Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 30.05.2014 30.05.2014

O raio X de Isabella Taviani

Por Cintia Lopes
 
Assim como o nome do DVD que Isabella Taviani escolheu para marcar os 22 anos de carreira, a cantora também se mostra cada vez mais aberta a descobertas e aposta nas parcerias musicais. Tanto que, em Eu Raio X Ao Vivo, ela apresenta composições próprias e mostra o resultado do encontro com a também cantora Myllena em quatro canções.
 
“No início, eu tinha muita dificuldade em compor com parceiros. Me sentia intimidada porque minhas músicas eram como meu diário secreto. Era complicado me expor assim. Hoje percebo que ter parceiros é ampliar suas possibilidades. É ter no outro aquilo que te falta”, explica.
 
Taviani sonha ainda em ampliar seu leque de parceiros musicais. “Gostaria de compor com Zeca Baleiro, Moska, Paulinho da Viola e Ivan Lins”, enumera.
O objetivo desse trabalho, segundo a própria Taviani, era se mostrar sem filtros. “Do jeito que sou, sem tantas preocupações com o pensamento alheio”, argumenta a cantora de 45 anos. A mudança também passou pelo visual. Os cabelos raspados com máquina 3, ela manteve por um ano. “Comecei a deixar crescer e, depois de um tempo, veio a proposta do DVD. Resultado: raspei novamente para registrar esse trabalho que tanto amo, mas agora nada mais de máquinas. Queria mudar totalmente, mas acho que foi demais”, acredita.
Agora, com a turnê de divulgação do DVD Eu Raio X Ao Vivo, Taviani não esconde a ansiedade de subir ao palco novamente e reencontrar os fãs.
 
Os hits “Digitais”, “Luxúria”, “Diga Sim Pra Mim” e “De Qualquer Maneira”, também conhecida como “Peixinho”, são alguns dos que não podem faltar. “Fazem parte da minha trajetória. Se sair do palco sem cantar essas músicas… dá problema”, diz, entre risos.
Ao longo dos anos, você conquistou uma legião de fãs fiéis que lotam os shows e compram os CDs e DVDs, mesmo não sendo tão assídua em programas de TV, por exemplo. A que você atribui isso? A TV agora não é tão essencial assim para a divulgação dos artistas, como muitos pensam?
Isabella Taviani. Acho que a TV nunca vai perder a força de impulsionar a carreira de um artista. Mas hoje podemos dizer que não dependemos exclusivamente dela. Há muitos canais para acessarmos o público e também diversas maneiras de o público obter informações do seu artista. Quando entrei no mercado, o uso da internet não era tão eficaz quanto hoje. Esses fãs começaram um movimento de divulgação espontânea da minha música, e rapidamente estava fazendo shows em grandes casas no RJ, SP, PE e BA.
Você é bem ativa nas redes sociais. Como é o seu relacionamento com o público “virtual”? Às vezes acontece uma certa invasão de fãs e críticas também. Como você lida com isso?
Isabella Taviani. As redes sociais passaram a fazer parte do nosso dia a dia. Portanto, é natural que a gente troque constantemente com fãs e seguidores. Quando falo de troca, quero dizer que não entro nas redes sociais só para divulgar meu trabalho, e sim para interagir, conhecer e contar histórias. Tenho muita sorte quanto a críticas. Nunca tive nenhum problema com comentários incoerentes ou grosseiros. A “invasão” é altamente positiva e nos faz crescer e entender o que o público espera de mim.
 
"Não gosto de me definir. Aliás, quem pode fazer isso sem ser parcial?"
Há uma tendência cada vez mais forte de padronização de estilo das cantoras de MPB. Qual o diferencial da Isabella Taviani? Você tem alguma preocupação de buscar algo diferente no seu trabalho?
Isabella Taviani. Padronização? Não entendo assim. Acho nossa MPB tão variada. Temos estilos muito diversos de cantoras para todos os gostos. Eu somente divido de duas formas: as que cantam com verdade e emoção e as que gostam apenas de fazer performance vocal. Penso que meu diferencial é cantar/compor de maneira despretensiosa, apenas focando a canção. Eu sou somente um instrumento para fazê-la ecoar e tocar as pessoas intensamente.
O cenário do show Eu Raio X é composto por mais de 1.000 raios-X enviados por fãs do Brasil e do exterior através de um chamado seu feito por meio das redes sociais. Qual deles foi o mais esquisito ou surpreendente?
Isabella Taviani. Juro para você que não fico olhando muito aquelas películas. Dá nervoso (risos). Quanto ao envio, tudo foi meio padrão, exceto o caso de uma fã que nos abasteceu de tantas radiografias que acabou ganhando convites para os shows.
Como você define a Isabella Taviani? Quais são suas referências musicais?
Isabella Taviani. Não gosto de me definir. Aliás, quem pode fazer isso sem ser parcial? Para chamar de referências musicais, na minha opinião, estes artistas deviam fazer parte da nossa raiz musical. Posso citar Carpenters, Renaissance, Beatles, Cat Stevens, James Taylor, Carly Simon, Maysa, Elis, Roberto Carlos, Simone, Maria Bethânia, Zizi Possi e tantos outros.
Serviço – Eu Raio X Ao Vivo
Quando: 07/06, sábado, 21h
Onde: Imperator/RJ –  Rua Dias da Cruz, 170 – Méier
Mais informações: http://www.imperator.art.br/
 
 
Recomendamos para você