Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 20.03.2014 20.03.2014

‘Namoro ou Liberdade’: as comédias românticas pós-revolução sexual

Por Edu Fernandes
 
Assim como filmes de efeitos visuais ficam antiquados por causa do avanço tecnológico, as comédias românticas passam por processos de atualização. No gênero, os avanços nos valores da sociedade é que deixam alguns títulos datados. Namoro ou Liberdade (Imagem), que estreia no Brasil em 20 de março, tenta se manter em dia com a forma como relacionamentos amorosos são encarados atualmente.
“A comédia romântica é um gênero acessível e que sempre rende boas bilheterias justamente por trazer essas relações, às vezes batidas, mas que nem sempre incomodam o público, além de exaltar o starsystem, interessante para o mercado”, declara Diego Benevides, crítico de cinema do site Cinema com Rapadura.
O protagonista é vivido por Zac Efron (Obsessão), na pele de um designer mulherengo que foge ao menor indício de que a garota com quem está saindo quer algo mais sério. Tudo muda quando ele conhece Ellie (Imogen Poots, de A Hora do Espanto).
Até aí, uma premissa mais do que batida nesse tipo de produção. A diferença é que os dois têm uma noite de sexo e só depois de alguns percalços é que começam a sair juntos.
“Agora não esperamos mais o filme inteiro para ver o primeiro beijo do casal que passou a trama brigando”, afirma Diego. “O desafio deles é mostrar como a vida em casal tem seus prazeres e suas adversidades, comunicando-se com mais verdade com o público e ampliando a sensação de identificação entre eles”.
 
Cena do filme De Repente É Amor (2005)
O sexo casual é o ponto inicial de muitos casais de personagens em comédias românticas. É o caso de De Repente É Amor (Disney) e Ligeiramente Grávidos (Universal). Os conflitos se dão depois que o casal já tem algum histórico em comum.
“Anos depois da revolução sexual, Hollywood começou a se atualizar, aos poucos, sobre o comportamento feminino na dinâmica dos relacionamentos”, atesta Micheli Nunes, repórter de cinema do jornal Diário de São Paulo. “Hoje não é tão feio, em uma comédia romântica, uma mulher querer sexo sem compromisso”.
É assim que se porta Ellie, mas ela está longe de ser pioneira. Em Sexo sem Compromisso (Paramount) e Amor e Outras Drogas (Fox), as protagonistas deixam claras aos parceiros suas intenções inteiramente carnais. Mais adiante, são os marmanjos que tomam iniciativa para deixar as coisas mais sérias.
 
Daniel e Chelsea são amigos antes de irem para a cama
Nas comédias românticas contemporâneas, outra possibilidade é o amor nascer entre amigos. Em Namoro ou Liberdade, é o que acontece entre Daniel (Miles Teller, de Finalmente 18) e Chelsea (Mackenzie Davis, de Halt and Catch Fire), amigos de Jason. Ela costuma ajudá-lo a conquistar outras garotas, até que uma faísca entre os dois engata um relacionamento. O mote também é explorado em Amizade Colorida (Sony).
“Ainda existe um modelo bastante nocivo da mulher ‘ideal’: a mulher que é ‘um dos caras’, que não tem frescuras, não gosta de muito romance, joga videogame e bebe cerveja, mas ainda é feminina o suficiente para ser atraente”, alerta Micheli. “Isso passa a imagem de que coisas ‘de mulherzinha’ são irritantes e inaceitáveis. No fim, a cobrança sobre o comportamento feminino apenas mudou de foco”.
 
O desafio de Mickey é superar o divórcio
O terceiro casal de Namoro ou Liberdade é formado por Mickey (Michael B. Jordan, de Poder sem Limites) e Vera (Jessica Lucas, de A Morte do Demônio). Os dois passam por um divórcio, mas ele não está tão disposto a desistir da relação. Essa é a mesma dinâmica dos personagens de Steve Carell e Julianne Moore em Amor à Toda Prova (Warner).
O QUE VEM POR AÍ
Meu Passado Me Condena Miá (Miá Mello) e Fábio (Fábio Porchat) vão a um cruzeiro passar a lua de mel. Lá, reencontram amores de seus respectivos passados. Lançamento em DVD e Blu-ray: 16 de abril.
Minha Vida Dava um Filme Imogene (Kristen Wiig) é uma dramaturga com grandes problemas na vida pessoal e profissional. Ela é obrigada a voltar a morar com sua família e reavaliar seus ideais. Lançamento em DVD e Blu-ray: 16 de abril.
Os Homens São de Marte… E É pra Lá que Eu Vou – A adaptação cinematográfica de peça homônima traz Mônica Martelli enfrentando as dificuldades da mulher moderna em encontrar o amor. Estreia nos cinemas em 29 de maio.
Veja o trailer de Namoro ou Liberdade:
 
 
 
Recomendamos para você