Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 07.05.2013 07.05.2013

‘Infinity Ring’: viagem no tempo revisitada

Por Maria Fernanda Moraes
 
A ideia de poder viajar no tempo sempre encantou leitores e telespectadores. Desde A Máquina do Tempo, de H. G. Wells, até Operação Cavalo de Troia, de J. J. Benítez. Passou ainda pela trilogia De Volta para o Futuro, de Robert Zemeckis, e pelo filme Feitiço do Tempo, de Harold Ramis. Dos livros ao cinema, dos clássicos aos best-sellers e blockbusters.
 
É só surgir um livro novo sobre a temática que o alvoroço entre os fãs está instaurado. E talvez esse seja um dos rincões mais profícuos da ficção científica em termos de produção literária. Aproveitando o lançamento de uma nova série juvenil sobre o tema, Infinity Ring, cujo primeiro volume é Um Motim no Tempo (Editora Seguinte), o SaraivaConteúdo conversou com jovens leitores que não perdem uma só obra sobre viagem no tempo.
 
Um Motim no Tempo já é unanimidade entre eles. A série terá um total de sete livros, e cada um deles é escrito por um autor diferente. No primeiro, James Dashner apresenta os personagens Dak Smyth e Sera Froste, dois amigos que descobrem o segredo da viagem no tempo — um dispositivo portátil conhecido como Anel do Infinito – e tentarão consertar a História e salvar a humanidade.
 
O formato da série agradou bastante a Paulo Vaughan, do blog Conversa Cult. “Como [a série] é escrita por vários autores, o leitor pode ver como diferentes escritores trabalham uma história. Eu estou muito empolgado para o próximo, porque quero ver como a Carrie Ryan vai conduzir a história, ainda mais depois da ‘bomba’ que o James Dashner jogou no final de Um Motim no Tempo. É quase como uma daquelas brincadeiras infantis em que uma pessoa começa uma história e as outras vão continuando, tomando caminhos nunca esperados por quem começou”.
 
Primeiro volume da série já lançado no Brasil
 
Mas se engana quem acha que o enredo fica no clichê de “tomar cuidado com a alteração do passado para não modificar brutalmente o futuro”. Luisa Freiheit, do blog Fome de Livros, explica que cada livro da série concentra-se em um período diferente da História e, nesse primeiro, o escolhido é a descoberta da América. Além disso, a aventura também é interativa. Cada volume vem acompanhado de um Guia do Guardião da História — composto de um mapa e dicas, informações e mensagens codificadas. Com a ajuda do guia, os leitores acessam a página do livro na internet (clique aqui) e podem explorar esse universo nos jogos que acompanham cada livro.
 
Mais dois volumes serão lançados ainda em 2013
 
Os leitores também listaram o que Um Motim no Tempo tem de diferente em relação a outras histórias de viagem no tempo:
 
Paulo: “Um dos pontos altos do livro é a Reminiscência, memória de algo que nunca aconteceu. Não me recordo de ter visto algo parecido antes e gostei, espero que desenvolvam mais disso ao longo dos próximos livros. Uma das passagens que fiquei muito interessado é quando se menciona o fato de Alexandre, O Grande, ter uma história diferente da que conhecemos. Seria muito legal se, em algum momento, essa história fosse desenvolvida, até porque essa foi uma das primeiras Fraturas.”
 
Cida Oliveira (blog Moonlight Books): “Gostei muito da mistura de realidade e fantasia, já que Um Motim no Tempo traz fatos históricos, mas que aconteceram de forma diferente da que conhecemos. Uma cena que me chamou a atenção é quando Dak está lendo um livro e podemos perceber como foi difícil encontrar um exemplar físico, pois o formato digital é predominante. Eu me vi no lugar dele, pois amo pegar o livro nas mãos, sentir seu cheirinho, e agiria como ele.”
 
Cavalo de Tróia é um dos clássicos sobre viagem no tempo 
 
Livia Mayara (blog No mundo dos Livros): “Sou fascinada pela Teoria do Caos, principalmente o Efeito Borboleta, onde uma pequena ação pode causar uma reação sem tamanho. Essa mistura com a História ficou muito legal! Além disso, no decorrer do livro, a famosa incógnita do ‘E se…’ sempre fica implícita.”
 
Luisa: “O que eu gostei é que em vez de os protagonistas usarem seu ‘poder’ para vantagem pessoal, eles tentam corrigir diversos períodos da História que acreditam ter se desviado de seu curso natural.”
 
Thaís Cavalcanti (blog Pronome Interrogativo): “O meu destaque vai para a ‘disputa’ entre os Guardiões do Tempo e os Guardiões da História: ambos inseriram e treinaram pessoas no passado para impedir um ao outro. Chega a dar um nó na cabeça.”
 
Audrey Niffenegger mistura romance à viagem no tempo
 

Com a ajuda dos leitores, listamos também outros livros bacanas sobre viagem no tempo.

 
Escolhidos da Cida:
Amanhã Você Vai Entender, de Rebecca Stead, traz o tema de forma misteriosa e pelos olhos de uma criança na década de 70;
Amor Contra o Tempo, de Myra McEntire, mistura romance e ficção científica.
 
Escolhido da Livia:
– O Guardião, de Dean Koontz, grande mestre de livros do gênero sobrenatural.
 
Escolhido da Luisa:
Tempest, de Julie Cross. O livro fala sobre Jackson, um garoto de 19 anos que descobriu que consegue saltar no tempo e tenta lidar com as consequências.
 
Tempest traz a história de um garoto de 19 anos que viaja no tempo
 
Escolhido da Thaís:
Os Doze Trabalhos de Hércules, de Monteiro Lobato.
 
Escolhidos do SaraivaConteúdo:
Um Ianque na Corte do Rei Arthur, de Mark Twain
O Restaurante no Fim do Universo, Douglas Adams
A Viajante do Tempo, Diana Gabaldon
Três Meses no Século 81, Jerônimo Monteiro
Millennium, John Varley
O Mapa do Tempo, Félix J. Palma
A Mulher do Viajante do Tempo, Audrey Niffenegger
O Fim da Eternidade, Isaac Asimov
Prada & Prejudice, Mandy Hubbard
Perdida, Carina Rissi
 
Próximos lançamentos da série Infinity Ring:
Vol. 2: Dividir e Conquistar, de Carrie Ryan (previsão: julho/2013)
Vol. 3: O Alçapão, de Lisa McMann (previsão: novembro/2013)
 
 
Recomendamos para você