Bel Sanmax por Bel Sanmax Livros 16.01.2018 16.01.2018

Jô Soares faz 80 anos: “Sou movido pela curiosidade”

Jô Soares, um dos maiores nomes do entretenimento e cultura do Brasil, completa 80 anos em 2018. Nascido José Eugênio Soares no Rio de Janeiro, em 16 de janeiro de 1938, Jô limpou a sempre ocupada agenda para escrever sua autobiografia, O Livro do Jô: Uma Biografia Desautorizada – Volume 1.

Dividida em duas partes, sendo a segunda programada para ser lançada ao final de 2018, a produção da obra começou depois do término de O Programa do Jô, ao qual comandou por 16 anos na Rede Globo. A decisão foi dele e sua partida amigável, declarou Jô, pois já não tinha “o mesmo prazer de antes”.

O Livro De Jô - Uma Autobiografia Desautorizada - Vol. 1

O Livro De Jô - Uma Autobiografia Desautorizada - Vol. 1 (Cód: 9864165)

R$ 64,90 R$51,90 em até 1x de R$ 51,90 sem juros Quero este produto

Mas isso não quer dizer que Jô pensa em desacelerar sua carreira multifacetada: músico, ator, pintor, humorista, autor de oito livros, diretor de diversas peças – ele garante que completar 80 anos não altera em nada o seu apetite artístico.

Eu não paro para me analisar (quanto à idade), isso é uma função para quem está me vendo. Faço o que me dá vontade de fazer e que eu tenha oportunidade para. Nada é planejado como se fosse um trabalho mecânico”, contou ele à Saraiva.

O Livro do Jô, que leva o subtítulo de “uma biografia desautorizada”, foi escrito em parceria com o jornalista Matinas Suzuki Jr.

O processo se deu em reuniões quase diárias entre os dois, realizadas na casa de Jô, nas quais o jornalista gravava as conversas e as narrações das histórias. O resultado? Mais de 150 horas de áudio.

A primeira parte cobre o período que vai desde o nascimento de Jô, em 1938, até meados da década 1960.

Confira o bate-papo da Saraiva com Jô Soares:

O que motiva o Jô

“A vontade de aprender. Sobretudo de aprender”.

Eu acho que a vida deve ser um constante aprender. Sou movido pela curiosidade. A curiosidade é o grande propulsor da humanidade.

“Me guio pelos acontecimentos da minha vida, vou fazendo, não sei como nem porquê. Minha atividade é muito essencial, faço tudo o que eu quero fazer naquela hora. E graças a Deus eu tive oportunidade de realizar isso. Mas nada é planejado, vamos dizer assim, nada calculado”.

Jô Soares. Crédito: Acervo pessoal do autor/ Reprodução Marcos Vilas Boas

Jô multifacetas

“Eu acho que é tudo a mesma coisa! Só seria mesmo surpreendente se eu fosse humorista e neurocirurgião. Mas o resto são atividades todas de um mesmo impulso, um impulso criativo, um impulso artístico”.

Sou existencial, vou fazendo o que se apresenta. Acho muito mais interessante fazer 80 anos do que 79. Os 79 não têm nem o charme sensual de fazer 69!

“Tanto faz se isso se manifesta em uma exposição de quadros, através de um programa na televisão ou dirigindo uma peça. São todos dedos da mesma mão, o impulso é o mesmo, mas se manifesta de formas diferentes. Realmente, no fundo, tudo é uma coisa só.”

Jô multimídias

“Em todas essas áreas [novidades tecnológicas, plataformas], quando é necessário, eu mergulho de cabeça.”

Não tenho preconceito nenhum quanto à maneira de me expressar.

“Só não tenho nada de Twitter, Facebook… e qual o nome do outro? Instagram… Cada um [artista] se manifesta da maneira como bem entende. Eu tenho vontade de fazer um espetáculo de teatro. Por quê? Porque eu quero e porque tive a oportunidade de fazê-lo, de construir as possibilidades para montar um. É assim que eu vou levando, sem nada planejado”.

Jô Soares. Crédito: Acervo pessoal do autor/ Reprodução Marcos Vilas Boas

Jô: o que lê e assiste

“Gosto muito de ler, ainda mais agora que se pode ler nos e-Books. Para mim é melhor por causa dos meus braços, depois da queda da moto [Jô sofreu um acidente em 2004, em que fraturou o braço]! Livro de papel também leio muito, mas os mais pesados leio no e-book.”

“Acabei de ler o livro da Fernandinha Torres [A Glória e Seu Cortejo de Horrores], quem eu acho espetacular. Também terminei o livro da Lilia [Lima Barreto – Triste Visionário], que vai muito além de ser uma biografia, é o retrato de uma época do país”.

“Adoro ver seriados, vejo muitos. O último que eu assisti foi um seriado alemão, chamado Babylon Berlin.”

O Livro De Jô - Uma Autobiografia Desautorizada - Vol. 1

O Livro De Jô - Uma Autobiografia Desautorizada - Vol. 1 (Cód: 9864165)

R$ 64,90 R$51,90 em até 1x de R$ 51,90 sem juros Quero este produto
Recomendamos para você