Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 30.03.2012 30.03.2012

O percurso de Dr. Seuss no Brasil

Por Thaís Ferreira
“Queridas crianças de Troy: Leiam! Leiam! Leiam! Leiam! Leiam! Leiam! Esse é o conselho do seu bom amigo, Dr. Seuss”. Essa carta foi enviada para a biblioteca pública da cidade de Troy, no estado de Michigan, em 1971. Ela era uma resposta para a correspondência de Marguerite Hart, bibliotecária da seção infantil, que pedia inspiração para os pequenos leitores.
A mensagem resume a simplicidade e o bom humor das obras de Theodor Seuss Geisel, um dos mais importantes autores e ilustradores da cultura norte-americana.
 
Desde 1937, ano em que publicou seu primeiro livro, foram mais de 40 títulos lançados, entre eles os mais populares: How the Grinch Stole Christmas!,The Cat in the Hat e Horton Hears a Who!, todos escritos na década de 1950.
As publicações foram, e ainda são, um sucesso de vendas nos Estados Unidos e já fazem parte do imaginário coletivo da população, principalmente por causa do universo cheio de criatividade: formado por personagens curiosos e uma linguagem divertida.
 
Essas características levaram os livros de Dr. Seuss a serem, até hoje, adotados no processo de alfabetização das crianças americanas.
No entanto, em terras tupiniquins, os textos desse escritor não atingiram o mesmo grau de importância. As primeiras traduções para o português do Brasil– Como o Grinch Roubou o Natal e O Gatola da Cartola (Companhia das Letrinhas) – foram lançadas somente em 2000.
Para Vanessa Lopes Lourenço Hanes, doutoranda em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina, essa demora pode ser explicada de duas formas: “Uma delas seria a de que as traduções no Brasil tenham sido fruto da expansão da publicação de obras traduzidas de vários gêneros no país nas últimas décadas. Outra possibilidade seria que o lançamento eminente de uma obra fílmica baseada nos livros do autor tenha impulsionado o mercado brasileiro a apostar em traduções de livros de Seuss”.
 
Outro grande empecilho para a difusão da obra está relacionado à dificuldade de superar a barreira linguística. Os textos do escritor são formados por muitas rimas, aliterações, simetria nas sílabas e a invenção de palavras. Esses elementos são fundamentais porque caracterizam o estilo literário de Dr. Seuss, o que torna uma versão brasileira um exercício meticuloso da língua.
“O que procuramos fazer foi um trabalho de carpintaria com as palavras, fazendo e refazendo cada uma das versões, buscando ritmos, letras, imagens até chegar a uma versão que fosse a mais próxima possível do texto em inglês tanto em relação ao conteúdo quanto em relação à forma.”, comenta Lavínia Fávero, uma das responsáveis pela tradução brasileira.
 
Segundo a especialista Hanes, o resultado é satisfatório, uma vez que as histórias não descaracterizam os escritos do autor: “São interessantes, engraçadas e procuram fazer uso de recursos presentes no texto-fonte, brincando com as palavras de forma inteligente, assim como Dr. Seuss faz em seu texto na língua inglesa”.
O Gatola da Cartola – ilustração de Dr. Seuss
Nas telonas
Hoje (30/3), mais uma adaptação cinematográfica da obra Dr. Seuss chega aos cinemas brasileiros – O Lorax: Em busca da Trúfula Perdida, baseado no título homônimo, que ainda não possui tradução para o português.
O filme conta a história de Ted, um menino de 12 anos que vive em um lugar no futuro, em que árvores deixaram de existir.
 
Quando ele se apaixona, descobre que a menina dos seus sonhos deseja ver, pelo menos uma vez, uma dessas vegetações. Rompendo as barreiras da cidade, ele vai descobrir os verdadeiros motivos dessa devastação.
A animação estreou nos EUA com recorde de arrecadação para o gênero, superando a marca anterior que pertencia a Os Incríveis. O filme liderou o ranking das bilheterias americanas por duas semanas.
 
O sucesso pode ser explicado devido à popularidade do autor e da obra nos Estados Unidos, mas também por causa de outros elementos, como o uso de celebridades como Zac Efron e Taylor Swift nas dublagens.
 
Dr. Seuss desenhando o personagem O Grinch 
Para as telonas, já foram adaptados da obra de Dr. Seuss: O Grinch, com Jim Carrey no papel principal, O Gato, protagonizado por Mike Myers, e a animação Horton e Mundo dos Quem.
 
As críticas a essas produções são muitas, mas no Brasil elas ganharam o status de serem as principais divulgadoras das obras do autor.
Se nos Estados Unidos os livros do escritor fazem parte da cultura da população, em terras brasileiras, segundo Vanessa Hanes, as histórias podem ganhar a mesma força.
 
“O mundo seussiano é, de certa forma, universal, sendo encantador para crianças de diferentes culturas, incluindo as brasileiras. Uma vez nas mãos dos pequenos, eles com certeza vão querer cada vez mais desse autor tão divertido”, afirma a doutoranda.

Assista ao trailer:


 
Recomendamos para você