Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 11.07.2011 11.07.2011

Mesa com David Byrne discute projetos urbanísticos sustentáveis

Desta vez os brasileiros não ouviram David Byrne cantar, mas em compensação escutaram o músico compartilhar alguns pontos de vista bem interessantes sobre meios mais sustentáveis de se viver.
Na mesa, Tour dos Trópicos – uma referência a prova internacional de ciclismo Tour de France – Byrne contou sobre as experiências que viveu, e registrou no livro Diários de Bicicleta (Amarilys), ao pedalar por diversas cidades do mundo. Mais que um registro de viagem, o livro expõe ideias sobre urbanismo e transporte público sustentáveis.
E é sobre essas ideias que o músico falou no último dia de Flip. Com participação do especialista urbano Eduardo Vasconcelos e mediação do jornalista Alexandre Agabiti Fernandez, o encontro começou com a apresentação de um video inspirador com cenas de filmes em que os personagens pedalam suas magrelas.
A relação de Byrne com este meio de locomoção se estreitou nos anos 80, quando ele levou a sua bicicleta de infância para Nova York. Queria ver se era possível ir com ela a museus e outros lugares da cidade. E como esperava, ela se mostrou muito útil. Então, há algum tempo, em suas turnês mundiais, ele começou a levar uma bicicleta dobrável. Andar de bicicleta era uma maneira de se manter são e explorar os lugares que via. De certa forma, ao se locomover assim, sentiu que era dono de sua vida mais uma vez. Os aspectos sustentáveis foram colaterais, a principal motivação foi emocional.
Agora, anos depois, ele divide com as pessoas em Paraty o que observou nesses locais e alguns projetos urbanísticos que julga relevantes. Como cidades amigáveis as bikes, ele menciona Berlim, Amsterdã, Copenhagen. Mas para o músico, às vezes é mais interessante pedalar em locais que não oferecem tantas facilidades, quando você tem que descobrir seus caminhos pela cidade, como ele fez em Roma.
Byrne cita o Brasil diversas vezes como exemplo positivo. Para ele, São Paulo tem potencial, é mais verde e eficiente do que se imagina. Promete pedalar pela cidade, mas conta que todos lhe desejam boa sorte.
Mesmo com sua interessante militância sustentável, Byrne continua fazendo música, seu talento mais conhecido. Recentemente fez uma canção para o documentário sobre a descriminalização do consumo de drogas, Quebrando o Tabu. E para quem ainda possa querer saber sobre uma possível volta ao Talking Heads ele é enfático, e bem humorado: "Não, seria como voltar com sua primeira namorada".
Recomendamos para você