Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 22.03.2013 22.03.2013

“O filme discute uma questão ética”, diz diretor de ‘Vai que Dá Certo’

Por Edu Fernandes
 
“Até que ponto você vai quando está em uma situação de risco?”, perguntou o diretor Maurício Farias (A Grande Família – O Filme) durante a coletiva de imprensa de Vai que Dá Certo, filme que entra em cartaz nos cinemas em 22 de março.
A resposta dada pelos personagens da comédia foi considerada “inconsequente” pelo cineasta. O longa conta a história de um grupo de amigos do colégio que se aproximam da casa dos 30 anos, mas sentem que suas vidas não deslancharam como esperavam. O desespero faz com que eles aceitem participar de um roubo a uma transportadora de valores. O plano dá errado, e a cada tentativa de remediar a situação, parece que os personagens se complicam mais.
“Esse projeto tem quase 20 anos”, contou Farias. “Eu ouvi uma história de um motorista que tinha cometido um roubo e aquilo ficou na minha cabeça: ‘Como uma pessoa com emprego fixo se arrisca numa situação dessas?’. (…) Então, o filme discute uma questão ética”.
 
“Tudo tem uma explicação meio torta para o que eles fazem para justificar os erros”, relata o roteirista Fabio Porchat (Totalmente Inocentes). “Eles entram na espiral do erro”.
 
Grupo de protagonistas de Vai que Dá Certo
 
Além de colaborar no roteiro, Porchat interpreta Amaral, um dos amigos que aceita entrar na enrascada. Os outros amigos que se tornam assaltantes fajutos ao lado de Amaral são: seu irmão mais novo e nerd Vaguinho (Gregorio Duvivier, de Reis e Ratos); o músico desempregado e abandonado Rodrigo (Danton Mello, de Ouro Negro); e o professor de inglês frustrado Tonico (Felipe Abib, de 180 Graus). O plano é arquitetado por Danilo (Lúcio Mauro Filho, de Muita Calma Nessa Hora), primo de Rodrigo.
“Eu escrevi cada fala com o ator em mente”, explica Fabio. Essa preocupação foi sentida por outros membros do elenco. “O roteiro já veio bem definido”, afirma Danton. “Eu me lembro de poucos improvisos, até porque eu não sou muito bom nisso”.
 
“A gente sempre faz muitos testes”, conta Abib. “Desta vez eu fui convidado para o filme. Fiquei feliz e lisonjeado”.
 
Natália Lage interpreta a esquentada Jaqueline
 
“O filme tem um humor forte, mas levanta perguntas interessantes”, opina Natália Lage (Como Esquecer), única presença feminina no elenco principal. Ela vive Jaqueline, interesse amoroso de Amaral. “Acho curioso esse universo dos meninos, mas também tem essa questão ética, do jeitinho brasileiro”.
Uma das saídas encontradas pelos personagens para salvar sua pele é roubar dinheiro de Paulo (Bruno Mazzeo, de E aí, Comeu?), um dos colegas do tempo de escola. Atualmente, ele concorre a deputado nas eleições e tem um patrimônio invejável.
 
O REINADO CÔMICO
 
Vai que Dá Certo espera ser mais uma das comédias com sucesso de bilheteria no circuito de cinema brasileiro. Essas produções encabeçadas pelo Globo Filmes geram críticas por parte de alguns membros da classe de cinema, como o diretor Kleber Mendonça Filho (O Som ao Redor), que acusa a empresa de não investir em filmes com propostas ousadas. Para saber mais da polêmica, clique aqui.
 
Bruno Mazzeo é um dos produtores do longa
 
“Eu não acho que a Globo Filmes atrofie o gosto pelo cinema brasileiro”, defende Maurício Farias.
“Há um destaque para o humor, talvez pelo peso do mundo hoje em dia”, disse Natália Lage. “Eu prefiro comédias que tenham algum tipo de reflexão. Dá para buscar uma saída que não seja tão vendida”.
 
Veja o trailer de Vai que Dá Certo:
 

 
 
 
Recomendamos para você