Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 20.05.2013 20.05.2013

Mass Effect: Muito além da trilogia

Por Míriam de Souza
 
Nem Star Trek, nem Battlestar Galactica. O universo de Mass Effect é um dos mais completos da ficção científica nos games. Em 2012, foi lançado o terceiro título da série – e último da trilogia. Mass Effect 3 foi aclamado pela crítica e recebeu o prêmio de Melhor RPG em dois concursos. O primeiro game da franquia, que completou cinco anos, introduz a história do Comandante Shepard e sua luta contra os Reapers, seres robóticos que ameaçam a galáxia.
 
Para começar, é preciso esclarecer o título do game. “Mass effect” é um efeito físico recém-descoberto naquele universo ficcional. Quando uma substância chamada “element zero” é exposta à eletricidade, é criado um campo. Todo objeto que estiver dentro desse campo tem sua massa alterada. Além de outros efeitos explorados no jogo, isso traz a possibilidade de viajar com velocidade maior que a da luz.
 
SUA ESCOLHA, SUA HISTÓRIA
 
A história se passa no ano 2183, três décadas após uma diáspora terráquea pelo universo. Com o auxílio de “mass relays”, artefatos que criam as alterações de massa do título do jogo, os habitantes do planeta Terra puderam viajar instantaneamente e criar colônias humanas em diversos planetas. Se é simples explicar esse contexto, apresentar o protagonista é mais difícil. Ele é quase totalmente criado pelo jogador.
 
As escolhas que marcam Mass Effect começam pela criação do Comandante Shepard. Ao iniciar um novo jogo, o gamer decide o primeiro nome, sexo, aparência, passado e experiência de combate do personagem, que comanda a nave SSV Normandy. Mas as decisões não param por aí. Sempre que entra em diálogo, o protagonista tem seis opções de resposta. As reações dos outros personagens vão depender da escolha, assim como certos rumos na história – e as decisões podem ser transportadas para Mass Effect 2 e 3, caso o player importe os movimentos salvos.
 
Os diálogos influenciam no sistema de moralidade do game. Seu Comandante Shepard pode ser um “Paragon” – com atitudes moderadas e dentro das regras – ou um “Renegade” – que age de maneira mais agressiva. O sistema de moralidade afeta a maneira como os outros personagens interagem com o protagonista. Há um enredo paralelo focado no romance entre os tripulantes da Normandy. No primeiro game, Shepard pode se relacionar com dois humanos (um homem e uma mulher) ou uma alienígena.
 
Mass Effect 1: As escolhas são essenciais para determinar o rumo da história na série
DIVERSIDADE ESPACIAL
 
Em algumas histórias de ficção científica, é comum que as espécies alienígenas se pareçam coincidentemente humanoides. O formato da orelha, a cor da pele, pouca coisa muda. Isso acontece porque os atores são humanos – consequentemente, personagens humanoides ganham mais tempo de tela. Isso não necessariamente precisa acontecer em um game. A facilidade em animar personagens diferentes levou à criação de diversas espécies de alienígenas. Conheça algumas delas:
 
Hanar – São invertebrados que parecem águas-vivas. Surgiram em um mundo 90% coberto por água e têm uma cultura religiosa fortíssima.
 
Keeper – Estes insectoides verdes têm oito patas e são completamente dóceis, mas pouco se sabe sobre eles. Quando um keeper é capturado, seu corpo libera uma substância de autodestruição, dissolvendo seu corpo.
 
Turian – Com uma cultura militarizada, os turians são vistos como imperialistas pelas outras raças. Eles são bípedes marrons.
 
Salarian – Os anfíbios bípedes têm um metabolismo muito acelerado, o que faz com que sua vida dure o equivalente a 40 anos humanos. 90% da espécie é do sexo masculino.
 
Asari – A pele azulada é a mais chamativa característica desta raça. Uma das tripulantes da Normandy, Liara, pertence ao grupo.
 
Personagem Liara, que pertence à espécie alienígena Asari
UNIVERSO EM EXPANSÃO
 
Com tantas possibilidades dentro da história criada para a série, Mass Effect não parou em uma trilogia. Há boatos sobre o desenvolvimento do quarto game – que provavelmente seguirá um arco diferente do usado nos anteriores.
 
Já foram lançados quatro livros dentro desse contexto: Revelation, Ascension, Retribution e Deception. As adaptações para quadrinhos são oito. A primeira foi Mass Effect: Redemption, com foco na personagem Liara. Está prevista para julho uma série de 13 volumes com uma história paralela à da trilogia. No final do ano passado, foi lançada pelo estúdio japonês T.O Entertainment uma animação chamada Paragon Lost, que tem como protagonista o soldado James Vega.
 
Outras mídias adaptarão o universo em breve. A Warner Bros. adquiriu os direitos cinematográficos do game em 2010. No segundo semestre, será lançada uma versão “Mass Effect” para o jogo de tabuleiro Risk.
 
Mass Effect 2: O Comandante Shepard deve enfrentar os Reapers em Mass Effect
 
 
Recomendamos para você