Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 24.10.2014 24.10.2014

O Exterminador do Futuro abriu as portas de Hollywood para James Cameron

Por Fernanda Oliveira
 
Lançado no dia 26 de outubro de 1984 nos Estados Unidos (ou seja, há 30 anos), o filme O Exterminador do Futuro foi um grande sucesso de bilheteria. Com um orçamento considerado baixo – cerca de US$ 6,5 milhões –, o diretor do longa de ficção científica, James Cameron, conseguiu dar vida a um ciborgue verossímil, interpretado por Arnold Schwarzenegger, e ainda criar cenas de ação de "tirar o fôlego".
 
Definitivamente, o reconhecimento da produção não só pelo público, mas também pela crítica, foi primordial para a ascensão de Cameron em Hollywood. "Quando o longa foi lançado, ninguém esperava tamanho sucesso. Na época, filmes de ficção científica estavam em alta, como Star Wars (1977) e Alien (1979), mas Cameron era um diretor desconhecido", afirma Matheus Bonez, crítico do site Papo de Cinema.
 
Ele ressalta também o talento do cineasta ao narrar a trama e a escolha do elenco. "A história é desenvolvida de forma inteligente e até inspirou outros 'clássicos' recentes do gênero, como Matrix (1999). Além disso, a dupla de protagonistas, Linda Hamilton e Schwarzenegger, é forte e carismática".
 
Para Edwin Perez, docente de Vídeo do Senac Lapa Scipião, o ator austríaco se encaixa muito bem no papel de ciborgue enviado do futuro, sendo a direção de Cameron responsável pelo resultado elogiado, já que ele soube utilizar o astro de forma eficaz. "Schwarzenegger é perfeito para o papel do exterminador", confirma o professor.
 
APOSTA EM EFEITOS ESPECIAIS
 
No entanto, o grande destaque da produção foram os impressionantes efeitos especiais. "Eles foram inovadores para a época. Não à toa, após o incrível sucesso de O Exterminador do Futuro, Cameron foi convidado para dirigir o segundo longa da série Alien, Aliens: O Resgate (1986)", relata Bonez.
 
Os efeitos especiais do filme foram inovadores para a época, sendo ainda melhores na sequência O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final
 
Assim, o uso dessas técnicas acabou se tornando uma marca do trabalho do cineasta, que surpreende a cada filme lançado. No entanto, para Perez, vale destacar também a forma peculiar de dirigir. "Sua marca é uma segura direção das cenas de ação equilibradas com a adição de diversos efeitos especiais, quase sempre inéditos ao grande público".
 
Talvez essa busca por recursos tecnológicos mais avançados faça com que sua filmografia seja curta. Mas, em geral, a espera não desaponta, já que Cameron tem produzido grandes sucessos ao longo de sua carreira.
 
EMPLACANDO SUCESSOS
 
Depois que O Exterminador do Futuro abriu as portas de Hollywood para Cameron, ele conseguiu emplacar sucessos que entraram para a história do cinema mundial, como Titanic (1997), que arrecadou cerca de US$ 2,1 bilhões, sendo o primeiro filme a alcançar US$ 1 bilhão de bilheteria. Aliás, essa marca só foi batida por outro longa do diretor: Avatar (2009), com US$ 2,7 bilhões.
 
 
"Cameron dirigiu poucos filmes para mais de 30 anos de carreira, mas seja em O Exterminador do Futuro, Aliens, O Segredo do Abismo (1989), O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991), True Lies (1994), Titanic e Avatar, todos apresentam avanços tecnológicos de alguma maneira, que não são apêndices da história, mas fazem parte dela. No caso de Avatar, é praticamente impossível citar um filme que bata o 3D utilizado nessa pequena obra-prima dos efeitos especiais", detalha o crítico.
 
Para ele, dessa forma, Cameron mostra que tem um olhar que vai além. "Ele está à frente de outros cineastas que caem na mesmice. Ele consegue vislumbrar um futuro que poucos contemplam", afirma Bonez.

Perez acrescenta que o sucesso do diretor também está na forma como ele se relaciona com a indústria cinematográfica. "Ele entendeu perfeitamente o mecanismo de Hollywood, de como funciona a busca de investimentos, que são cada vez maiores para os seus filmes. O Exterminador do Futuro foi seu cartão de visita para essa indústria".

 
O diretor James Cameron
 
 
Recomendamos para você