Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 30.11.-0001 30.11.-0001

O poder do som nos jogos: praticidade e mais realidade

Por Aline Maryama
 
As últimas décadas foram de surpresas e mudanças para o mundo gamer. Para a alegria do público, o desenvolvimento geral da maioria dos jogos teve um salto incrível. Gráficos, jogabilidade, acessórios para consoles, periféricos diferenciados para os gamers de PC e muito mais.
O som é parte fundamental de qualquer jogo. Em games com temática de guerra, de tiro em primeira ou terceira pessoa, ouvir o que se passa no ambiente é muito importante. Seja um inimigo rastejando por perto ou então uma bomba lançada de longe, escutar o que está ao seu redor é determinante.
No jogo Battlefield 4, por exemplo, o cenário é embalado por uma sonoplastia fiel aos mapas. Tanques de guerra, helicópteros, tiros e bombas são comuns e seus sons são poderosos, como você pode conferir neste vídeo. Agora, imagine ouvir essa música agitada, o som de explosões e voos rasantes tão próximos como se você estivesse lá? Isso é aumentar a experiência de jogo a níveis que eram inimagináveis há alguns anos.
Para Lucas Gonçalves, estudante de ciência da computação, possuir um bom headset é um grande diferencial. “Sou muito fã de MMORPG, e ter um bom headset é fundamental. Gosto de ouvir um som limpo, potente e que me faz sentir parte daquilo, sabe? E outra: sou raidleader no World of Warcraft , preciso estar sempre no Skype ou TeamSpeak comandando a galera”.
Lucas utiliza programas de comunicação para explicar aos demais jogadores do grupo o que devem fazer, como se posicionar e também alertá-los de possíveis perigos. Além disso, gosta de assistir a vídeos, tutoriais e também aproveitar a trilha sonora do jogo, coisas que, para ele, o headset influencia. “Além de ser gamer, também sou músico, então prezo muito a qualidade do som. Alguns gostam de jogar ouvindo música, mas eu aprecio a música tema do jogo, o som-ambiente, tudo. Isso faz parte da criação e foi feito para você se sentir dentro do game”.
Há alguns anos, as músicas que embalavam os jogos eram bem diferentes. Como se esquecer de Super Mario World, um clássico que possuía sempre o mesmo som característico? Relembre aqui. Com o passar dos anos, tudo evoluiu, de forma que os games não possuem apenas uma trilha sonora concreta, mas também efeitos sonoros e som-ambiente com realidade impressionante.
 
Como se esquecer de Super Mario World, um clássico que possuía sempre o mesmo som característico?

É possível escutar cada detalhe do cenário, seja passos distantes, a respiração ofegante do personagem ou um grilo ao fundo. Nos momentos tensos de jogos de survival horror ou suspense, por exemplo, além de a tela assumir cores diferentes, você ouve as batidas do coração do protagonista, sua respiração. Concentrar a atenção na tela, ouvir o som isoladamente – apenas você e o jogo – são fatores que mudam e ampliam a experiência durante a jogatina.

O estudante de engenharia Matheus Molinaro afirma que um headphone mais potente foi uma ótima aquisição. Ele considera o equipamento um companheiro, que usa tanto para jogar quanto para ouvir música. “Eu gosto de usar para tudo, mas acredito que varia muito para cada tipo de jogo; se for um jogo em que é decisivo escutar os passos e os barulhos ao seu redor, como na maioria dos FPSs, acho que é essencial ter um headphone potente”.
Por outro lado, Matheus discorda do estudante Lucas. “Se for para jogos como World of Warcraft, Ragnarok e outros, em que [os jogadores] geralmente usam mais o headphone para escutar outras pessoas falando, já acredito que não seja tão essencial ter um fone melhor, desses profissionais”.
 
The Last of Us e World of Warcraft
Em alguns casos, a qualidade do som pode até mesmo interferir na reação de quem está jogando, como é o caso da gamer e jornalista Cris Sato. “Ganhei o headset de natal do meu namorado, junto com o jogo The Last of Us. Eu sempre fico tensa jogando, mas com o fone especial para isso era muito diferente; parecia que o zumbi estava ali comigo, na sala!”.
Mas não se engane pensando que o fone potencializa apenas sons e sustos: no caso da gamer Cris, o periférico também ajudou a aumentar seus sentimentos. “Eu sei que teria chorado de qualquer jeito, mas foi surreal. O som, a história acontecendo, tudo… Eu sempre me coloco no lugar do personagem, mas dessa vez parecia que era comigo, eu estava vivendo aquilo!”.
 
Ficou curioso(a) para experimentar um headset mais potente? Confira alguns modelos recomendados pelos gamers:
 
 
Recomendamos para você