Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 09.02.2010 09.02.2010

O Blur está de volta

Por Vinicius Valente

O público em geral provavelmente não lembra a canção quetocava no comercial do microprocessador Pentium II. Muito menos a da propagandado Nissan Sentra, ou dos spots de TV do filme Tropas estelares. Os viciados emgames possivelmente saberiam do que se trata se for dito que a música emquestão foi também tema do jogo FIFA 98. Porém, para matar de vez a charada,basta cantarolar o famoso refrão “U-huuu” e imaginar ao fundo os poderososacordes de Graham Coxon, guitarrista do Blur.

“Song 2” foi um dos maiores sucessos da banda britânica. O grupo, que fez grande sucessona década de 1990, voltou aos palcos no ano passado, após seis anos deinatividade. Para comemorar a retomada da carreira, já se encontra em pré-vendao álbum duplo All the people,registro ao vivo do megashow no Hyde Park (Londres), em julho de 2009. Oespetáculo atravessou toda a carreira do grupo e reuniu um públicoensandecido gritando por mais e mais. O Blur se apresentou com sua formaçãooriginal, que, além de Coxon, conta com a voz de Damon Albarn, Alex James, nobaixo e Dave Rowntree, na bateria.

O álbum reúne 25 canções no total. O disco 1 abre com “She’sso high”, do álbum Leisure (1991),seguido pelos sucessos “Girls and Boys” e “Tracy Jacks”, ambas de Parklife (1994). O CD encerra com oshits “Coffee & TV” e “Tender”, de 13 (1999).Mas não para por aí. O segundo disco abre com “Country House” de Great escape (1995) e continua comclássicos de Modern life is rubish (1993),como “Chemical world”, “Sunday Sunday” e “Advert”. O álbum é completado pelosucesso “Song 2”,do CD Blur (1997) e encerrado com“The universal”, também de Greatescape. Durante a execução das canções a banda interage diversas vezes coma multidão, que marca presença no disco com seu ruído incessante de empolgação e êxtase.

A banda surgiu nos anos 1990 liderando uma renovação no rock daGrã Bretanha. O movimento ficou conhecido como “britpop” ou música popularbritânica, onde disputavam os holofotes com o Oasis, que se desmembrou há pouco. O Blur começou em 1989 com o nome Seymour.Após alguns shows, assinaram com a gravadora FoodRecords, que exigiu a mudança do nome. Blur foi escolhido em uma lista de nomesoferecida pela gravadora. Em seguida, o grupo partiu para uma pequena turnêpela Inglaterra, terminando em julho de 1990, em Londres,marcando o início da carreira de sucesso.

o quarteto ganhou diversos prêmiosna carreira. Os principais são quatro Q Awards (1994, 1995, 1999, 2003), 2 NMEAwards (1995 e 2000), além dos Brit Awards de “Melhor banda” “Melhor álbum”(Parklife) e “Melhor single” (Parklife), em 1995.

Em 2002, o guitarrista GrahamCoxon deixou o grupo insatisfeito com o rumo que a sonoridade do Blur estavatomando. Ele foi substituído por Simon Tong, ex-integrante do The Verve. Com anova formação, a banda lançou, em 2003, o álbum Think tank, com as músicas “Out of time”, “Crazy beat” e “Goodsong”. Em seguida, deram uma pausa na carreira, retomada apenas no ano passadocom Coxon novamente na guitarra.

Na década de 1990, o Blurdisputava o cenário do “britpop” com o Oasis, além de alimentar, para os holofotes da mídia, uma pseudo disputa entre quem seria a melhor. As duas bandas são consideradasos dois maiores grupos do gênero, que costuma receber influência consideráveldos Beatles. Atualmente, diversas bandas britânicas bebem na mesma fonte, comoArctic Monkeys, The Libertines, Kaiser Chiefs, Franz Ferdinand e Coldplay. Aqui, se vê e se ouve porque a reverência e a referência são mais que justas.

> Confira o site oficial da banda

> Blur na Saraiva.com.br


> Assista à dois momentos épicos do show do Blur no Hyde Park, em 2 de julho de 2009

Share |

Recomendamos para você