Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 19.10.2011 19.10.2011

Muito além do bom humor

Por Cintia Lopes
Na foto ao lado, Maria Paula
             
Não é de hoje que Maria Paula é considerada sinônimo de irreverência. Também não é para menos. Durante 11 anos, a atriz e apresentadora foi a representante feminina da turma do Casseta e Planeta e ainda convive com o codinome “dona casseta” por onde quer que vá, mesmo após ter deixado o humorístico.
A associação nunca incomodou a atriz, mas chega uma hora que é necessário, como ela própria diz, seguir novos caminhos.
A atriz decidiu então investir na literatura e comemora agora o lançamento do livro Liberdade Crônica, da editora Faces, que reúne crônicas sobre política, meio ambiente e reflexões do mundo moderno dividas em três partes: atitude caráter, atitude afeto e mulher de atitude. “Não falta atitude aos brasileiros, mas há vícios culturais muito nocivos. Atitude é o cara que tem comprometimento e tenta fazer o melhor, mesmo sem saber se vai conseguir”, conclui.
Os textos são uma compilação das crônicas assinadas por Maria Paula e publicadas no jornal Correio Braziliense desde 2005. Para ela, não há dificuldade em escolher os assuntos. “O meu problema é com a concisão do texto. As crônicas precisam de uma sacada diferente porque as notícias estão todas nos jornais e todo mundo já leu”, explica.
A atriz, que possui uma vasta biblioteca em casa, busca inspiração no estilo de cronistas como Martha Medeiros, Carlos Heitor Cony e Rosiska Darcy de Oliveira e viaja pelo país fazendo palestras em universidades.
Por isso mesmo, Maria Paula explica que não existe possibilidade de se juntar novamente aos ‘Cassetas’, que voltam ao ar em 2012. “Essa é a minha hora. Preciso de um novo passo. Tive essa pausa e não teria cabimento voltar atrás. Quero fazer coisas novas e me reinventar”, explica.
 
Maria Paula
Ela, que também é psicóloga, conta que decidiu dar um novo rumo à carreira que já acumula 20 anos. “Não me arrependo de nada. Tudo depende da maneira como você se coloca e o programa permitiu que eu permeasse todas essas nuances”, avalia. Os tipos preferidos pelo público ainda estão na memória. “É incrível como as pessoas lembram das imitações da Michelle Obama, Deborah Secco… Acho o máximo”, recorda, entre risos.
Contratada da Globo, Maria Paula não pretende ficar fora do ar por muito tempo. “Já apresentei alguns projetos que estão em análise pela emissora”, conta empolgada.
Planos para atuar não faltam. Tanto que ela já está escalada para a continuação do longa De Pernas Pro Ar – Parte 2. No filme, protagonizado por Ingrid Guimarães e com direção de Roberto Santucci, Maria Paula interpretará novamente a irreverente Marcela, dona de um sex shop. “É uma comédia realmente muito divertida e a Marcela é uma ‘expert’ quando o assunto é prazer”, confirma.
Paralelamente ao trabalho no cinema e à divulgação do livro pelo país, a atriz também está envolvida ativamente em algumas campanhas. Depois de lutar pela aprovação da lei da licença-maternidade para seis meses, ela agora está à frente da campanha PRONEI (Programa Nacional de Educação Infantil para a Expansão da Rede Física) ao lado de Chico Buarque. “O objetivo desse projeto é expandir a rede de creches e pré-escolas gratuitas para a população carente utilizando os recursos do FGTS”, explica.
Ela conta que agora quer usar a própria imagem para tentar realmente fazer a diferença. “O que acontece é que o brasileiro se sente um bosta quando vê os políticos roubando em Brasília, mas quando questionado, diz que gostaria de estar no lugar de um deles. Isso é péssimo”, analisa.
A nova fase de Maria Paula coincide também com a chegada aos 40 anos. Ela, porém, não esconde que bateu uma certa insegurança. “Tive muita força de vontade para assumir essa maturidade e a certeza de que não serei uma coroa que finge ser garotinha”, compara aos risos.
A maternidade também é apontada como um fator diferencial na vida da atriz, que é adepta do budismo. Mãe de Maria Luisa, 7 anos, e de Felipe, 3, ela é o tipo “coruja”. “A disponibilidade para o outro foi o que mais mudou na minha vida”, explica. “Antes era focada e centrada em mim mesma. Hoje, não tomo nenhuma decisão sem antes pensar na repercussão que terá na vida dos meus filhos”, resume.
 
Recomendamos para você