Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 18.01.2011 18.01.2011

Jorge Mautner, 70 anos. Para ficar na memória

Por Bruno Dorigatti
Foto de Bruno Duarte

Jorge Mautner estava feliz noite passada. Ao celebrar seus70 anos com os amigos de ontem e de hoje, cantou, dançou, falou e se divertiu àbeça em um show histórico, que reuniu Gilberto, Jards Macalé, Caetano Veloso,além da Orquestra Imperial e do grupo de teatro do AfroReggae, que abriu anoite representando um trecho de Urucubaca,peça do homenageado. 

Empunhando seu violino, o gran mestre supremo do Kaoscomeçou apresentação cantando “Homem bomba”, faixa do disco que fez com Caetanoem 2002, Eu não peço desculpa. E estáneste disco, aliás, o embrião do que viria a ser a Orquestra Imperial, trupe daqual Mautner é o padrinho natural, além de ter participado de dezenas de showse composto uma música onde homenageia os amigos da nova geração, “Ao som da OrquestraImperial”. Produzido por Kassin, o álbum contou com a participação de Domenico,Pedro Sá, Moreno Veloso e Nelson Jacobina, parceiro de Mautner de longa data,com quem compôs, entre muitas outras, o clássico “Maracatu atômico”. Depoisdesse disco é que a Orquestra começou a tomar forma, reinterpretando sambas,boleros e valsas de antanho. 

E foi essa Orquestra, completa e afinada, que acompanhouMautner e seus convidados, a começar por Gil, que cantou a parceria dos dois,“Os pais”, e “Maracatu atômico”. Macalé mandou uma versão de “Vapor Barato” comMautner ao violino, e Caetano, serelepe e soltinho, dançando a vontade com osamigos – deu até um selinho no aniversariante – cantou “Todo errado” e “Manjarde reis”, ambas do disco que gravaram em parceria. Teve ainda Jorge Vercilo nobanquinho e violão, um tanto deslocado e até vaiado pelo público. Mas foraisso, e também alguns problemas técnicos de som, quem esteve num Circo Voadorlotado em plena segunda-feira presenciou um excelente show de mais de duashoras, um passeio pelas canções que Mautner imortalizou e que ajudaram adefinir a música brasileira a partir do final dos anos 1960, ainda que elesempre tenha atuado mais nos bastidores, influenciando os amigos que foramreverenciá-lo ontem, um front man que nunca se importou com isso. Para ficar namemória.

Recomendamos para você