Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 27.02.2014 27.02.2014

Humor no figurino: os personagens exóticos de Will Ferrell

Por Edu Fernandes
 
O mundo da comédia traz diversas possibilidades. Há o pastelão, o humor ácido, piadas escatológicas e outras maneiras de fazer o espectador rir. Em alguns de seus filmes, Will Ferrell usa seu figurino como parte das piadas.
Em Tudo por um Furo (Paramount), ele é Ron Burgundy, um jornalista da década de 1970 com um bigode chamativo e um penteado calculado. O personagem surgiu pela primeira vez em 2004, no longa O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy (Paramount). A sequência chega aos cinemas brasileiros em 28 de março.
Depois dos eventos de San Francisco, Ron e Veronica (Christina Applegate, de Passe Livre) se mudam para Nova York. Durante uma reunião com o chefe (Harrison Ford, de Conexão Perigosa), uma promoção é oferecida a ela, enquanto Ron é demitido. O ocorrido acaba com o casamento entre os jornalistas.
Algum tempo depois, Ron ganha a chance de se redimir profissionalmente: ele é convidado para trabalhar na GNN, primeiro canal de notícias 24 horas. Para ajudá-lo na nova empreitada, Burgundy decide reunir sua antiga equipe, formada por Brick Tamland (Steve Carell, de O Incrível Mágico Burt Wonderstone), Brian Fantana (Paul Rudd, de É o Fim) e Champ Kind (David Koechner, de The Office).
Nos dez anos que separam os dois filmes da franquia O Âncora, muitos outros protagonistas com visual excêntrico foram entregues por Ferrell. Nessas ocasiões, ele contracenou com os parceiros de costume.
 
Cena do filme Ricky Bobby – A Toda Velocidade
Em 2006, Will pendurou o terno e abandonou a redação para entrar no mundo dos esportes. Por essa razão, ele usa um macacão de piloto em Ricky Bobby – A Toda Velocidade (Sony).
O personagem-título é um corredor da Nascar aficionado por vitórias. Seu reinado parece inabalável até a chegada de um piloto francês (Sacha Baron Cohen). A pressão colocará Bobby em crise. No longa, David Koechner está presente no papel de um dos mecânicos da equipe do protagonista.

Cena do filme Escorregando para a Glória
As competições de patinação são o cenário do próximo exemplo. Em Escorregando para a Glória (Paramount), Ferrell vive um patinador viciado em sexo. Durante as Olimpíadas de Inverno, ele e seu rival (Jon Heder) são banidos do esporte. Para voltar ao gelo, os dois resolvem se unir e formar a primeira dupla masculina de patinação.
Além das malhas justas e brilhantes, o visual de Will é completado por uma longa cabeleira. Com isso, as cenas de competição ganham mais graça.

Cena do filme Os Aloprados
Em Os Aloprados (PlayArte), Ferrell volta aos anos 1970, época de O Âncora. Ele vive Jackie, um cantor de sucesso que compra um time amador de basquete. Ele é o treinador e o capitão da equipe. O visual dos jogadores é caprichado, como manda o período. O protagonista usa penteado armado, além de roupas extravagantes.
Os problemas começam porque os gastos com o basquete ameaçam a saúde financeira de Jackie. Para piorar, seu time precisa terminar o campeonato em quarto lugar para evitar extensão.

Cena do filme Casa de Mi Padre
 
Ainda na década de 1970, há Casa de Mi Padre (Lionsgate), um faroeste “espaguete”. O rosto e o penteado de Will não trazem novidades, mas as mudanças em outros departamentos foram drásticas: o personagem usa roupa de vaqueiro e fala espanhol.
Ferrell vive Armando, um mexicano que quer salvar o rancho da família. Ele se une ao irmão (Diego Luna) para derrotar um poderoso traficante (Gael García Bernal).
Para o futuro, os fãs esperam a sequência de Zoolander (Paramount). A expectativa é que Will encarne novamente o estilista Mugatu, com seu penteado dividido no meio e roupas fashionistas. Por enquanto, é apenas torcida, mas o projeto poderá ficar mais concreto se Tudo por um Furo fizer sucesso.
 
Veja o trailer de Tudo por um Furo:
 

 
 
Recomendamos para você