Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 14.07.2010 14.07.2010

Na intimidade com Maria Rita

No fim de junho, Maria Rita surpreendeu seu público – e a mídia – ao estrear quase na surdina um show moldado para casas menores. Afinal, a cantora mal tinha encerrado a turnê do espetáculo Samba meu, que durou dois anos e meio e a levou para todos os cantos do Brasil, normalmente em grandes casas, sempre lotadas.

 Em cartaz no Tom Jazz, em São Paulo, nas últimas quatro segundas-feiras, o novo show de Rita vai ter sua temporada retomada a partir de 9 de agosto (uma temporada paralela no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, também está prevista, mas ainda não foi anunciada oficialmente). A quem não viu, mas gosta da cantora, um aviso: vale a pena pagar R$ 150 por um lugar no Tom Jazz para ver Maria Rita na intimidade que somente as pequenas casas podem propiciar. Feito na companhia de enxuto trio de piano-baixo-bateria, o show reitera a leveza conquistada pela artista na turnê de Samba meu. A cantora retoma seu repertório mais antigo com a desenvoltura de agora. Rita sempre foi uma grande cantora, mas havia peso em suas interpretações. Agora ela já se permite brincar mais em cena sem prejuízo do rigor estilístico que caracteriza suas interpretações.

O roteiro destaca algumas músicas que ela nunca havia cantado. Uma delas é “”Conceição dos coqueiros””, uma das obras-primas do cancioneiro pouco ouvido de Lula Queiroga. É o tema que abre o show de forma esplêndida. Outro destaque é “”Perfeitamente””, parceria de Fred Martins com Fernando Bosco (parece que é sobra do repertório do disco Segundo, de 2005). Mas o que conta não é o ineditismo do roteiro. É a maneira com que a cantora encara esse repertório. “”Só de você””, uma balada fofa e quase esquecida de Rita Lee, traduz bem o clima leve do show.

Recomendamos para você