Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 11.01.2013 11.01.2013

Mulheres que protagonizam, roteirizam e produzem as séries de TV que elas mesmas criaram

Por Willians Glauber
 
Enquanto gravam no set e dão vida às situações vistas em cada episódio, Lena Dunham, Mindy Kaling e Tina Fey provavelmente imaginam quais serão as próximas cenas e os diálogos que comporão toda a temporada. Quando não estão na frente das câmeras, Lena, Mindy e Tina vivem em constante trabalho criativo, já que, além de serem criadoras, estrelas e roteiristas de suas próprias séries, elas também produzem e até dirigem certos episódios.
 
Multifacetadas, elas são prova de que os toques femininos nunca foram tão bem-vindos e importantes para uma melhor qualidade das produções televisivas atuais. “Os homens são tão sensíveis quanto as mulheres, mas nós podemos demonstrar nossos sentimentos sem sermos tão criticadas. Talvez isso seja uma vantagem quando estamos falando de fazer uma coisa que justamente envolve sensações, como a Arte”, argumenta Dani Libardi, uma das diretoras da websérie de sucesso 3%.
 
LENA
Prestes a completar 27 anos em 2013, Lena Dunham não tem medo de arriscar. Ela produz, protagoniza, roteiriza, dirige e criou a série Girls. A produção foi indicada ao Globo de Ouro 2012 nas categorias Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical e Melhor Série de Comédia ou Musical. O talento da jovem foi um dos grandes destaques – e uma das grandes novidades – no mundo televisivo em 2012.
 
A série Girls já foi renovada para a terceira temporada, antes mesmo de começar a segunda (que estreia nos EUA no dia 13 de janeiro). Logo durante o ano em que estreou na TV, a comédia de humor negro comemorou cinco indicações ao Emmy 2012 nas categorias referentes a séries de comédia: Melhor Elenco, Melhor Série, Melhor Direção, Melhor Atriz e Melhor Roteiro. A maior parte das nomeações foi por conta justamente do potencial de Lena à frente e por trás das câmeras.
Em 2009, ela ganhou diversos fãs por conta de sua websérie Delusional Downtown Divas. Mas foi graças ao filme Tiny Furniture, o qual ela dirigiu, roteirizou e estrelou, que Lena abriu as portas da HBO para si e convenceu o canal de TV a cabo a produzir uma série de sua autoria, Girls. “O que mulheres diretoras e roteiristas podem acrescentar ao cenário audiovisual é um aumento no número de protagonistas femininas, com quem tanto homens quanto mulheres se identifiquem. Protagonistas que tenham conflitos além dos clichês na ficção”, enfatiza Dani.
Girls chegou a ser comparada a Sex and The City por conta de sua estrutura de elenco, com quatro amigas e uma história ambientada em Nova York (a série estrelada por Sarah Jessica Parker também foi produzida pela HBO). Porém,Girls provou que as comparações entre as duas param por aí.
 
Girls foi indicada a dois Globos de Ouro e cinco prêmios Emmy já em sua primeira temporada, graças ao trabalho de Lena Dunham (a segunda da direita para a esquerda)
 
MINDY
Uma mulher que é péssima ao escolher homens para namorar, insiste em confundir vida real com comédias românticas à la Uma Linda Mulher e, apesar do sucesso na profissão, enfrenta o fracasso na vida amorosa e pessoal. Essa é a descrição de Mindy Lahiri, a personagem vivida por Mindy Kaling na série The Mindy Project. A atriz e roteirista conquistou o que pouquíssimos conseguem na TV: criou seu próprio seriado num canal aberto, tem o privilégio de protagonizá-lo e de roteirizar suas cenas e, além disso, é uma das produtoras executivas. Isso foi possível graças ao talento dela.
 
The Mindy Project, que estreou na TV estadunidense em setembro de 2012, foi muito bem recebida pelo público e pela crítica, recebendo a encomenda de uma primeira temporada completa, com 24 episódios. A série é uma comédia romântica que consegue cativar os fãs já em seu primeiro episódio. O gênero foi experimentado outras vezes na TV, mas a própria Mindy disse em entrevistas que isso não é ruim se a fórmula for executada com nível elevado de qualidade. Até agora, parece que a protagonista, roteirista e criadora da série tem razão.
 
Ser uma mulher que toma as rédeas de uma produção como essa é uma tarefa de grande responsabilidade e importância. Mabel Lopes, que é diretora e roteirista da websérie O Demônio Não Sabe Brincar, analisa essa presença da mulher nos bastidores das produções. “Fui criada em uma sociedade machista, há aspectos negativos referentes à minha condição feminina, vivi preconceitos e limitações devido a isso. Tendo essa consciência, busco em meus roteiros acrescentar, sempre que possível, personagens femininas fortes, principalmente no papel de protagonista, acho isso importante”, conta Mabel.
 
As características multifacetárias de Mindy puderam ser comprovadas quando fez parte do elenco de The Office, de 2005 a 2012. A princípio, ela foi contratada como roteirista. Aos 24 anos, Mindy debutava na TV como a primeira mulher a fazer parte do corpo de roteiristas de The Office. Depois de dirigir um dos episódios, ela foi convidada a exercer também a função de produtora executiva da série.
 
Mindy Kaling criou a série The Mindy Project. A atriz ficou conhecida por roubar a cena no papel de Kelly na série The Office
 
Tanto Mindy quanto Lena estão longe dos estereótipos e dos padrões de beleza impostos em Hollywood. Além de provar seus talentos como criadoras, protagonistas e roteiristas de séries que agradaram ao público, elas fazem parte de uma pequena parcela de mulheres que estão dispostas a criar novos paradigmas e a inspirar uma geração com menos embalagem e mais conteúdo.
 
TINA
Mas se Mindy e Lena hoje estão à frente de suas próprias séries e conquistaram seus espaços na TV, é porque, antes delas, outras mulheres se atreveram a ultrapassar barreiras. Tina Fey, que é criadora, roteirista, produtora executiva e protagonista da comédia de sucesso 30 Rock, é uma delas. Tina começou a carreira por trás das câmeras, como roteirista do tradicional programa televisivo dos EUA Saturday Night Live. De 1997 até 2006, ela roteirizou as situações e os diálogos hilários do humorístico, que também foi palco da estreia de Tina como atriz.
 
A série 30 Rock, que estreou em 2006, nasceu justamente da vivência de Tina nos bastidores de Saturday Night Live. A comédia está em sua sétima e última temporada e conta a história de Liz Lemon (papel de Tina), que precisa lidar com um chefe arrogante e uma estrela de talk show meio maluca. 30 Rock conquistou seis Globos de Ouro e 14 prêmios Emmy até hoje, alguns deles frutos da atuação e dos roteiros da criadora do programa.
 
Tina Fey criou a comédia premiada 30 Rock, baseada em suas experiências como uma das roteiristas de Saturday Night Live
 
Em 2007, quando Tina levou o Emmy de Melhor Série de Comédia para casa, a criadora de 30 Rock fez história, pois desde 1992 um seriado criado por uma mulher não ganhava o prêmio. Tina Fey tem um contrato fechado de 4 anos com a Universal Television, estúdio responsável por 30 Rock. Nos próximos anos, ela desenvolverá novos projetos para o canal NBC e, possivelmente, mais uma vez, estrelará um deles.
 
Confira o trailer legendado de The Mindy Project:
 
 
 
Recomendamos para você