Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 29.11.2009 29.11.2009

II Conexões Itaú Cultural e V Encontros de Interrogação

O Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ promove o II Conexões Itaú Cultural e o V Encontros de Interrogação, no Rio de Janeiro, dias 1 e 2 de dezembro.

As atividades fazem parte do programa geral de literatura do Itaú Cultural e acontecem ao mesmo tempo e no mesmo lugar. A intenção é favorecer os contatos entre pesquisadores estrangeiros e escritores brasileiros.

A entrada é franca.

>>> Veja a programação completa:

II Conexões Itaú Cultural

01.12 – terça-feira

9h30 – Pesquisar a literatura brasileira contemporânea – padecer no paraíso?

O mapeamento da literatura brasileira no exterior revela que a maioria dos entrevistados trabalha com literatura brasileira contemporânea, especialmente a publicada a partir dos anos 80. Esta mesa discute as dificuldades práticas – e teóricas – enfrentadas pelos estudiosos da produção literária brasileira recente.

Com Horst Nitschak, Leonardo Tonus, Milton Hatoum e Pedro Meira Monteiro
Mediação: Beatriz Resende

11h30 – Traduzindo o Brasil – limites e possibilidades

Os tradutores desempenham um papel essencial na difusão da literatura brasileira no exterior. O contraste entre a dinâmica do mercado editorial e as políticas públicas de apoio à tradução marcam a discussão sobre as dificuldades e o apoio que deveria ser prestado a esse trabalho.

Com Cliff Landers, Moacyr Scliar, Pal FErÉnc e Rodolfo Mata
Mediação: Felipe Lindoso

02.12 – quarta-feira

9h30 – Descobrindo o Brasil – Revistas Literárias

As revistas literárias têm um papel importante no estado da literatura brasileira. Não apenas são o veículo onde os estudiosos apresentam em primeira mão seus trabalhos, como também publicam traduções e promovem o intercâmbio entre os próprios pesquisadores.

Com Carlos Paulo Martinez Pereiro, Darlene Sadlier, Leila Lehnen, Pedro Serra
Mediação: Claudiney ferreira

11h30 – As leituras da literatura brasileira no exterior

A publicação da literatura brasileira no exterior envolve um conjunto de atores. Em primeiro lugar, os autores. Mas sem os agentes literários e os editores o trabalho não chega às mãos dos seus destinatários finais, os leitores. Como se percebe, se lê e se vende literatura brasileira no exterior?

Com Carmen Corral, Lúcia Riff, Luiz Ruffato, Roberto Vecchi
Mediação: João Almino

 

Encontros de Interrogação

01.12 – terça-feira

15h30 – Criação Poética e Ficção da Inspiração ou O “poeta fingidor” de Fernando Pessoa é um artífice que, como queria Valéry, “transforma o leitor em inspirado”?

Que resposta se pode dar hoje à antiga e, por sua recorrência, sempre atual questão sobre a gênese do trabalho poético? Valores antagônicos como inspiração e labor textual podem ser estratégias que atendem às expectativas da crítica e dos leitores? Ao se expor em saraus e festas literárias, o poeta busca adicionar um valor testemunhal ao seu trabalho?

Com Frederico Barbosa, Marco Lucchesi e Micheliny Verunshk
Mediador Wilberth Salgueiro

17h30 – Criação e Crítica Literária ou Existe literatura sem reflexão sobre os processos criativos consagrados pela tradição e pela tradição da ruptura?

O escritor contemporâneo cria pensando em sua inserção nos recortes desenhados pela crítica? Organizar antologias, escrever atendendo a parâmetros acadêmicos e publicar originais em revistas de criação e crítica seria uma forma de “controle da recepção” – e, no caso de escritores-críticos, de reivindicar modos de leitura de sua própria produção?

Com Altair Martins, Heloisa Buarque de Holanda e Ítalo Moriconi
Mediação Claudia Nina

19h30 – Criação e Confissão ou Como a ficção transtorna a noção de documento, de registro biográfico e da própria história da literatura?

Em que momento o caráter memorialístico de contos e romances se transforma em imaginação? Existe ficção pura, sem enraizamento na história pessoal? E como esse enraizamento coincide com o enraizamento na história literária e suas rubricas (literatura gay, ficção pós-moderna, regionalismo, memorialismo)?
Com Arnaldo Bloch, Ronaldo Correia de Brito e Silviano Santiago.
Mediação Beatriz Resende

02.12 – quarta-feira

15h30 – Criação e Narrativa ou Como o enredo ficcional parte da experiência pessoal sem deixar de se afirmar como ficção?

O escritor decanta sua experiência na literatura ou escreve contra ela, num esforço de esquecimento que faz o triunfo da ficção? A vida dos outros e as vivências individuais determinam a invenção? O escritor “escolhe” acasos e percalços (pessoais, profissionais) que dêem lastro à ficção, que confiram ao texto a autoridade do vivido?

Com Adriana Lisboa, Marçal Aquino e Michel Laub.
Mediação Flávio Carneiro

17h30 – Criação e Edição ou A intervenção do editor sobre o manuscrito altera o estatuto do autor?

Como o editor edita? Os escritores modificam seus originais a partir do olhar crítico de seus editores? Que critérios (literários, mercadológicos) determinam tais intervenções? Existe paralelo entre o editor de livros e a figura, cada vez mais influente (e midiática), do curador de artes visuais?

Com Eduardo Coelho, Nelson de Oliveira e Paulo Roberto Pires.
Mediação Manuel da Costa Pinto

19h30 – Criação, Leitura e Autoria ou Como o escritor identifica tendências e problemas com as quais sintoniza sua literatura?

O escritor leva em conta a existência de questões e gêneros que estão na ordem do dia? Ao flertar com a literatura confessional ou com a literatura policial, o escritor aceita as regras do jogo ou as usa para burlar a expectativa do leitor? A opção por um gênero dilui a responsabilidade autoral ou desafia sua singularidade?

Com Cristovão Tezza, Ana Paula Maia e Ferréz.
Mediação Manuel da Costa Pinto

Recomendamos para você