Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 26.10.2012 26.10.2012

Heróis viajados: os cenários exóticos de franquias de ação

Por Edu Fernandes
 
Sempre que uma nova aventura de James Bond chega aos cinemas, os fãs ficam ansiosos por conhecer alguns elementos do filme: quem faz a música tema, quem é a bond girl, qual o vilão e qual país receberá o agente secreto. Em 007 – Operação Skyfall, que estreia dia 26 de outubro, parte da ação se passa na Turquia e na China.
 
A cena de abertura mostra James Bond (Daniel Craig, de Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres) numa missão em solo turco. Ele persegue um bandido que roubou uma lista secreta com nomes de agentes infiltrados em organizações terroristas. No meio da perseguição, 007 é alvejado acidentalmente por uma colega (Naomie Harris, de Ninja Assassino) e dado como morto.
 
Algum tempo depois, quando os nomes dos agentes começa a vazar, Bond retorna ao MI6 para ajudar na captura do vilão. Antes de poder voltar à ativa, o espião precisa passar por testes físicos e psicológicos, que deixam claro que agora 007 é um herói falho. Com a união de pistas, descobre-se que o bandido estará em Changai, e a ação desloca-se para a China.
 
Em 2012, comemora-se 50 anos dos filmes de James Bond. Nesse meio século e 23 filmes, o agente britânico já cruzou o mundo atrás de vilões tão exóticos quanto as paisagens que servem como cenário. Essa tradição viajante acompanha outras franquias cinematográficas de ação.
 
Cena de 'O Ultimato Bourne' na Coreia do Sul
 
A trilogia Bourne é um exemplo claro desse hábito. Apenas O Ultimato Bourne (2007) teve filmagens na Europa (Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália), América (Estados Unidos) e África (Marrocos).
 
No atual spin-off O Legado Bourne (2012), houve certa contenção. Fora da América do Norte, o herói vivido por Jeremy Renner (Os Vingadores) colocou os pés nas Filipinas e Coreia do Sul. Como se trata de uma aposta de alto risco continuar uma franquia sem seu ator principal (Matt Damon, de Compramos um Zoológico), os produtores precisaram ter mais cenas perto de casa.
 
Jeremy Renner está sendo preparado para assumir, se necessário, outra franquia de ação. Seu personagem em Missão Impossível – Protocolo Fantasma (2012) foi escrito especialmente para o caso de Tom Cruise (Encontro Explosivo) desistir de participar dos próximos filmes da série.
 
Cena de 'Missão: Impossível – Protocolo Fantasma em Dubai'
 
Assim, o passaporte de Renner deve aumentar a coleção de carimbos. No quarto capítulo das aventuras mirabolantes de Ethan Hunt, a cena de abertura se passa em Dubai, com uma tensa missão no prédio mais alto do mundo. Depois, a ação segue para outras locações na República Tcheca, Índia, Hungria e Rússia.
 
Os Mercenários é uma franquia mais nova, mas que segue a tradição de viajar. Porém, ao contrário dos outros exemplos citados, cada filme se passa em apenas um local exótico, onde o grupo liderado por Barney Ross (Sylvester Stallone, de Rocky Balboa) vai desempenhar a missão da vez. Outra característica da série é a inexatidão geográfica.
 
Stallone comanda gravações de 'Os Mercenários' no Brasil
 
No primeiro filme (2010), muitas sequências foram rodadas no Brasil, mas no roteiro trata-se de um país fictício na América do Sul. O bando de guerrilheiros vai até lá para derrubar um tirano (David Zayas, de Dexter).
 
Em Os Mercenários 2 (2012), locações na Bulgária serviram para situar a produção em algum lugar inominável da ex-União Soviética. A trama envolvia exploração de plutônio para a fabricação de armas, mas o motivador do enredo era a vingança contra Villain (Jean-Claude Van Damme, de Replicante), que assassinou um dos membros do grupo.
 
No final das contas, em qualquer parte do mundo, os cenários exóticos dos filmes de ação colaboram para dar personalidade às cenas e atrair mais público – mulheres voluptuosas também.
 
Veja o trailer de 007 – Operação Skyfall:
 

 
 
Recomendamos para você