Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 19.11.2013 19.11.2013

Kerry Washington e Shonda Rhimes são as representantes das mulheres negras nas séries norte-americanas de TV

Por Willians Glauber
 
Para começar esta matéria, aí vai um jogo rápido. Primeiro, tente se lembrar do elenco das séries que você acompanha. Agora, faça uma conta rápida dos atores brancos da trama. Bom, agora conte quantos personagens negros estão no elenco.
 
Pois é, o SaraivaConteúdo também fez essa conta e chegou à mesma conclusão que você: são pouquíssimos os afro-descendentes que dão vida às histórias na televisão. E com um olhar mais atento, o número diminui quando se procura por protagonistas negros.
 
Ao se esmiuçar ainda mais essa mesma busca com uma divisão por gênero, a diferença entre homens e mulheres é gritante. Eles estão muito mais presentes na telinha do que elas.
 
Depois de passar um pente fino nos principais canais da TV aberta dos Estados Unidos e das emissoras a cabo que operam no Brasil, nós aqui da Redação chegamos a apenas duas protagonistas à frente e atrás das câmeras atualmente: Shonda Rhymes e Kerry Washington.
 
KERRY WASHINGTON
 
Além do fato de estar sob os holofotes desde que a série Scandal estreou, em 2012, a atriz merece destaque por fazer história na TV norte-americana.
 
O debute de Kerry na produção de horário nobre marca a primeira vez que uma atriz negra ocupa a posição de protagonista de um seriado desde 1975, quando cancelaram Get Christy Love.
 
Além disso, em 2013, a qualidade de seu trabalho em Scandal lhe rendeu uma indicação ao Emmy na categoria de melhor atriz de série dramática. E mais uma vez, Kerry quebrou barreiras: antes dela, a única atriz negra a ser indicada ao prêmio nessa mesma categoria foi Cicely Ryson, em 1995.
 
Nos 65 anos de existência da premiação, nenhuma atriz afro-descendente ganhou um Emmy de melhor atriz. Se Kerry tivesse levado o prêmio para casa, entraria para a História como a primeira mulher negra a ganhar na categoria; porém, na edição de 2013, a vencedora foi Claire Danes, protagonista de Homeland.
 
“Um protagonista deve despertar algum sentimento no espectador, seja de amor ou ódio. Kerry é uma atriz espetacular”, afirma o jornalista Beto Carlomagno, do site TeleSéries.   
 
A indicação de Kerry Washington para o Emmy foi um reconhecimento pelo seu trabalho em Scandal. O seriado conquistou o público ao contar a história de Olivia Pope, uma mulher que, depois de trabalhar durante anos como assessora de comunicação da Casa Branca, decide abrir sua própria empresa de gerenciamento de crises, com foco nos escândalos envolvendo políticos.
 
Enquanto resolve os problemas de seus clientes, Olivia precisa lidar com os seus próprios dilemas, entre eles um romance secreto com o presidente dos Estados Unidos, que é casado.
 
"Pegando Scandal como exemplo, há um marco do presente na construção dessa série, que é pautada pela nossa atual realidade. Ter uma assessora negra na Casa Branca como protagonista de uma história aproxima o público de uma nova forma norte-americana de se pensar", analisa Alex Francisco, roteirista e autor do livro A Visita, que também é negro.
 
SHONDA RHIMES
 
Esta é a mulher por trás de uma série que conquistou um público cativo no mundo inteiro, um sucesso que não se via desde Plantão Médico. Shonda Rhimes é a criadora, produtora executiva e uma das roteiristas de Grey’s Anatomy, que atualmente está em sua 10ª temporada.
 
Ela e a atriz Kerry Washington têm em comum não só a cor da pele, já que trabalham juntas em Scandal, atração que também nasceu da cabeça de Shonda, que a produz e roteiriza.
 
Shonda Rhimes foi a primeira mulher negra a ser showrunner de uma série no horário nobre da TV dos Estados Unidos. Grey's Anatomy é uma de suas criações
 
Assim como Kerry, Shonda quebrou barreiras ao longo de sua carreira por trás das câmeras de Hollywood. Ela foi a primeira showrunner (termo para designar o “manda-chuva” de uma produção para TV nos Estados Unidos) mulher e negra de um seriado do horário nobre na televisão estadunidense.
 
Ambas as produções têm bons índices de audiência e atingem um número grande de espectadores que se relacionam com o que veem na telinha. "As séries pedem premissas abertas e tendem a se pautar pelo período em que vivem, vide Almost Human [atração que estreia este mês nos EUA], que tem um protagonista negro e se passa em 2048", explica o roteirista Francisco.
 
A produtora executiva e roteirista se tornou uma espécie de "galinha dos ovos de ouro" do canal ABC (que transmite Scandal e Grey’s Anatomy nos Estados Unidos) e já tem uma nova produção escrita para a emissora. Lawless será um drama que mostra o retorno de uma advogada à sua cidade natal.
 
PARA VOCÊ FICAR DE OLHO
 
Nesta temporada, a atriz Nicole Beharie encorpou um pouco mais a mirrada lista de atores negros em papéis principais nas séries de TV. Ao lado do ator Tom Mison, ela protagoniza a história de Sleepy Hollow, um dos seriados estreantes.
 
Na série antológica American Horror Story, que este ano tem o subtítulo de Coven, a atriz Angela Basset possui um papel de destaque na trama, apesar de não ser a protagonista.
 
E por falar em destaque, quem assiste ao seriado Person of Interest sabe que a personagem Joss Carter, uma das que protagonizam a trama, é interpretada pela atriz negra Taraji P. Henson.
 
A atriz Angela Bassett ganhou destaque este ano ao interpretar uma bruxa vudu no seriado hit American Horror Story, que este ano tem o subtítulo de Coven
 
Recomendamos para você