Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 15.12.2009 15.12.2009

Os Trapalhões sem nostalgia

Por Vinicius Valente

Pssit, ô da poltrona! Por incrível que pareça já se passaram15 anos do fim do grupo humorístico mais querido e bem-sucedido da TVbrasileira. Mas antes que o clima de nostalgia tome conta, vale lembrar queeste é um momento de comemoração para os fãs de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias.Para quem estava com saudades, já está disponível na Saraiva.com.br a caixa Os Trapalhões: Vol. 5, que possui cinco filmes do quarteto, lançados durante as décadas de 1970 e 1980. É adquirir a sua esoltar o riso.

O quarteto foi um dos maiores fenômenos de audiência e popularidadeda história da televisão no Brasil. O sucesso foi tamanho que transpôs astelinhas, resultando em diversas produções cinematográficas e algumas das maiores bilheterias do cinema brasileiro.

O filme mais antigo contido na caixa é Robin Hood otrapalhão da floresta, de 1973. Na trama, Renato Aragão não interpreta Didi,mas sim Zé Grilo, um peão honesto que é levado a assumir o lugar do herói RobinHood (Mário Cardoso), ferido após ter desafiado o fazendeiro João Climério.Para derrotar o vilão e salvar a donzela Catarina (Monique Lafond), o trapalhãoconta com a ajuda de William (Dedé Santana).

Um ano depois, Didi e Dedé migraram da floresta para o mar,com o lançamento de O trapalhão na ilhado tesouro. Desta vez eles interpretam os pescadores Zé Cação e Lula. Nahistória, os dois descobrem a mercadoria contrabandeada por uma quadrilha. Oscontrabandistas, procurados pelo agente Carlos, passam a perseguir a dupla detrapalhões. Eis que surge na pensão dos pescadores o pirata Long John Silver,em busca do mapa de um tesouro escondido em uma ilha, que passa a ser objeto decobiça de todos.

Em 1976, foi a vez do lançamento de O trapalhão no planalto dos macacos, que possui uma dose extra depiadas por contar com Mussum no elenco. O longa faz uma sátira com o clássico Oplaneta dos macacos, de 1968, que ganhou uma refilmagem em 2001. Agora Didi e Dedé são Conde e Alex, dois amigos que sãoconfundidos com assaltantes pelo guarda Azevedo, personagem de Mussum. Na fugaos três acabam em um balão prestes a ser lançado, indo para em um planetahabitado por macacos inteligentes, que consideram os seres humanos como animaisinferiores. Ao serem aprisionados os trapalhões começam a protagonizar suasconfusões características, passando até por uma tentativa de seremtransformados em macacos.

Já nos anos 1980, no auge do sucesso, o grupo satirizou ahistória de Lampião e Maria Bonita ao lançar O cangaceiro trapalhão (1983). Na trama do filme dirigido porDaniel Filho, Renato Aragão é Severino, um pastor de cabras que salva ocangaceiro Capitão e seu bando de uma emboscada. Na confusão, Gavião (DedéSantana), o homem de confiança do chefe é seguido não só por Severino, mastambém por Mussum e Zacarias, que interpretam dois prisioneiros fugitivos dalei. Ao ver seus novos cangaceiros, Capitão manda o quarteto trapalhão em umamissão, que acaba se revelando outra emboscada. Porém, o grupo consegue sesafar com a ajuda de Aninha (Regina Duarte), que passa a seguir o grupo nosalvamento da filha do Capitão, seqüestrada pelos oficiais. O elenco contaainda com Bruna Lombardi, Tânia Alves, Gabriela Duarte e a participação deTarcísio Meira.

O último DVD da caixa é Ostrapalhões no reino da fantasia, lançado em 1985. O enredo conta a históriade um orfanato rumo à bancarrota, dirigido pela Irmã Maria (Xuxa Meneguel).Para ajudar a instituição, Os Trapalhões realizam um show beneficente em umauditório. Enquanto o espetáculo acontece, uma quadrilha invade a sala e roubao dinheiro da bilheteria do show. Ao perceber o ocorrido, Didi, Dedé e IrmãMaria vão atrás dos bandidos, enquanto Mussum e Zacarias continuam o show. Osladrões fogem para uma apresentação de Beto Carrero. Quando recuperam a malacom o dinheiro, os trapalhões e a irmã fogem em uma diligência, seguidos deperto pela quadrilha, numa perseguição no melhor estilo velho oeste. A históriaconta ainda com uma inserção de vinte minutos dos trapalhões num mundofuturista de desenho. Os personagens animados do quarteto são narrados pelospróprios atores.

Os Trapalhões surgiram na TV Excelsior, em 1966, com o nomede Adoráveis Trapalhões. Rodaram pelas TVs Record e Tupi, até a chegada na RedeGlobo, em 1977. Com o tempo, o grupo foi focando mais no público infantil eaumentando o uso de efeitos especiais para impressionar as crianças. O sucessodo quadro na televisão rendeu a produção de 38 filmes, 17 discos e uma série derevistas em quadrinhos.

Em 1986, o quarteto comemorou os vinte anos de carreira comum programa especial “20 anos Trapalhões – Criança Esperança”, que visou aarrecadação de fundos para a campanha do menor carente. O programa marcou oinício da série exibida anualmente pela TV Globo.

Em 1990, o grupo perdeu Mauro Faccio Gonçalves, o Zacarias.Segundo o boletim médico, o humorista morreu de insuficiência respiratóriaconseqüente de uma infecção pulmonar.

Já em 1994 foi a vez de o Brasil chorar a morte de AntônioCarlos Bernardes Gomes, o Mussum. O ator não resistiu a um transplante decoração. Seu falecimento decretou o fim de Os Trapalhões. Renato Aragão e DedéSantana ainda atuaram juntos em alguns filmes como Simão o fantasma trapalhão (1998) e O trapalhão e a luz azul (1999). Renato protagoniza desde 1998 oprograma A turma do Didi, na TVGlobo. Após a separação de 14 anos na telinhas, Didi e Dedé voltaram a dividiro mesmo palco, com a integração de Dedé no programa dominical.

Mesmo com a chegada do fim, o quarteto trapalhão ainda émuito lembrado quando se fala de humor na mídia brasileira. Como diria Mussum,ficou “forevis” na cabeça da população. Vale a pena conferir os cinco DVDs.Cacildis!

> Confira Os Trapalhões na Saraiva.com.br




Share |

Recomendamos para você