Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 30.05.2014 30.05.2014

No Limite do Amanhã: Senhores do tempo

Por Edu Fernandes
 
Quando jogamos videogame, há uma certa despreocupação com o destino do protagonista, pois sabemos que há mais chances de completar a missão. Por vezes, chegamos a sacrificar o herói quando as coisas não vão bem, só para retomar do último checkpoint. É isso o que experimenta Major Bill Cage (Tom Cruise, de Oblivion), personagem principal de No Limite do Amanhã (Warner), filme que estreia no dia 29 de maio.
Cage está envolvido em uma guerra para salvar a humanidade de uma invasão alienígena. Em sua vantagem, ele tem o conhecimento de tudo o que se passa na batalha decisiva. Isso porque ele revive esse dia repetidas vezes: a cada vez que morre na guerra, ele volta para o começo do dia anterior com mais experiência para derrotar os inimigos.
Quem o ajuda é Rita Vrataski (Emily Blunt, de Looper: Assassinos do Futuro), heroína da primeira vitória dos humanos contra os alienígenas. De alguma forma, ela sabe um pouco mais sobre o que se passa na mente de Cage.
A premissa de No Limite do Amanhã é a mesma de Contra o Tempo (Imagem). Em ambos os filmes o herói tem inúmeras chances de chegar a seu objetivo ao reviver o mesmo dia. As diferenças estão nos detalhes.
 
Cena do filme Contra o Tempo (2011)
Em Contra o Tempo, Colter Stevens (Jake Gyllenhaal) é um militar que revive apenas oito minutos dentro de um trem que sofrerá um atentado a bomba. Sua consciência é transferida para dentro da mente de um dos passageiros em seus últimos minutos de vida. A missão é encontrar o responsável pela explosão e, para isso, ele volta para dentro do trem inúmeras vezes.
Além da ter a mesma profissão de Cage, Colter também conta com ajuda feminina. Christina (Michelle Monaghan) é uma outra passageira que o auxilia nas investigações e Colleen (Vera Farmiga) é um colega de trabalho responsável por recolocá-lo na missão depois de cada morte.
PRIMOS DRAMÁTICOS
A ideia de reviver experiências não é exclusividade dos filmes de ação. Questão de Tempo (Universal) é um drama protagonizada por um viajante do tempo que só consegue voltar para seu próprio passado.
 
Cena do filme Questão de Tempo (2013)
Tim (Domhnall Gleeson) descobre aos 21 anos de idade que todos os homens de sua família partilham desse poder. Quem lhe revela esse conhecimento é seu pai (Bill Nighy), que usa sua habilidade para ler uma quantidade enorme de livros.
Em um primeiro momento, o protagonista explora seu poder para conquistar uma namorada (Rachel McAdams). Mais adiante percebe que conseguirá valorizar os pequenos momentos que formam sua vida.
 

Cena do filme Feitiço do Tempo (1993)
 
Feitiço do Tempo (Sony) é uma comédia dramática, que traz um romantismo mais forte em seu desfecho. Phil (Bill Murray) é um jornalista frustrado que vai cobrir o Dia da Marmota, mas fica preso nessa data.
A cada manhã, Phil é despertado pelo rádio que toca a mesma canção, para provar que o dia não passou. No caso de No Limite do Amanhã, o despertar se dá por uma bronca de um militar.
A principal diferença é que esse último exemplo é o único que não dá qualquer explicação para a causa da viagem no tempo. O importante em Feitiço do Tempo é a oportunidade que a situação dá ao personagem para reavaliar sua postura diante da vida.
E você, caro leitor, o que faria se tivesse esse poder?
Veja o trailer de No Limite do Amanhã:
 

 
 
Recomendamos para você