico delírio em torno da palavra – René, Re-nascido, Renato – renascer. "Essa é a história do renascimento de um personagem que se redescobre nos trópicos", diz Cao.
 
Coube ao baiano João Miguel (Cinemas, Aspirinas e Urubus e Estômago) protagonizar esse renascimento. "O João é um amigo querido. Ele também queria fazer algo diferente do que ele sempre faz e realmente incorporou a pesquisa que fizemos sobre o trabalho de Leminski. É a incorporação de um baiano, um francês e um curitibano", diz.
 
Cao conta que João ficou um pouco ressabiado no início com a falta de um roteiro. "Ai disse a ele: 'João, você é um filósofo. O que um filósofo faz? Pensa. Então pensa aí que eu vou te filmar'. Foi uma brincadeira, mas ele captou", brinca Cao.
 
O filme já está em cartaz e Curitiba no Paço das Artes. De 12 de agosto a 8 de setembro, o filme estará em cartaz em São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Salvador nas salas da rede Unibanco Arteplex, e de 19 de agosto a 8 de setembro em Santos e Fortaleza.
 
Descarte na praia
 
 
 
 
Assista ao trailer
 
 
 
Novos formatos de exibição
As exibições da série Iconoclássicos entram na onda de um novo modelo de distribuição para filmes nacionais, com garantia de exibição em grandes salas de cinema, como é o caso do circuito Unibanco. "Para mim foi um projeto ótimo, filma com garantia de exibição. Ex Isto é meu filme mais radical, mas talvez seja meu primeiro blockbuster", brinca Cao ao comentar o projeto, que oferece exibições gratuitas no circuito comercial durante um mês.
Outro projeto que trouxe uma nova proposta de exibição e distribuição foi Reflexões de um Liquidificador (2010), de André Klotzel. Circulando com poucas cópias, ele foi exibido no formato de “filme-evento”, onde a projeção era precedida pela exibição de um curta-metragem local e por um número de stand-up comedy, funcionando como um atrativo além do filme.
Além disso, o plano de distribuição de Klotzel pelas salas de todo o País foge da data única de lançamento nacional, e realizou lançamentos em diferentes ocasiões, em festivais, mostras e salas de exibição comuns.
 
 
Série Iconoclássicos
A série estreou nos cinemas no mês de julho com o filme Daquele Instante em Diante, sobre o músico Itamar Assumpção dirigido por Rogério Velloso. Depois de Ex isto, o público poderá assistir em setembro Assim É, Se Lhe Parece, em que o artista plástico Nelson Leirner tem o seu universo criativo filmado por Carla Gallo. Com estreia marcada para novembro, Zé Celso está documentado por Tadeu Jungle e Eliane Cesar, em EVOÉ!Retrato de um Antropófago. Por fim, em dezembro entra em cartaz Mr. SganzerlaOs Signos da Luz, dirigido por Joel Pizzini sobre o também cineasta Rogério Sganzerla.
 
 
 
Recomendamos para você