Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 17.01.2012 17.01.2012

Ícones da música brasileira ganham documentários de homenagem

Por Luma Pereira
Tom Jobim
 
Dirigido por Nelson Pereira dos Santos e Dora Jobim, A Música Segundo Tom Jobim traz novidades na maneira de narrar a trajetória de vida e carreira desse importante músico. Não é um documentário no formato padrão, com depoimentos e entrevistas.
 
O filme é todo em imagens: fotografias antigas e shows, além de grandes ícones da música nacional e internacional interpretando as canções do compositor – desde cantoras de épocas passadas, como Elis Regina, até de hoje, como Adriana Calcanhoto.
 
“Na pesquisa dos arquivos, notamos que o próprio material podia contar uma história”, conta Nelson. Os critérios de escolha do que ia entrar no filme foram muitos: “pelo artista, pela época, pela qualidade da imagem. Às vezes, foi pela expressão”, diz Dora.
 
Outra curiosidade é que não há identificação dos intérpretes das canções no filme. “Desde o começo, insisti em não repetir no filme de longa metragem o que se faz no noticiário de televisão. Dizer quem está cantando não é necessário”, explica o diretor.
 
Outras vozes vão ao cinema
 
Mas esse documentário sobre Tom Jobim não é o único – existem vários outros sobre grandes ícones da nossa música. Preparamos uma lista de alguns filmes que homenageiam cantores e compositores nacionais imortalizados.
 
Raul Seixas
 
 
Raul Seixas: O Início, o Fim e o Meio teve direção de Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel. O filme reúne arquivos antigos e depoimentos de amigos e familiares, que contam mais sobre a vida e a carreira dessa verdadeira lenda do rock nacional. 
 
A produção ganhou o prêmio de melhor documentário brasileiro da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2011 e o Prêmio da Crítica na 7º Fest Aruanda (Paraíba). O filme tem estreia prevista para o dia 23 de março de 2012.
 
Maria Bethânia
 
Cena de Maria Bethânia – Pedrinha de Aruanda
 
Dirigido por Júlio Bressane e Eduardo Escorel, Bethânia Bem de Perto – A Propósito de um Show estreou em 1966. Registra o primeiro show da cantora no Rio de Janeiro, na boate Cangaceiro.
 
Os 33 minutos de filme contam com números musicais, cenas do cotidiano de Bethânia e encontros com Anecy Rocha, Wanda Sá, Rosinha de Valença, Silvinha Teles, Jards Macalé, entre outros.
 
Existe também outro documentário mais recente sobre a cantora e compositora: Maria Bethânia – Pedrinha de Aruanda, dirigido por Andrucha Waddington, de 2007. Ele mostra a comemoração de seu aniversário de 60 anos, celebrado num show na Bahia.
 
Cazuza
 
Cazuza – Sonho de uma noite no Leblon teve direção de Sérgio Sanz e Marcelo Maia, no ano de 2001. O filme traz as histórias do cantor contadas por seus amigos: Cássia Eller, Ney Matogrosso e Frejat, além do depoimento emocionado de sua mãe, Lucinha Araújo.
 
Agenor de Miranda Araújo Neto, seu nome de batismo, nasceu no Rio de Janeiro, em 1958, e morreu no ano de 1990. É considerado um dos compositores brasileiros mais importantes, tendo escrito sucessos como “Exagerado” e “Codinome Beija-Flor”.
 
Cartola
 
Documentário de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, Cartola – Música para os Olhos foi produzido em 2006. Conta a história de um dos principais compositores brasileiros em 88 minutos de depoimentos, imagens e músicas de um dos ícones do samba.
 
Nascido no Rio de Janeiro, em 1908, Cartola morreu no ano de 1980. É considerado um dos maiores sambistas da história da música brasileira.
 
Arnaldo Baptista
 
Arnaldo Batista
Foto: Fabiana Figueiredo
 
Loki – Arnaldo Baptista teve direção de Paulo Henrique Fontenelle, em 2008. O filme fala sobre a carreira do artista, desde a fama dos Mutantes – importante grupo da Música Popular Brasileira – até o problema das drogas, da depressão e sua recuperação.
 
A obra conta com depoimentos de familiares e colegas, como Tom Zé e Gilberto Gil, além de imagens de arquivos. A produção foi exibida no Festival do Rio e na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e ganhou o prêmio de Melhor Documentário.
 
Simonal
 
 
Dirigido por Micael Langer, Calvito Leral e Cláudio Manoel, em 2009, Simonal, Ninguém Sabe o Duro que Dei conta a história da vida e obra de Wilson Simonal, cantor famoso entre os anos 60 e 70.
 
A trajetória dele é contada por Pelé, Chico Anysio, Toni Tornado, Nelson Motta e também por familiares. Foram usadas imagens de antigos shows, além de programas e noticiários de TV.
 
Ele teve a carreira interrompida devido à polêmica do crime contra seu ex-contador. Foi acusado de informante dos órgãos repressores da Ditadura Militar, o que fez com que fosse excluído pela classe artística e intelectual do Brasil, contrária ao Regime.
 
Titãs
 
Titãs – A vida até parece uma festa, dirigido por Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves, em 2009, fala sobre essa importante banda brasileira. Conta a história do grupo de maneira não-cronológica e por meio de músicas.
 
O documentário mostra os bastidores da banda, da década de 1980 até hoje – os sucessos e as discussões. Titãs é um dos ícones do rock nacional, ao lado de Paralamas do Sucesso, Legião Urbana e Barão Vermelho.
 
 
Recomendamos para você

Os produtos Saraiva mais comentados