Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 19.01.2011 19.01.2011

O curioso caso de “”Tio Boonmee, que pode recordar suas vidas passadas””

A história é simples: tio Boonmee sofre de insuficiência renal e resolve retornar à floresta onde nasceu acompanhado da irmã, Jen, e de um sobrinho, Tong. 

 
À espera da morte, o homem passa a receber a visita de fantasmas da mulher, morta há 19 anos, e do filho, desaparecido há 13, agora unido a um grupo de macacos-hominídeos fantasmas. Em certo momento, Boonmee se sente compelido a retornar à uma caverna, suposto local de sua primeira encarnação e onde é acometido por lembranças de vidas pregressas. Em uma das cenas mais marcantes há uma relação sexual entre uma princesa e um peixe. 

 
Quinto longa do diretor tailandês Apichatpong Weerasethakul a integrar a seleção oficial do Festival de Cannes, Tio Boonmee, que pode recordar suas vidas passadas é um dos filmes aguardados com maior curiosidade no circuito, não só por haver vencido a última Palma de Ouro, mas muito pelo próprio halo de mistério e espiritualidade em torno de seu tema, carregado de religiosidade budista, onde homens, plantas, espíritos e animais convivem num mesmo plano existencial.  
 
Quem decidir assisti-lo deve ir com a alma aberta às múltiplas leituras possíveis em meio aos longos e belos planos sequência, mensagens de cunho inclusive político. Engajado numa arte democrática dentro de um país politicamente conturbado, Weerasethakul já declarou só fazer “”filmes suaves””, mas suas realizações, em especial no campo da videoarte, costumam ser um convite a reflexões mais profundas. 

 
Tio Boonmee, que pode recordar suas vidas passadas estreou na última sexta-feira (21) em salas de cinema do Rio de Janeiro e São Paulo. 

 

Recomendamos para você