Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 09.12.2011 09.12.2011

O público pede bis! Personagens de séries e filmes que conquistaram seu próprio espaço

 
Por Luma Pereira
O personagem Gato de Botas
 
“How you doing?”. Não dá para esquecer esse famoso bordão dito por Joey Tribbiani, personagem da série americana Friends (1994-2004), para conquistar garotas. Interpretado por Matt LeBlanc, ele se destacou nos dez anos em que esteve no ar.
 
Mas os fãs queriam continuar assistindo às péssimas atuações de Joey, seu amor por comida e o sucesso com as mulheres. Então, foi criada a série Joey (2003-2004), que fala sobre quando o protagonista vai para Hollywood investir na carreira de ator.
 
No Brasil, o programa ficou conhecido como Vida de Artista. Dirigido por David Schwimmer, o Ross Geller de Friends, ele teve apenas duas temporadas e foi cancelado por falta de audiência.
 
Para Camila Barbieri, jornalista e crítica de séries de TV, Joey foi um erro, pois o texto e as piadas eram ruins. Além disso, os coadjuvantes também não ajudavam.“Em teoria, parece perfeito pegar qualquer personagem de Friends e fazer uma produção separada, que atrairia os fãs do programa original, mas a série era excelente pelo conjunto da obra. As seis personagens eram protagonistas”, comenta Camila.
 
Private Practice (2007) é uma série derivada de Grey’s Anatomy (2005). Conta a vida da Dra. Addison Montgomery, interpretada por Kate Walsh, quando ela sai do Hospital Seattle Grace para abrir um consultório particular em Los Angeles.
 
“Kate Walsh conseguiu tanto destaque para sua personagem que Shonda Rhimes, criadora da série, não pôde deixar de aproveitá-la mais a fundo”, afirma a crítica.
 
Spin-off do Disney Chanel, Cory na Casa Branca (2007-2008) vem de As Visões de Raven (2003-2007). O irmão da protagonista Raven, interpretada por Raven-Symoné, ganha um programa de TV só para ele.
 
Victor Baxter (Rondell Sheridan), pai de ambos, é convidado a ser o novo chef do presidente, e se muda com Cory (Kyle Massey) para Washington. “O derivado não alcançou o mesmo sucesso do original, tendo apenas duas temporadas”, diz Camila.
Independência nas telonas
 
Mas não são apenas as personagens de seriados que conquistam o público e conseguem um programa independente. Isso também acontece muito no cinema.
 
A Mulher Gato, de Batman, ganhou um filme só para ela em 2004. O mesmo aconteceu com Wolverine, de X-Men, que estreou nas telonas em 2009. Foi Hugh Jackman quem deu vida ao homem das garras e do faro apurado.
 
O Tigrão, do filme As Aventuras do Ursinho Pooh (1977), estreou em Tigrão – O Filme no ano de 2000. E o Leitão, outro personagem desse mesmo desenho, também não ficou de fora, atuou em Leitão – O Filme, em 2003.
 
Os pinguins de Madagascar (2005) – Capitão, Kowalski, Recruta e Rico – ganharam o curta Missão de Natal. E quem não se lembra de Scrat, de Era do Gelo, animação criada por Carlos Saldanha? Ele atuou em curtas como No Time For Nuts.
 
“Hakuna Matata!”. Não precisa dizer muito mais do que essas duas palavras para que todos se lembrem de Rei Leão, mais especificamente de Timão e Pumba. Após o sucesso do filme, a dupla estrelou em Volta ao Mundo com Timão e Pumba.
 
Os personagens Timão e Pumba
 
A mais recente estreia no cinema  é Gato de Botas, que tem como protagonista esse engraçado personagem de Shrek. Os grandes olhos brilhantes e fofos de fato encantaram o mundo.
 
A história antecede o primeiro filme de Shrek e conta como o Gato virou um herói e uma lenda. O filme tem a presença de personagens das narrativas infantis, como Humpty Dumpty, e traz também a nova personagem Kitty Pata-Mansa. A base é a história de João e o Pé de Feijão.
 
As personagens vivem uma aventura para conseguir os feijões mágicos, plantá-los e roubar a gansa das fábulas que bota ovos de ouro. Isso tudo com a perseguição de Jack e Jill – vilões que também estão atrás do castelo do gigante onde a gansa mora.
 
A produção é dirigida por Chris Miller (de Shrek Terceiro) e a dublagem do Gato é feita pelo ator Antonio Banderas. Camila acredita que essa produção tem potencial para dar certo – “o material mostrado no trailer é bom e chamativo”, comenta.
 
“O Gato de Botas é uma figura que já tem história própria, o que ficou minimizado dentro dos filmes de Shrek, deixando margem para que desenvolvessem isso além do que já foi visto”, completa.
 
Os spin-offs têm sempre um desafio pela frente: cativar o público com um bom roteiro, pois não adianta deixar tudo nas mãos de determinada personagem que fez sucesso em outra produção. Isso não garante que os fãs vão gostar da série ou do filme.
 
“Acho até que é mais arriscado lançar um spin-off do que algo inédito, justamente pela forte cobrança que vem dos fãs e pela necessidade de não mudar os elementos básicos que fizeram daquela personagem um sucesso”, acredita Camila.
 
Alguns atores interpretam personagens tão memoráveis que, quando a série ou o filme chega ao fim, os espectadores ficam simplesmente querendo mais – o público pede bis. E você, qual personagem acha que merece um filme ou uma série?
 
Confira o trailer de O Gato de Botas:
 
 
 
 
 
Recomendamos para você