Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 01.03.2013 01.03.2013

O drama de fazer drama: filmes mostram bastidores do teatro

Por Edu Fernandes
 
Durante o processo de concepção de um espetáculo teatral, há muitas forças em conflito. A escalação do elenco, as leituras do texto, os ensaios, as discussões com o diretor… Tudo isso pode se transformar em combustível para o roteiro de um filme.
Um dos mais recentes casos da intromissão de câmeras de cinema nos bastidores teatrais é o longa César Deve Morrer, que estreia no Brasil em 1º de março. A ideia para a produção nasceu quando os diretores e irmãos Paolo e Vittorio Taviani souberam de um programa de recuperação de presidiários com teatro.
A partir daí, a dupla resolveu levar suas câmeras para trás das grades e registrar um grupo de presidiários durante a preparação de uma montagem da peça Júlio César, de Shakespeare.
Os personagens remontam suas vivências reais, mas não se trata de um documentário propriamente dito. A fita fica no limiar entre verdade e ficção. As comparações entre as conspirações dos senadores romanos na peça e os procedimentos da máfia dão um tempero especial para César Deve Morrer.
Antes da produção italiana, os bastidores do teatro já inspiraram documentários. O alemão Sonhos em Movimento (2010) mostra o processo da criação de uma montagem especial da coreografia Kontkthof, de Pina Bausch. Para a temporada de apresentação retratada no filme, o palco é povoado por alunos do ensino médio que nunca tiveram contato com dança.
Assim como os presidiários de César Deve Morrer, os estudantes de Sonhos em Movimento têm certa inocência diante do jogo cênico. Por outro lado, no lugar da tensão da cadeia, o documentário de dança traz o envolvimento emocional entre mentores e pupilos.
 
Cena de Sonhos em Movimento
Cena de Mentiras Sinceras
No cinema brasileiro, Mentiras Sinceras (2011) retrata a montagem de uma peça com atores profissionais. Fernanda Machado (Amanhã Nunca Mais), Malvino Salvador (Qualquer Gato Vira-Lata), Zecarlos Machado (Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios) e outros atores ensaiam o texto Mente Mentira para uma temporada longa, que inclui viagens e até troca no elenco.
Entre os ensaios, o espectador vê entrevistas com os envolvidos na montagem. Em seus depoimentos, eles dividem um pouco de suas formas de trabalho e de como eles encontram o personagem.
Não é apenas por produções documentais que o mundo do teatro invade a tela do cinema. Sra. Henderson Apresenta (2005) conta a história real de uma viúva (Judi Dench, de Orgulho e Preconceito) que compra um teatro na Londres do período entre guerras. Para atrair frequentadores, Laura Henderson institui shows de dança com mulheres nuas.
A mensagem do filme é que, em tempos difíceis, a arte pode ajudar as pessoas a terem momentos felizes. Os bastidores da casa de shows trazem conflitos interessantes, mas a força do roteiro está na relação que a protagonista trava com o diretor Vivian Van Damm (Bob Hoskins, de Cão de Briga), que não gosta da ideia de apresentações tão ousadas.
 
Cena de Sra. Henderson Apresenta
Cena de Shakespeare Apaixonado
Shakespeare Apaixonado (1998) parte de alguns personagens reais para contar uma história ficcional. William Shakespeare (Joseph Fiennes, de Elizabeth) é um escritor em crise quando conhece Viola (Gwyneth Paltrow, de Emma). Ela é sua admiradora e consegue se infiltrar na companhia teatral disfarçada de homem – mulheres não podiam atuar naquela época.
O amor entre os dois é proibido: ele é um homem casado e ela já está prometida a outro. Os ensaios entre os atores e o processo de criação de Shakespeare são mesclados com cenas de amor entre os personagens principais. Com essa história sentimental, a produção consegue fazer com que o espectador mergulhe na obra do dramaturgo.
Os musicais também usam os bastidores teatrais como cenário para seus enredos. O Fantasma da Ópera (2004) mostra a jornada de Christine (Emmy Rossum, de O Dia Depois de Amanhã), uma jovem cantora de ópera. Ela tem aulas com um homem misterioso (Gerard Butler, de Reino de Fogo) que vive escondido no teatro.
O foco da trama é o triângulo amoroso formado por Christine, o Fantasma e Raoul (Patrick Wilson, de O Álamo), amor de infância da heroína. No entanto, há brigas de egos entre os membros da companhia teatral.
 
Cena de O Fantasma da Ópera
Cena de Os Produtores
Como o título já anuncia, os personagens principais de Os Produtores (2005) não são atores. O musical mostra com bom humor como funciona o sistema de financiamento de um espetáculo teatral.
O produtor Max (Nathan Lane, de O Herói da Família) realiza peças fracassadas com um propósito nefasto. Como não há bilheteria, ele pode embolsar o investimento e não tem de devolver o dinheiro para os parceiros. Quando ele se associa ao contador Leo (Matthew Broderick, de Mulheres Perfeitas), seu plano precisa ser mudado, uma vez que um musical sobre o Holocausto torna-se um estouro de bilheteria.
Seja como drama ou com humor, o calor dos bastidores e as emoções que acompanham a estreia de uma peça continuarão a inspirar emocionantes roteiros.
Veja o trailer de César Deve Morrer:
 

 
 
 
Recomendamos para você