Ramiro Fajuri por Ramiro Fajuri Outros 04.09.2020 04.09.2020

O que é o Setembro Amarelo e porque você deve prestar atenção

Setembro Amarelo é o nome de uma campanha realizada em todo o Brasil para prevenir o suicídio. A iniciativa do CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) ocorre desde 2015 e chama a atenção do público para esse grave problema iluminando com a luz amarela pontos famosos e de grande visibilidade em todo o país.

Já foram iluminados no Setembro Amarelo monumentos como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro- RJ, mais conhecido cartão postal do Brasil, o Estádio Beira Rio em Porto Alegre – RS, o Congresso Nacional e o Palácio do Itamaraty  em Brasília – DF e o Elevador Lacerda em Salvador -BA, tudo isso com o apoio e envolvimento de Escolas, Universidades e entidades do setor público e privado.

Porque a Campanha se chama Setembro Amarelo

A cor amarela é símbolo da campanha de prevenção ao suicídio em muitos países. Várias origens já foram atribuídas ao uso do amarelo com essa simbologia, e não sabemos exatamente qual é a oficial, se é que existe uma. Mas uma das mais interessantes com certeza é aquela que pode ser encontrada no site da renomada BBC de Londres, com o título The Story of the Yellow Ribbon, a história da fita amarela, em português.

Segundo a BBC, a origem do uso das fitas amarelas resulta da improvável mistura e de uma canção do cantor Tony Orlando que fez sucesso em 1973, Tie a Yellow Ribbon Round the Ole Oak Tree, Amarre uma fita amarela a redor do carvalho, que segundo o folclorista Jack Sentino, seriam as boas vindas a quem acaba de ser libertado da prisão. Mas esse significado teria mudado em 1979, com a chamada Crise dos Reféns.

Em 1979, durante a Revolução Iraniana, 52 pessoas foram mantidas como reféns na Embaixada Americana em Teerã, entre elas o mais graduado diplomata norte-americano no local, Bruce Laingen. Sua esposa, Penney Laingen, teria se inspirado na canção e amarrado laços amarelos ao redor dos troncos das árvores de sua rua para pedir a volta do marido, que acabou sendo libertado depois de 444 dias.

A fita amarela amarrada ao tronco da árvore se tornou um símbolo para mostrar amor e saudade por quem estava ausente, e,  essa é uma suposição, já que não conseguimos descobrir uma origem oficial e comprovada, com o tempo acabou ganhando também um significado mais amplo, um apelo para que aqueles que amamos não nos deixem, tirando a própria vida, e no mundo inteiro se tornou a cor da prevenção do suicídio.

Os números do suicídio no Brasil

O site oficial do Setembro Amarelo afirma que, segundo um estudo realizado pela Unicamp, 17% dos brasileiros já chegou a pensar seriamente em tirar a própria vida, e 4,8% destes chegaram a elaborar um plano para isso. Muitos deles felizmente desistem, mas ainda assim, segundo o próprio setembro amarelo, 32 pessoas tiram a própria vida no Brasil diariamente, e é esse número que a campanha quer diminuir.

O que leva ao suicídio

O suicídio é um problema de saúde pública muito sério, e não vamos querer aqui fazer especulações sobre o que poderia levar alguém a cometer um ato tão extremo. Mas o que o Setembro Amarelo avisa é que, ao contrário do que se imagina, um suicida em potencial costuma dar sinais, que as pessoas ao redor dele devem prestar atenção, como por exemplo:

Isolamento,

mudanças marcantes de hábitos,

falta de interesse por atividades que normalmente gostava,

piora no desempenho na escola ou trabalho,

alterações de sono e apetite

Frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”.

Então, se você está passando por essa situação, procure o telefone do CVV da sua cidade.

Se conhece alguém que esteja nessa situação, ou apresente esses sintomas, não menospreze ou ignore. Sua atenção pode salvar uma vida. Peça que ela entre em contato com o CVV e da sua cidade. Lá, pessoas especializadas com conhecimento, experiência e boa vontade podem ajudar.

Notícias sobre suicídio

Os profissionais da imprensa geralmente enfrentam um grande problema quando se trata de notícias sobre o suicídio, porque existem evidências científicas de que pessoas em situação de vulnerabilidade, que já estariam propensas ao suicídio, poderiam se sentir encorajadas a consumar o ato ao saber que outras pessoas o fizeram, principalmente quando envolve celebridades ou casos muito midiáticos.

Segundo um manual para a imprensa divulgado pelo Setembro Amarelo, casos de suicídios costumam virar notícia nos seguintes casos:

O suicida é uma figura pública ou celebridade

Foi precedido de assassinato, perpetrado pelo suicida

Atos terroristas, como nos casos dos homens-bomba

Provocou um problema que afetou a coletividade, como um engarrafamento, por exemplo.

O caso foi exposto visando o sensacionalismo.

Redes Sociais

Redes sociais são um ambiente em que as pessoas costuma muitas vezes expor seus sentimentos, até de forma mais aberta que pessoalmente. Se alguém manifestar o tipo de comportamento que indique uma tendência ao suicídio, dê a atenção que puder, e peça que ela ligue para o CVV mais próximo, para que receba atendimento especializado.  E nunca compartilhe nenhum conteúdo que glamorize o suicídio.

Recomendamos para você