Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 10.12.2009 10.12.2009

O serelepe


 > Assista à entrevista exclusiva com Ruy Mendes Gonçalves ao SaraivaConteúdo
 

Atual vice-presidente doconselho de administração do Grupo Saraiva, Ruy Mendes Gonçalves acaba de lançar O serelepe (Saraiva), onde conta asua história pessoal e profissional. Ele foi por 30 anos o diretorsuperintendente da empresa, e um dos responsáveis pela Saraiva tornar-se umadas maiores editoras e rede de livrarias do Brasil.

Ruy cursou administração deempresas e possui mestrado pela Fundação Getúlio Vargas. Em 1979, teve aoportunidade de estagiar na Fnac, em Paris. “Foi muito curioso na época, poiseles tinham acabado de informatizar a livraria toda. E tinham dado com osburros n’água, resolveram abandonar toda a informatização e voltaram com osistema manual. Isso, em um tempo que os computadores tinham enormesdeficiências”, conta ele. 

Na sua trajetória profissional na empresa, Ruy destaca trêsmomentos. Primeiro, a abertura de capital da Saraiva, que foi fundamental parao seu desenvolvimento. “Era uma empresa pequena, que, na ocasião, não tinhagrandes recursos financeiros e estava endividada. Esta abertura permitiu queela começasse a investir e crescer. Foi extremamente importante para acompanhia.” O segundo marco importante foi a abertura da primeira megastore no país, em 1996. E, por fim, ele destacaa profissionalização da empresa, “a primeira missão que os donos da Saraiva mederam quando assumi a superintendência”, diz. 

Sobre a abertura da primeira grande livraria brasileira, Ruycontextualiza o momento econômico. Com a implementação do Plano Real em 1994, amoeda ficou estável e houve uma redistribuição de renda para aqueles menosaquinhoados, que perdiam com a inflação diária exorbitante. “A primeiracondição foi a estabilidade da moeda e o ganho de poder aquisitivo que os menosfavorecidos tiveram. A segunda, foi a abertura de mercado para o setor deinformática, feita ainda antes do Real. Havia um verdadeiro feudo no Brasil demajores que detinham empresas e cobravam os olhos da cara por qualquerequipamento de informática. Essa abertura permitiu que a gente importasseprodutos de informática a valores condizentes com a idéia de investimento”,enumera Ruy. Derivado desses fatores, veio o aumento do poder de compra da população, que passou a comprar mais livros. “Na ocasião, a venda de livros era baixíssima.Ainda não é uma maravilha hoje, mas era muito menor no passado”, afirma. 

“Este três fatores permitiram que a gente realizasse umsonho. Propus aos proprietários da Saraiva na ocasião e ao Conselho deAdministração, ao qual eu estava subordinado, que começássemos um projeto paraabrir uma grande livraria. Isso foi em maio de 1994. Conseguimos abrir aprimeira livraria em 8 de maio de 1996, no Shopping Eldorado”, recorda. “Essafoi, seguramente, uma das coisas que me deu maior satisfação na minha atividadena Saraiva”. Atualmente, cerca de 30% daslivrarias da rede seguem o conceito da livraria completa.

Com a aquisição da Siciliano em 2008, a Saraiva possui hoje 3.900funcionários, com 99 lojas próprias, além do site de comércio eletrônico, Saraiva.com.br, do site de vendas e aluguel de filmes digitais, SaraivaDigital, e o SaraivaConteúdo. Aos 73 anos, Ruy continua a participar dasprincipais decisões estratégicas da Saraiva em sua marcha expansionista, quefez o grupo alcançar um faturamento de R$ 1,2 bilhão de reais em 2008 ealcançou os R$ 900 milhões de reais até o terceiro trimestre deste ano. 

Perguntando sobre o por que do título O serelepe, Ruy faz mistério e diz que a resposta está no livro. Para saber, é preciso se aventurar em suas memórias.

> Ruy Mendes Gonçalves na Saraiva.com.br

> Assista à entrevista exclusiva com Ruy Mendes Gonçalves ao SaraivaConteúdo 

Share |

Recomendamos para você