Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 13.03.2014 13.03.2014

‘Need for Speed’ e ‘Velozes e Furiosos’: alta velocidade no cinema

Por Edu Fernandes
 
Há algo de mágico em carros em alta velocidade. Essa paixão é tema de músicas, games, samba-enredo campeão e filmes lucrativos.
Adaptação cinematográfica da série homônima de games, Need for Speed – O Filme (Buena Vista) é o mais recente título a evocar os amantes da velocidade. O longa chega aos cinemas no Brasil em 13 de março, as e comparações com a franquia Velozes e Furiosos (Universal) são inevitáveis.
Em Need for Speed, acompanhamos Tobey Marshall (Aaron Paul, de Amor Imenso), um mecânico que acaba de sair da prisão após ser acusado injustamente pela morte de seu melhor amigo Pete (Harrison Gilbertson, de Pelotão de Elite). Seu plano agora é participar da corrida secreta organizada por Monarch (Michael Keaton, de Os Outros Caras) e vingar-se de Dino (Dominic Cooper, de Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros), o verdadeiro assassino de Pete.
A franquia Velozes e Furiosos (2001-2015) arrecadou mais de US$ 2 bilhões ao redor do mundo e traz como protagonista Don Toretto (Vin Diesel), um piloto em corridas ilegais, assim como Tobey. No primeiro filme da série, o tema é a amizade entre Don e o policial disfarçado Brian O’Conner (Paul Walker), dividido entre os deveres de sua profissão e a paixão pelas corridas.

Cena do filme Velozes e Furiosos 4
O tema da vingança só surge na franquia em Velozes e Furiosos 4 (2009). Letty (Michelle Rodriguez), a amada de Don, é assassinada e ele quer encontrar os responsáveis. Mesmo assim, a relação entre Don e Brian ainda tem um papel fundamental no enredo.
Apesar do conflito humano, Need for Speed mantém-se fiel às origens. Como no jogo de corrida, tudo é resolvido no volante: a disputa contra o antagonista, os obstáculos pelo caminho e a perseguição policial.

Carros em perseguição são atrativos de Need for Speed
Velozes e Furiosos foi inspirado em um artigo jornalístico sobre o mundo das corridas em Nova York. Entretanto, todas as sequências tiveram histórias originais.
No quesito protagonista, a adaptação de game leva vantagem. Aaron Paul tem seu séquito de fãs por causa do trabalho na série Breaking Bad (Sony). Quando Velozes e Furiosos foi lançado, Vin Diesel tinha alguma fama por Eclipse Mortal (FlashFocus), enquanto Paul Walker acumulava papéis em filmes menores e participações em seriados.
Por outro lado, os diretores de Velozes e Furiosos são mais renomados. Em Need for Speed, é a primeira vez que Scott Waugh dirige sozinho uma produção – ele codirigiu o longa de guerra Ato de Valor (Fox).

Cena do filme Velozes e Furiosos
Rob L. Cohen já tinha trabalhos de sucesso em seu currículo antes do primeiro filme da franquia. Ele assina a direção de Daylight (Universal) e outras películas de ação. Depois, os longas da série seriam comandados por John Singleton (Shaft), James Lin (que dirigiu do terceiro ao sexto episódio) e James Wan (Invocação do Mal).
Sobre o futuro, só restam especulações. Need for Speed vai depender totalmente de sua bilheteria para se transformar em franquia. E Velozes e Furiosos 7 precisa mostrar se a série terá fôlego para continuar depois da morte de Paul Walker. A estreia está marcada para 10 de abril de 2015 nos Estados Unidos.
 
Veja o trailer de Need for Speed – O Filme:
 

 
 
Recomendamos para você